Blog CULTURA

Porcos de colarinho branco

04/11/2015 06:00:31

Beatles: humor, ironia e crítica social.
Beatles: humor, ironia e crítica social.

Por Carlos Ávila

Reouvindo o primoroso álbum dos Beatles, lançado em 1968 – conhecido como the white album: “Piggies” chama, particularmente, nossa atenção. Com música e letra de George Harrison, a canção reúne humor e crítica social, com os piggies (porcos) metaforizando um tipo de gente sórdida – que poderia ser identificada com o poder político-econômico; gente de “colarinho branco” – com suas “starched white shirts” – fazendo sujeira.

“Have you seen the little piggies/crawling in the dirt”? (você viu os porquinhos/rastejando na lama?) – dizem os versos iniciais; a letra da canção vai dos “little piggies” aos “bigger piggies”, concluindo, finalmente, que “everywhere there’s a lot of piggies living piggie lives” (em toda parte há muitos porcos vivendo suas vidas porcas).

Conforme informação no livro “The Beatles – letras e canções comentadas”, de Elaine de Almeida Gomes e Leda Pasta, “no baixo, Paul tentou imitar um grunhido de um porco”. E mais: “John preparou uma fita com som contínuo chamado loop, usando um disco de efeitos sonoros do estúdio, com sons de animais. Para cobrir os chiados do velho 78 rotações, os Beatles imitaram porcos com suas vozes e na gravação fica difícil distinguir qual som é humano. Em alguns pontos, o som da voz também foi processado para ficar mais anasalado. Para finalizar, a música ganhou um octeto de cordas”.

Segundo as duas beatlemaníacas, a música teve alguns versos (bem aliterativos) eliminados na gravação: “everywhere there’s a lot of piggies playing piggy pranks/and you can see them on their trotters down at the piggy banks/paying piggy thanks to the pig brother” (em toda a parte existem muitos porcos pregando peças/eles podem ser vistos com suas patas pelos barrancos/prestando contas para seu irmão porco). O jogo de palavras requer “recriação” – há sentido duplo (em banks, por ex.); pig brother: possível trocadilho com o big brother do livro “1984” de outro George, o Orwell. Harrison chegou a cantar esses versos nos seus shows.

“Piggies” lembra certas figuras que circulam atualmente pelo nosso meio político; segue abaixo a letra em tradução de Drummond – com a fina ironia do poeta itabirano, inclusive nos diminutivos empregados.

Porcos

Viste os porquinhos
rebolando na imundície?
Para todos os porquinhos
a vida está cada vez mais difícil
e brincam sempre na sujeira por aí.

Viste os mais taludos porquinhos
em suas engomadas, alvíssimas camisas?
Olha os mais taludos porquinhos
em algazarra na imundície
com camisas alvíssimas a folgar por aí.

Em seus chiqueiros, plenamente protegidos,
ao que vai por aí nem ligam.
Nos olhos deles falta uma coisinha:
precisam mesmo é de suma porcaria.

Por toda parte há muitos porquinhos
vivendo suas porquinhas vidas.
Podes vê-los para o jantar saindo
com suas porquinhas mulherinhas
de garfo e faquinha para comer presunto.

Comentários