Arquivo da tag: Fiat Chrysler

Comparativo entre os logotipos da marca italiana

Fiat se reposiciona para consertar erros do passado e tentar voltar à liderança

Marca adota novo logotipo, identidade visual com referência aos anos 90 e destaca tradição ítalo-brasileira. Fiat confirma novos motores turbo, SUVs e câmbio CVT 

Nova identidade visual aplicada na Fiat Strada 2021 será o padrão para os próximos produtos
Nova identidade visual aplicada na Fiat Strada 2021 será o padrão para os próximos produtos

Thiago Ventura

Após dormir no ponto e perder a liderança do mercado no Brasil, a Fiat resolveu lançar uma nova ofensiva para retomar seu lugar ao Sol. A estratégia passa por um novo posicionamento da marca, mudança da experiência do consumidor, mas principalmente: novos produtos (leia-se SUVs), tecnologias e motores turbinados.

Na parte comunicacional, a marca quer assumir uma ‘nova cara’, ressaltando sua cultura Ítalo-brasileira e ser também mais ‘pop, encantadora e espontânea’. Isso se aplica no emblema que passa a ser usado nos carros, como vemos nas fotos: sai aquele cuore adotado em 2006 e que remete aos anos 1920 e entra o ‘Fiat Flag’, apenas as quatro letras, numa releitura do padrão adotado no final dos anos 60. Justamente a Strada estreia esse novo design.

O ícone das quatro linhas fez sucesso no Brasil nos anos 90 e essa tradição que a marca busca de referência para imaginar esse novo tempo. Essa representação gráfica das quatro letras se transforma em listras em movimento com cores contrastantes. As peças publicitárias da Fiat terão uma fotografia quente, inspirada nas grifes da moda italianas, com cores contrastantes e valorizando o emocional, tipo um clipe da Anitta. Esses novos padrões serão aplicados também nas concessionárias.

Comparativo entre os logotipos da marca italiana
Comparativo entre os logotipos da marca italiana

Motores turbo e SUVs

Mas falemos do que de fato vai fazer a diferença: conforme já havíamos confirmado aqui no Carro Esporte Clube, a Fiat prepara uma nova geração de motores FireFly turbo 1.0 três cilindros e 1.3 quatro cilindros, produzidos em Betim (MG). Esses blocos começam a chegar já neste ano, ironicamente no Jeep Renegade, que estreia o novo 1.3T no Brasil.

Por falar em Jeep, a Fiat vai corrigir a mancada de não oferecer modelos na categoria mais aquecida no mundo, os SUVs. A FCA priorizou sua brand americana com o Renegade e Compass, mas agora terá dois novos SUVs pra chamar de seu.

Assim será o novo padrão de concessionárias da marca (foto: Paulo Bareta)
Assim será o novo padrão de concessionárias da marca (foto: Paulo Bareta)

O primeiro dos dois novos utilitários esportivos está planejado para 2021. Trata-se do “‘SUV do Argo’, construído pela mesma plataforma do hatch. Em 2022 chega mais um SUV, inspirado no conceito Fiat Fastback. Se seguir as linhas do modelo, será um sucesso estrondoso.

A Fiat confirmou que vai introduzir o câmbio automático do tipo CVT em vários produtos da gama. Mais um conserto bem vindo: abandona a obsoleta ideia de equipar seus veículos com transmissão automatizada. Um erro fatal cometido nos finados Linea e Bravo, por exemplo.

Picape representa essa 'nova Fiat'
Picape representa essa ‘nova Fiat’
JulianaCoelho_FCA_01

Jovem engenheira é a primeira mulher a comandar fábrica da Fiat Chrysler na América Latina

Em apenas sete anos Juliana Coelho passou de trainee para Plant manager da FCA. Aos 31 anos, vai comandar mais de 5 mil funcionários em PE

JulianaCoelho_FCA_01

Uma jovem engenheira será a primeira mulher a comandar uma fábrica da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) na América Latina. Trata-se de Juliana Coelho, que assume o cargo de Plant manager do Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE).  Juliana sucede o italiano Pierluigi Astorino , que assumiu o cargo de diretor de Manufatura para a América Latina. A fábrica tem mais de 5 mil funcionários e produz os modelos Jeep Renegade, Compass e Fiat Toro. Um novo SUV derivado da picape Toro vai ser também produzido no Nordeste.

