Saúde

24/06/2019 | domtotal.com

Escolas de MG se adequam à obrigatoriedade de alimentação saudável

Confira a lista dos alimentos proibidos e permitidos nas cantinas.

A nova lei proíbe a venda de alimentos com altos teores de calorias, gordura saturada, gordura trans, açúcar livre e sal ou com poucos nutrientes.
A nova lei proíbe a venda de alimentos com altos teores de calorias, gordura saturada, gordura trans, açúcar livre e sal ou com poucos nutrientes. (Berg Silva/Divulgação)

Por Cássia Maia
Repórter Dom Total

Uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos (34,8%) está com excesso de peso no Brasil. Entre os adolescentes, o número chega a 25,5% do total – segundo o Ministério da Saúde. Na luta pela formação de hábitos saudáveis para crianças e adolescentes, escolas de Minas Gerais vem se adequando à nova lei sobre alimentos vendidos aos alunos em suas cantinas.

A partir desta segunda-feira (24), a nova lei proíbe a venda de alimentos com altos teores de calorias, gordura saturada, gordura trans, açúcar livre e sal ou com poucos nutrientes. Entre eles, salgados fritos e assados, além de doces, como balas, pirulitos e chicletes.

A decisão foi anunciada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde e o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), o órgão enviou um comunicado às escolas privadas para informar a lista dos alimentos que não podem mais ser vendidos. (Veja a lista abaixo)

A proibição vale também para cantinas e lanchonetes terceirizadas e serviços de delivery. Até mesmo quem comercializa esse tipo de produto na porta das escolas deve seguir a orientação.

De acordo com o Sinep-MG, a lei que estabelece a não comercialização desse tipo de lanche foi decretada em 2004, mas ainda não havia sido regulamentada. “Não existia parâmetro para determinar o que era ou não saudável. Por isso, junto com o Procon, listamos essa resolução, que foi assinada no dia 1º de abril”, relatou o assessor do sindicato.

Segundo pesquisas, existe uma ligação direta entre a obesidade e o alto índice de consumo de alimentos ultraprocessados – salgadinhos, biscoitos, refrigerante etc. – sobretudo na infância e na adolescência, fases em que se formam os hábitos alimentares.

Com o intuito de promover a alimentação adequada, Marco Antônio Remígio, diretor do Colégio Pio XII de Belo Horizonte (MG), informou que já trabalha com alimentação saudável na cantina desde fevereiro. “Nós, enquanto instituição de ensino de educação, temos que estar engajados na boa alimentação também. Existem resistências, mas a gente não pode se fechar para esse trabalho. Precisamos mudar paradigmas para não estar nas estatísticas de obesidade igual outros países estão”, afirma Marco em entrevista para o Dom Total.

Para o diretor, a maior resistência ocorre com os alunos da faixa etária de 11 a 18 anos. “Eles têm essa resistência por que já vêm para a escola acostumados com as frituras, então eles reclamam mais. A gente faz o cardápio de alimentação saudável dentro da escola, porém eles acabam trazendo de casa. Então, acredito que isso tem que estender também para as famílias e estamos fazendo isso através do diálogo com os pais”, diz.

Em relação aos aniversários comemorados nas escolas, o diretor afirma que as práticas também mudaram. “Em vez de bolo de chocolate, salgadinhos, docinhos e refrigerantes, hoje, as comemorações contam com um bolo natural de cenoura ou de fruta. Espetos de frutas, como se fosse churrasquinho e gelatina. As lembrancinhas não podem ter guloseimas. O que antes tinha bala, pirulito, chicletes, eles estão sendo bem criativos mandando quebra-cabeças, carrinho para montar. São coisas interessantes que vão aparecendo”, afirma.

Os colégios Bernoulli também já se adequaram à alimentação saudável nas cantinas. Segundo Rosângela Domingos, nutricionista e responsável pela Save me Food, cantina que atende os colégios, os alunos já estão acostumados já que sempre foram oferecidos alimentos mais saudáveis. No entanto, acredita que, para alcançar uma conscientização e educação nutricional, é primordial “escola, cantina e pais se unirem sobre o assunto”.

Para Rosângela, os alunos com maior resistência são os adolescentes a partir dos 16 anos. “As crianças aceitam com mais facilidade os alimentos saudáveis e a variedade de opções apresentadas. No Bernoulli Go, por exemplo, unidade que oferece Ensino Infantil e Ensino Fundamental (1º a 5º ano), e que iniciou as atividades em 2019, oferece projetos inovadores de saúde e culinária realizados na horta pedagógica e na cozinha infantil. Os alunos têm a oportunidade de pegar o alimento direto da horta para a cozinha, além de aprender quais alimentos são mais saudáveis, além de ter contato com uma diversidade de opções e sabores”, diz.

Confira a lista dos alimentos proibidos e permitidos.

Alimentos cuja comercialização foi proibida nas escolas:

I – balas, pirulitos, gomas de mascar, biscoitos recheados, chocolates, algodão doce, chup-chup, suspiros, maria-mole, churros, marshmallow, sorvetes de massa, picolés de massa com cobertura e confeitos em geral;

II – refrigerantes, refrescos artificiais, néctares e bebidas achocolatadas;

III – salgadinhos industrializados e biscoitos salgados tipo aperitivo;

IV – frituras em geral;

V – salgados assados que tenham em seus ingredientes gordura hidrogenada (empadas, pastel de massa podre);

VI – pipoca industrializada e pipoca com corantes artificiais;

VII – bebidas alcoólicas, cerveja sem álcool e bebidas energéticas;

VIII – embutidos (presunto, apresuntado, mortadela, blanquete, salame, carne de hambúrguer, bacon, linguiça, salsicha, salsichão e patê desses produtos);

IX – alimentos industrializados cujo percentual de valor energético provenientes de gordura saturada ultrapasse 10% (dez por cento) das calorias totais ou que tenha em sua composição, amido modificado, soro de leite, realçadores de sabores, sejam ricos em sódio e corantes e aromatizantes sintéticos;

X – outros alimentos não recomendados pelo Guia Alimentar para a População Brasileira.

Alimentos que podem ser comercializados nas escolas:

I – frutas, legumes e verduras;

II – suco natural ou de polpa de fruta (100% fruta);

III – iogurte e vitaminas de frutas naturais, isolados ou combinados com cereais como aveia, farelo de trigo e similares;

IV – bebidas ou alimentos à base de extratos ou fermentados (soja, leite, entre outros similares) com frutas;

V – sanduíches naturais sem maionese;

VI – pães;

VII – bolos preparados com frutas, tubérculos, cereais ou legumes;

IX – produtos ricos em fibras (barras de cereais sem chocolate, biscoitos integrais, entre outros similares);

X – salgados assados que não contenham em sua composição gordura vegetal hidrogenada ou embutidos. Exemplos: esfirra, enrolado de queijo;

XI – refeições (almoço ou jantar) balanceadas em conformidade com o Guia Alimentar para a População Brasileira;

XII – outros alimentos recomendados pelo Guia Alimentar para a População Brasileira.


Redação DomTotal

TAGS


EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.

Comentários