Agenda Cultural Teatro

Francisco de Assis – Do Rio ao Riso



Em pleno tempo de homenagens a tantos ícones da história artístico-cultural de toda ordem, surgiu a ideia de se falar sobre um grande herói, Francisco de Assis. Tudo com muito humor, como é característico na trajetória de sucesso de Carlos Nunes, nos palcos mineiros. Isso, além da riqueza histórica e uma boa dose de poesia. Ele divide o palco com o ator André Maurício, com direção do próprio Carlos Nunes, e texto de Márcio Ares.

O espetáculo traduz a imagem não só do santo, mas do homem genial que foi Francisco, da sua infância até a sua morte. Toma-se dele a humanidade com que enfrentou o seu desafio de mais amar que ser amado. “A ideia é fazer rir sem ofender. É divertir sem blasfemar. Sem ferir a aura de santo que lhe é peculiar, o espetáculo mostra, sob uma nova e divertida perspectiva, a sua fraterna existência sobre a terra”, explica o ator.

A Itália do século XIII, onde e quando viveu Francisco, vai se estender até os tempos atuais e outros tantos lugares. Com muito humor e delicadeza, Francisco visitará aldeias italianas, mas também Brasília, escolas e asilos brasileiros, o interior da alma de um povo latino, dos simples e dos abastados, dos povos ribeirinhos e dos grandes fazendeiros. “A peça toca as alegrias e as faltas desse nosso povo brasileiro”, adianta Carlos Nunes. É nesse deslocamento espaço-temporal que Francisco, muito mais homem que santo, faz os seus muitos milagres.

A montagem se configura um grande desafio, em sua concepção, texto, música e cenário, para que se dê o riso sem que se perca a imagem centenária desse grande personagem. A coragem, a força e a beleza que entremeiam o espetáculo exibem, no palco, o talento dos homens e a alegria de um artista, mas também a fé de um povo que, não obstante toda a sua crença, anseia por um Deus mais próximo e verdadeiro.

“Tarefa árdua, embora prazerosa, fazer uma comédia sobre tal personalidade. No desafio reside, no entanto, o inusitado do texto”, declara o ator, referindo-se ao autor Márcio Ares, que, além de poeta e cronista, formado em Letras e Filosofia pela PUC-Minas, é também Capitão da Polícia Militar de Minas Gerais. “A poesia é o seu refúgio. A escrita é sua salvação. E o olhar descontraído para os detalhes dessa história é o nosso ideal de fazer rir”, diz Carlos Nunes.

O texto possibilita identificar a singularidade de Francisco que habita as nossas mais diversas relações de interatividade com o outro, com o mundo, com nós próprios. Rompe com as convenções culturais e coletivas que caracterizam o mundo contemporâneo, com seu estilo e verdades tão diversificados, recriando seus múltiplos significados. Na peça, a poesia e o humor assumem o domínio da alegria. Mais uma vez, o ator Carlos Nunes assume a arte de fazer rir e divertir os seus espectadores.

Data: Sexta-feira, 26, a Domingo, 28 de julho de 2019.

Horário: Sexta e sábado: 21h / Domingo: 19h.

Pontos de venda: Venda online.

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

Endereço:

Telefone:

Preço: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia entrada).

Classificação dos Internautas:

Classifique a peça:

1
2
3
4
5
Comentários

Instituições Conveniadas