“Estou feliz em estrear esse novo ciclo na FCA, é um desafio e eu gosto de desafios”, afirma a pernambucana, que começou sua trajetória no mercado automobilístico dentro do grupo. Juliana iniciou a carreira em 2013, como Especialista de Processo de Pintura, tendo passado por treinamentos on the job em fábricas da FCA na Itália e na Sérvia.

A nova manager entrou como trainee e fez parte do primeiro time de funcionários do Polo Automotivo Jeep.  Foi o primeiro emprego da moça. Desde então vem construindo uma carreira ascendente na empresa. Ela já foi supervisora e gerente da Pintura e gerente da Montagem na Jeep, além de, mais recentemente, ter chefiado a área de VLM (Vehicle Line Manufacturing), responsável por novos desenvolvimentos na manufatura, no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG).

Pernambucana de Olinda, Juliana formou-se em Engenharia Química porque pensava em seguir carreira na área de petróleo e gás, forte na região. Amava carros porque, quando criança, adorava passear com o pai nos diferentes modelos que ele dirigia pertencentes à locadora onde trabalhava.

Pierluigi Astorino assumiu o cargo de Diretor de Manufatura da Fiat Chrysler Automóveis para a América Latina
Pierluigi Astorino assumiu o cargo de Diretor de Manufatura da Fiat Chrysler Automóveis para a América Latina

Juliana assume a unidade de Goiana em plena pandemia do coronavírus, diante das previsões de queda de 40% nas vendas. A FCA vê na nova Strada a chance de manter a receita. Mas como o produto é feito em Betim, aumenta a pressão para um bom resultado também em Pernambuco.

. “O Polo Automotivo Jeep vem de um ciclo importante de aprimoramento em excelência em qualidade. Vamos continuar evoluindo dando ênfase ao desenvolvimento de produtos, a contínua melhoria de processos e investindo nas nossas pessoas, sem dúvidas um dos principais diferenciais da Jeep”.

Novo diretor

Aos 38 anos, Pierluigi Astorino iniciou sua carreira no Grupo FCA em 2006, na planta de Mirafiori, Itália. Destacou-se como International Projects Leader, com desenvolvimento de projetos nas plantas do grupo nas quatro regiões do globo. Ele sucede o também italiano Francesco Ciancia, nomeado para liderar a manufatura dos brands Maserati e Alfa Romeo na Itália.

Pierluigi foi um dos dos responsáveis pela implementação da planta Jeep no Brasil por três anos. Após essa experiência, foi responsável pela Engenharia de Manufatura da FCA. Em 2018, retornou à Goiana como Plant manager.

Ana Theresa Borsari, da PSA: única mulher na presidência de empresa da área atualmente
Ana Theresa Borsari, da PSA: única mulher na presidência de empresa da área atualmente

Mulheres na liderança

Não é comum ter mulheres em postos de liderança na área técnica da indústria automobilística no Brasil.  A General Motors (GM) já teve Sonia Campos como diretora da unidade de São Caetano do Sul (SP) de 2011 a 2015, enquanto a PSA Peugeot Citroën teve Ana Isabel Fernandes dirigindo a fábrica de Porto Real (RJ) de 2012 a 2014.

Em nível de presidência, apenas a PSA possui atualmente uma mulher no comando, Ana Theresa Borsari, no cargo desde 2015. Já a GM tem  Marina Willisch como como vice-presidente. O grupo americano também já teve presidentas Denise Johnson e Grace Lieblin no curto período de 2010 a 2012.

Redação com AE

 

Fiat-Palio-Economy-2011

Fiat e concessionária são condenadas a indenizar cliente por carro 0 km com defeito

 

Consumidora comprou um Fiat Palio Economy repleto de defeitos e agora vai receber R$ 21.5 mil de indenização por danos morais e materiais

Fiat-Palio-Economy-2011Uma decisão do Tribunal de Justiça de Minas condenou a Fiat Chrysler Automóveis (FCA)  e uma concessionária de Belo Horizonte a pagar R$ 21.250 de indenização a uma cliente que teve vários problemas com um carro zero quilômetro retirado em 2012. Na primeira instância, as empresas venceram, mas acórdão da 14ª Câmara Cível reformou a sentença, dando ganho de causa para a  cliente.

