Arquivo da tag: Volkswagen Group

Porsche Panamera 2014, um dos modelos da marca equipados com motor diesel.

Porsche é multada em 535 milhões de euros devido dieselgate

Marca de luxo alemã utilizou software malicioso que fraudava os resultados das emissões de poluentes em motores a diesel

Porsche Panamera 2014, um dos modelos da marca equipados com motor diesel.
Porsche Panamera 2014, um dos modelos da marca equipados com motor diesel.

A Porsche AG, marca de luxo do Grupo Volkswagen,  terá que pagar uma multa de 535 milhões de euros na Alemanha, devido a fraude dos motores a diesel adulterados, no escândalo que ficou conhecido como ‘dieselgate’.  A multa foi imposta pelo Ministério Público de Stuttgart  e a marca renunciou ao direito de recorrer. O pagamento do montante deve ser feito dentro de seis semanas para o estado de Baden-Württemberg.

O caso dos motores a diesel manipulados foi revelado em setembro de 2015, quando a Agência de Proteção do Meio Ambiente (EPA) dos Estados Unidos denunciou a Volkswagen.

A EPA acusou a montadora de ter instalado em 11 milhões de veículos a diesel – 600.000 deles vendidos nos Estados Unidos – um software que manipulava os resultados dos testes de poluição e ocultava as emissões reais, até 40 vezes superiores às permitidas.

Interior do Porsche Macan S diesel 2014.
Interior do Porsche Macan S diesel 2014.

Essa nova multa, dessa vez à Porsche,  é adicionada ao 1,8 bilhão de euros já aplicado a Volkswagen e e Audi na Alemanha após outros processos de sanções similares.

O Ministério Público de Stuttgart encontrou uma violação negligente do dever de supervisão no departamento de desenvolvimento da Porsche AG em relação às emissões de veículos no período de 2009 em diante.  O delito envolve veículos com motores V6 e V8  a diesel, que foram distribuídos no mercado europeu e em outros mercados em todo o mundo. Com relação a uma parte desses veículos – cerca de 99.000 unidades – há notificações da Autoridade Federal de Veículos Automotores contra a Porsche AG.

Ao anunciar que não vai recorrer, a Porsche encerra o processo. A multa, no entanto, não tem impacto nos processos em curso individuais ou nas ações dos clientes.  Em  diesel. No final de  2018, a Porsche anunciou sua completa retirada do diesel e afirmou que agora está totalmente focada no desenvolvimento de motores a gasolina de ponta, motores híbridos de alta performance e mobilidade elétrica. Fonte: Redação e  AFP

 

Interior do Porsche Macan S diesel 2014.
Interior do Porsche Macan S diesel 2014.
Muito mudou na indústria automobilística nos últimos 25 anos.

O que mudou numa fábrica de automóveis nos últimos 25 anos?

Do trabalho pesado feito por humanos aos mais novos conceitos de Indústria 4.0.  Dois funcionários da SEAT revelam as mudanças ao longo de um quarto de século

Muito mudou na indústria automobilística nos últimos 25 anos.
Muito mudou na indústria automobilística nos últimos 25 anos.

Inaugurada em 1993, a planta da SEAT (marca do grupo Volkswagen) em Martorell, na grande Barcelona, completa 25 anos. Para comemorar, a  montadora e fez um vídeo e recolheu depoimento de dois funcionários, que revelam as mudanças na indústria automobilística nesse período. Dessa planta vieram alguns modelos da Seat, comercializados no Brasil enter 1995 e 2002, como o Ibiza, Cordoba, Vario e Inca.

‘Quando pisei a fábrica de Martorell pela primeira vez tinha apenas 18 anos e lembro-me que tinham acabado de decorrer os Jogos Olímpicos de Barcelona. Eu era aprendiz e havia uma enorme expetativa entre os companheiros: era tudo novo e dizia-se que esta era a fábrica mais moderna da Europa”. Estas são as palavras de Juan Pérez, o atual responsável da equipe de Processos de Prensagem de chapa, sobre a sua chegada à fábrica da SEAT em Martorell, há 25 anos. Tanto ele como o seu companheiro Victor Manuel Díaz, responsável pelo Trabalho em Equipe, Estandardização e Shopfloor Management, têm sido testemunhas das mudanças na fábrica ao longo deste quarto de século.

SEAT_Martorell_Story_006_HQ

Quando entraram na fábrica, no começo da década de 90, os operários tinham que andar cerca de 10 quilômetros por dia durante o trabalho. “Naquele labirinto, podíamos chegar a andar 10 quilômetros por dia, muito mais do que hoje”, compara Víctor Manuel. Atualmente, os empregados convivem com 125 veículos de condução automatizada – AGV – que se encarregam de transportar 23.800 peças por dia através de rotas invisíveis ao longo de toda a fábrica.

SEAT_Martorell_Story_004_HQ

Outra mudança sentida é a inclusão dos robôs, o que não representou necessariamente  o fim dos empregos.  Em 1993 havia 6.000 trabalhadores na fábrica de Martorell, e agora são o dobro. Os 12.000 empregados atuais partilham as oficinas com mais de 2.000 robôs, que tratam de montar a estrutura do automóvel e que representam cerca de 10% dos robôs industriais existentes em toda a Espanha. “Naquele tempo, montávamos os vidros à mão e eram precisas duas pessoas. Eram muito pesados e grandes. Atualmente, é um robô que faz isso, enquanto nós ficamos com os trabalhos mais leves”, esclarece Juan Pérez.

SEAT_Martorell_Story_003_HQ

Robôs e tecnologia de realidade virtual reduziram o tempo de produção. Há 25 anos, um carro demorava 60 horas para ficar pronto. Agora são apenas 16h. Um grupo de 84 robôs aplica finas camadas de pintura numa estufa, enquanto um scanner de última geração analisa a uniformidade da superfície em apenas 43 segundos.

A produção atual, digitalizada e conectada, permite fabricar 2.300 automóveis por dia, um valor que era de apenas 1.500 há 25 anos. Atualmente, sai da fábrica um modelo a cada 40 segundos. Realidade virtual, impressão 3D ou realidade aumentada, são outros dos avanços que surgiram com a chegada da Indústria 4.0.

SEAT_Martorell_Story_012_HQ

A vida dos operários também melhorou em ergonomia. Víctor Manuel Díaz descreve a mudança: “Antigamente, era preciso pegar numa pesada banqueta que se colocava dentro do automóvel e que utilizava para montar os interiores, o que não se revelava muito cômodo para os operários”. Atualmente, eles utilizam confortáveis cadeiras, chamadas ‘Raku Raku’, facilitam o trabalho do operário, que consegue aceder ao interior do carro sentado e com os materiais ao alcance da mão.

SEAT_Martorell_Story_009_HQ SEAT_Martorell_Story_014_HQ

 

SEAT_Martorell_Story_012_HQ SEAT_Martorell_Story_002_HQ

 

 

SEAT_Martorell_Story_007_HQ