Blog DIREITO Social

Jacques Alfonsin

Procurador do Estado do Rio Grande do Sul (Aposentado). Mestre em Direito pela Unisinos. Professor de Direito Civil da Unisinos. Advogado e assessor jurídico de movimentos populares como o MST e ONGs ligadas aos direitos humanos: catadores e sem-teto, que defendem alimentação, moradia e ambiente saudável para o povo pobre. É coordenador da ONG "Acesso – Cidadania e Direitos Humanos", em Porto Alegre e integrante da RENAP. Publicou vários estudos sobre função social da propriedade e da posse, reforma agrária e solo urbano, assessoria jurídica popular e direitos humanos. Autor dos livros: "Das Legalidades Injustas às (I)Legalidades Justas: Estudos Sobre Direitos Humanos, Sua Defesa por Assessoria Jurídica Popular em Favor de Vítimas do Descumprimento da Função Social da Propriedade" pela editora Armazém Digital; "O Acesso à Terra como Conteúdo de Direitos Humanos Fundamentais à Alimentação e à Moradia" (Sergio Fabris, 2003).

últimos Posts

24/09 2019

Por Jacques Alfonsin Desde janeiro de 2019 são frequentes e bem fundamentadas as denúncias contrárias ao número crescente de venenos agrícolas liberados  para venda no Brasil. No site da RBA, edição de 17 deste setembro, circula a notícia de que mais 63 dessa espécie de tratamento da terra e do que ela produz, receberam licença […]

Leia Mais...
17/09 2019

Por Jacques Alfonsin* O bem-estar das pessoas figura em todas as Constituições das nações ditas civilizadas, como uma verdadeira condição de serem reconhecidas, cada uma, como estados de direito. As decisões tomadas pela autoridade de qualquer dos poderes desses estados, assim, ficam encarregadas de garantir as funções por eles assumidas de corresponder ao seu próprio […]

Leia Mais...
05/09 2019

Por Jacques Alfonsin Desde 1995, um grupo de brasileiras/os cristãs/os, a cada 7 de setembro, realiza um desfile em todo o país muito diferente do militar. É o “grito dos excluídos”, gente que, passados quase dois séculos desde aquele outro grito de “independência ou morte” ficou sem a primeira, e quando sobrevive à segunda, vive […]

Leia Mais...