Segundo relato contido no processo, a cliente comprou um Fiat Palio Economy por R$31.250 em 19 dezembro de 2011 na concessionária Tecar Minas Automóveis e Serviços Ltda. Na data combinada para retirada, 04 de janeiro de 2012, percebeu que o carro estava com a tampa, o para-choques e a lanterna traseiros desalinhados, infiltração embaixo do banco esquerdo dianteiro e arranhão na lataria da lateral esquerda, entre outros.

Em busca dos reparos, a consumidora deixou o carro na oficina da Tecar no dia da sua retirada, e ele ficou lá até o dia 13 do mesmo mês. Após perceber que a empresa não tomou nenhum tipo de providência em relação ao caso, a cliente realizou um boletim de ocorrência e retirou seu veículo da oficina com os defeitos inicialmente constatados, para posterior reparo.

Ela narra que voltou à concessionária por inúmeras vezes para tentar resolver o problema. A consumidora declarou que ficou ao todo, em períodos diferentes, 49 dias sem o carro, retido para reparos.

Insatisfeita com o atendimento da concessionária e da montadora, ingressou com ação na Justiça, querendo ressarcimento dos prejuízos. O processo foi protocolado em agosto de 2012. Somente em outubro de 2019 saiu a sentença. Em Primeira Instância, ela perdeu a ainda foi condenada a pagar custas e honorários para os advogados das duas empresas. O juiz entendeu que o caso não era passível de dano moral e que, uma vez que o carro foi consertado, não havia prejuízo na depreciação.

Em recurso junto à 14ª Câmara Cível, a consumidora reclamou que prova pericial admitiu a existência dos defeitos por ocasião da compra do bem e que, por isso, as avarias no carro não podiam ser atreladas a um possível mau uso. Além disso, outra perícia aponta que o carro dela teria desvalorização de 20 a 30% em relação a um carro em perfeitas condições.

Ao analisar o caso, o desembargador Valdez Leite Machado não concordou com a sentença do juiz,  pois os fatos e provas comprovam que a cliente ficou privada da utilização do carro por alguns períodos significativos, além do desgaste emocional causado pelas inúmeras tentativas de solucionar o problema junto às empresas.

Citando o Código de Defesa do Consumidor (CDC), que assegura que “ambas respondem por quaisquer danos verificados no veículo zero quilômetro adquirido pelo consumidor”, o magistrado determinou que fabricante e concessionária devem indenizar solidariamente a consumidora.

O desembargador fixou em R$ 6.250 o valor devido em relação à desvalorização do veículo, por ter sido adquirido já com vários problemas, e o valor de R$15 mil, por danos morais, visando punir os responsáveis e evitar a reincidência do ato ilícito. As desembargadoras Evangelina Castilho Duarte e Cláudia Maia seguiram o mesmo entendimento. 

A decisão ainda pode ser questionada em instâncias superiores.

NOVOS-MOTORES-TURBO-DA-FIAT-E-PROJETO-363

Fiat e Jeep começam a fabricar motores turbo em outubro e Projeto 363 chega em 2021

Fiat Chrysler Automóveis (FCA) terá motores 1.0 e 1.3 turbinados para toda a gama; ‘SUV do Argo’ chega no primeiro trimestre do próximo ano

Entre as novidades, inédito motor 1.0 T da FCA vai equipar linha Fiat

Por Thiago Ventura

A crise do novo coronavírus atrasou mas não cancelou os planos de investimentos da Fiat Chrysler Automóveis (FCA). Em informação que divulgamos em primeira mão, o grupo ítalo-americano confirmou que os novos motores turbinados  começam a ser montados em outubro deste ano em Betim (MG). Além disso, o esperado SUV derivado do Argo (projeto 363) chega no primeiro semestre de 2021.

As informações foram confirmadas pelo assessor-técnico da FCA, Ricardo Dilser, durante uma live. Os novos motores serão utilizados em toda  a gama Fiat e Jeep. A saber, são 1.0 três cilindros e 1.3 quatro cilindros turbinados.

A nova gama de motores 1.0 (três cilindros – T3) e 1.3 (quatro cilindros – T4) GSE turbo da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) virá acoplada com transmissão automática continuamente variável (CVT). Ainda não há informação oficial sobre a potência dos novos motores. Aposta dos nossos amigos do @AutosSegredos é que o 1.0 T será na casa dos 130 cv enquanto o 1.3T por volta de 180 cv.

LEIA TAMBÉM:

goiana

Crise do coronavirus: FCA tem prejuízo de 1,7 bilhão de euros

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, com queda de 12%, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil 

goiana

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou nessa terça-feira os resultados do primeiro trimestre de 2020, que refletem os impactos da pandemia da Covid-19 sobre os negócios globais. A empresa reporta vendas de € 20,6 bilhões no período, o que representa uma retração de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Foram comercializadas 818 mil unidades, com queda de 21% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Foram registradas perda líquida de operações contínuas de € 1,7 bilhão e perda líquida ajustada de € 500 milhões. Apesar do impacto significativo da pandemia sobre a economia e os negócios, a FCA entregou um EBIT ajustado positivo de € 52 milhões.

As fábricas do grupo no mundo suspenderam a produção em momentos adequados e indicados para preservar a integridade e saúde dos trabalhadores em cada região. A empresa também se concentrou fortemente no apoio ao enfrentamento à Covid-19, colaborando com as autoridades e comunidades com a instalação de hospitais de campanha, reforma de ventiladores pulmonares, produção e doação de equipamentos, dentre outros.

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, com queda de 12%, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil a partir de 23 de março. A receita líquida caiu 32%, para € 1,32 bilhão, principalmente devido à menor comercialização, bem como impactos a negativos de câmbio devido ao enfraquecimento do real.

Apesar dos prejuízos globais, a FCA e o Groupe PSA permanecem comprometidos com a fusão 50/50. A previsão é de as empresas concluam a transação até o final deste ano ou no início de 2021.

BRASIL

A  crise do coronavírus adiou os planos da FCA para o Brasil. Previstos para serem lançados neste ano, a nova geração do 500 elétrico (foto) e as versões híbridas de Jeep Renegade e Compass foram adiadas para 2021. Para o próximo ano, também teremos o projeto 363, o ‘SUV do Argo’ e outros dois SUVs novos, um da Fiat e outro da Fiat. E os motores turbo, conforme falamos em primeira mão, começam fabricados em outubro deste ano.

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (8)

Fiat Strada 2021: picape ganha evolução no design para manter a liderança

Devido ao coronavírus, início das vendas da picape compacta fica para o segundo semestre. Fiat Strada 2021 agora tem cabine dupla de  quatro portas

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (16)

Com lançamento adiado para o segundo semestre, a Fiat revelou finalmente todas as imagens da nova geração da Strada, o veículo comercial leve mais vendido no Brasil. A linha 2021 do modelo é completamente nova, a maior evolução de design desde que foi lançada em 1996. A aposta da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) é que as mudanças mantenham a Strada na liderança do segmento.

Uma das grandes novidades é que a  Fiat Strada 2021 agora possui carroceria cabine dupla (CD) com quatro portas, opção inédita no mundo entre as picapes compactas.  Já a versão cabine simples (CS)  agora possui a maior capacidade de carga do segmento, que saltou para 720 kg, numa caçamba que acomoda 1354 litros. A Strada CD por sua vez tem capacidade de carga de 650 kg e 844 litros.

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (12)

 

O modelo é revelado inicialmente nas versões Endurance (CS e CD), Freedom  (CS e CD) e Volcano CD. Futuramente, também será oferecida na versão mais simples Working.  A Fiat anuncia opção dos motores 1.4 EVO de 85/88 cv ou o 1.3 FireFly de 101/109 cv, sempre com câmbio manual de cinco marchas. Futuramente, as versões Freedom CD e Volcano CD terão opção de transmissão automática do tipo CVT.

O modelo apresenta faróis em LED e quatro airbags de série na configuração cabine dupla, além de E-Locker – Controle de Tração Avançado (TC+), controle de estabilidade e assistente de partida em rampa em todas as versões na nova picape.

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (11)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (10)

Fiat Strada 2021: versões

  • Strada Working CS 1.4 Fire (Manual)
  • Strada Endurance CS 1.4 Fire (Manual)
  • Strada Endurance CD 1.4 Fire (Manual)
  • Strada Freedom CS 1.3 Firefly (Manual)
  • Strada Freedom CD 1.3 Firefly (Manual)
  • Strada Volcano CD 1.3 Firefly (Manual)

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (7)

 

A marca lançou um hotsite para o futuro lançamento. Os clientes que tiverem interesse em receber mais informações sobre a Nova Strada poderão se cadastrar no site para, periodicamente, receber novidades do modelo. Eles poderão ser os primeiros a reservá-la para compra nos próximos meses.

Duas décadas de liderança 

A liderança absoluta da Fiat entre as picapes compactas por duas décadas no Brasil . No decorrer de seus 22 anos de trajetória, o modelo foi o responsável por diversas inovações no segmento. Em 2014, completou mais de 1 milhão de unidades comercializadas.

Entre em muitas novidades que passaram pela linha estavam a cabine estendida em 1999, a versão Adventure em 2002, o bloqueio eletrônico do diferencial Locker em 2008, a cabine dupla em 2009 e a terceira porta na cabine dupla em 2013.

fiat-strada-volcano-2021-11

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (15)

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (8)

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (7)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (3)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (2)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (1)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (5)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (16)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (6)

 

Fiat Strada Volcano CD 2021 - Carro Esporte Clube (4)

Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos  e terá recursos da Indústria 4.0

Fiat Chrysler anuncia novos motores turbo e R$ 500 mi em investimentos em Minas

Novos motores serão utilizados nos modelos da Fiat, como Argo, Cronos e Toro, além dos modelos Jeep como o Renegade e o Compass

Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos e terá recursos da Indústria 4.0
Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos e terá recursos da Indústria 4.0 


Por Thiago Ventura

Conforme antecipamos, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou um investimento de R$ 500 milhões de reais para construir uma nova fábrica no Brasil A planta será erguida em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e há promessa de gerar até 1.200 empregos. A fábrica vai produzir novos motores turbo para a linha Fiat e Jeep.

O anúncio foi uma vitória da indústria nacional, pois tanto Betim como o Sudeste asiático disputavam receber esse investimento. Tanto que esteve presente na cerimônia, realizada nessa quarta (22/05) o CEO mundial da FCA, Mike Manley, além do presidente/COO do grupo para a América Latina, Antonio Filosa e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo-MG).

“Os sólidos resultados apresentados pela América Latina nos últimos trimestres, o potencial de crescimento do nosso mercado e, em especial, a versatilidade e alta qualificação da mão-de-obra brasileira foram fatores fundamentais para trazer esse investimento ao Brasil, que disputava com outros países a possibilidade de receber a nova fábrica de motores turbo”, comentou Filosa.

Os motores começam a ser entregues no final do ano que vem e também serão exportados para a Europa e outros mercados. Serão cinco novos blocos, turbinados, que receberão o nome de GSE: 1.0 três cilindros GSE T3, 1.3 quatro cilindros GSE T4, ambos flex. A FCA está ainda desenvolvendo o GSE E4, de patente desenvolvida no Brasil, com tecnologia turbo voltada apenas à combustão de etanol.

novos-motores-site

Não foram revelados dados técnicos completos, mas a FCA revelou que os novos motores turbo têm como base o Firefly, mas com alguns diferenciais importantes. Além do turbocompressor com injeção direta, eles terão quatro válvulas por cilindro (Firefly de aspiração natural tem duas), comando de válvulas Mult Air, patente da marca italiana, sistema eletro hidráulico que permite enorme programação na variação de abertura dos conjuntos de válvulas, tanto no grupo de admissão como no de exaustão. O Eles terão também bloco de alumínio.

O novo aporte se soma aos R$ 8 bilhões previstos para o Brasil até 2024, que contemplam veículos e motores. A expectativa com a planta de motores é empregar 300 funcionários diretos e 900 indiretos. Produção começará em no último quadrimestre de 2020 e o lançamento de modelos equipados com os mesmos, só em 2021. Esses novos motores serão utilizados nos modelos da Fiat, como Argo, Cronos Fiat Toro, além dos modelos Jeep como o Renegade e o Compass.\

Novos lançamentos

A FCA planeja produzir três novos modelos em Betim a partir de 2020. Dois deles marcam a entrada da Fiat no segmento de SUVs, que é o que mais cresce no mercado brasileiro. Os modelos serão derivados do Fiat Argo: “serão veículos que vão chamar a atenção pelo design, desempenho, tecnologia embarcada e nível de conectividade”, destaca Filosa. Outro veículo que vem por aí é uma nova picape compacta.

GNV isento em Minas e investimentos em pesquisa

Durante o evento, o governador Romeu Zema anunciou decreto que isenta veículos movidos a gás natural veícular (GNV) de pagar IPVA no Estado de Minas Gerais. A Fiat relançou recentemente o Grand Siena com preparação para Kit Gás. Além disso, o Estado de Minas prevê o lançamento de um programas de residência tecnológica e pesquisa aprofundada para mestrandos e doutorandos na área de engenharia.

Segundo a marca italiana, objetivos principais do programa são estreitar os laços da FCA com a comunidade acadêmica e ajudar a qualificar as novas gerações de engenheiros e técnicos para as constantes evoluções em curso na indústria automotiva.

Indústria 4.0

A linha de produção dos motores GSE T3 e T4 já nascerá em ambiente da Indústria 4.0, de forte conexão entre pessoas, máquinas, dados e inteligência artificial. Os novos motores serão produzidos no mais avançado processo de manufatura e estarão credenciados para competir nos mais exigentes mercados globais.

Com capacidade para fabricar 100 mil propulsores por ano, a nova planta reunirá todas as etapas produtivas do motor, desde a usinagem do bloco e cabeçote até as linhas de montagem. Todo o processo é conectado a uma central de gerenciamento, no melhor exemplo de interação entre pessoas, máquina e dados. (Colaborou Amintas Vidal/Carro Esporte Clube)

Fabrica-da-FCA-Betim-MG

Fiat Chrysler deve anunciar nova fábrica de motores em Betim dia 22

Fábrica na Grande BH vai produzir motores 1.0 e 1.3 turbo para equipar a linha Fiat e Jeep e abrir novas vagas de empregos diretos e indiretos

Fabrica-da-FCA-Betim-MG
Minas Gerais deverá receber um grande aporte de investimentos na próxima semana. Tudo indica que o Brasil venceu a concorrência com o Sudeste Asiático para a construção de uma nova fábrica de motores do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA). A planta vai fabricar novos motores turbo 1.0 e 1.3 para a linha Fiat e Jeep.

É que a marca programou para a próxima quarta-feira (22) na planta de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o anúncio de novos investimentos na região. Executivos globais da FCA, incluindo CEO, Michael Manley, estarão presentes, o que denota que o plano não se restringe ao mercado local. “Será um anúncio muito importante não só para a cadeia produtiva, mas para Minas e o Brasil”, destaca uma fonte. Procuramos o governo de Minas, que informo que “as tratativas com a Fiat estão avançadas”.

Em fevereiro deste ano, o presidente da FCA na América Latina, Antonio Filosa, revelou que Betim e a Ásia disputavam receber a fábrica. Na ocasião, o executivo destacou que Minas estava com 49% das chances de receber o empreendimento, contra 51% da Ásia. “A competitividade dos asiáticos é maior, mas Betim tem mão de obra qualificada”, declarou Filosa. Pelo visto, o Brasil ganhou a disputa.

Uma vez confirmada a nova planta em Minas Gerais, a FCA estima em 18 meses o tempo para desenvolvimentismo e inauguração. Detalhes como capacidade instalada, volume de produção e quantidade de empregos diretos e indiretos a serem criados devem ser revelados dia 22. A fábrica de motores receberia parte dos R$ 8 bilhões em investimentos anunciados pelo CEO da FCA na América Latin em julho de 2018, durante o aniversário de 42 anos da planta de Betim.

Na Europa, Jeep Renegade já possui opção de motor 1.3 turbo a gasolina.
Na Europa, Jeep Renegade já possui opção de motor 1.3 turbo a gasolina.

Segundo informações do jornalista Marlos Ney Vidal, do AutosSegredos, com a nova fábrica está prevista a produção de cinco blocos. Dois deles, seriam os motores três cilindros Firefly 1.0 12V e quatro cilindros 1.3 16V, ambos Turbo Flex que serão usados pelos Jeep Renegade e Compass e nos Fiat Argo, Cronos e Toro.

Uma vez que serão necessários 18 meses para entrega dos motores, os carros só seriam equipados com os mesmos no fim do próximo ano ou mesmo em 2021, apesar de vários concorrentes já oferecerem blocos turbo em seus modelos. Com isso, a FCA deverá importar motores 1.3 turboflex para equipar Jeep Compass e Fiat Toro num primeiro momento. Esses modelos devem ser reestilizados e chegar ao mercado no começo de 2020.