Mundo

28/04/2020 | domtotal.com

A fome da 'ditadura capitalista' de Pequim

Cineasta diz que está cansado das mentiras que o governo chinês propaga mundo afora

O documentarista e médico Ruben Terlou, especializado em China, por onde viajou há anos e em quase todos os lugares daquele país. E ele fala chinês como um local
O documentarista e médico Ruben Terlou, especializado em China, por onde viajou há anos e em quase todos os lugares daquele país. E ele fala chinês como um local (Wikimedia/ Sebastiaan ter Burg)

Lev Chaim*

O holandês Ruben Terlou (35 anos) tornou-se conhecido na Holanda como documentarista, pelas suas inúmeras viagens à China onde filmou e fotografou o povo chinês. E ele fala a língua chinesa muito bem, que aprendeu aos 19 anos, quando foi pela primeira vez àquele país. O seu interesse pelo povo chinês, suas vidas, seus segredos e sua luta, com um carisma a toda prova, fez deste médico que não mais pratica a profissão, uma pessoa muito presente nas telas holandesas de televisão e querido pelos telespectadores.

A crise do corona e o avanço dos chineses sobre o mundo, tentando comprar empresas em vários países, levou este jovem holandês documentarista a repensar tudo que já sabia daquele país. Hoje, ele não mede esforços e diz com todas as letras que está cansado das mentiras que o governo chinês propaga mundo afora. Terlou, mais que qualquer outro, que domina o chinês como um local, percebeu a tirania com que o povo daquele país é reprimido, sem poder se expressar livremente, pelos dirigentes em Pequim, sob a liderança de seu presidente, o ditador comunista Xi Jinping.

Pouco antes da crise do corona estourar, ele estava ocupado em fazer um documentário sobre a influência da China na Europa do Leste, principalmente nos países eurocéticos. Em uma extensa entrevista dada ao jornal holandês Trouw, ele contou como que os chineses, aos poucos e estrategicamente, procuram aumentar a sua influência naqueles países, tal qual na Sérvia, país que ainda não faz parte da União Europeia, com muitos problemas econômicos estruturais e são vulneráveis à influência da ajuda chinesa. Os chineses já construíram uma linha ferroviária que liga a Sérvia à Hungria, como também já assumiram quase todas as indústrias pesadas daqueles países: minas de ouro, de cobre e siderúrgicas. “Os chineses constroem, gastam e têm uma visão a longo prazo, o que é muito preocupante e impressionante”, disse Terlou.

Ele acrescentou ainda o seguinte: “Os chineses não estão apenas ocupados em adquirir as matérias primas locais, mas também em espalhar a sua influência estratégica sobre aqueles países, com um toque neocolonial. Com os bilhões de investimentos, naquela região europeia, Pequim aumenta a sua influência sobre a Europa, principalmente na Sérvia, entre os portos da região grega do Pireu e a Alemanha.” Ele lembrou ainda que o fato da Sérvia ter tido um passado comunista, ajuda os dirigentes em Pequim a conseguirem despertar os sentimentos da antiga irmandade comunista de antes. Terlou acrescentou também que os dirigentes em Pequim se aproveitam da pobreza local para fechar o cerco e dominar, tal qual eles o fazem com o próprio povo chinês, de diversas áreas do país, que ele visitou e filmou, totalmente submisso às ideias oriundas do partido comunista em Pequim.

Nessa entrevista, o documentarista declarou que não será nada bom para o mundo caso o partido comunista chinês aumente ainda mais o seu poder. Os chineses não conhecem uma sociedade livre, e locais onde a democracia não funciona totalmente, ficam suscetíveis ao poder de Pequim. A China usa a pobreza para aumentar a sua influência nos locais onde investe e com mais de setenta anos nesse sistema, não mede esforços para conquistar mais influência no mundo.

Terlou ainda pergunta se acreditamos que a cidade chinesa de Wuhan, após sete semanas de pandemia com o vírus corona, agora se comporta como se nada tivesse ocorrido. Ele acha que essa narrativa toda está nas mãos do partido comunista chinês e não é confiável, como também denomina a União Europeia e outros países de inocentes úteis às manobras de Pequim. Além disso, ele se refere ainda aos twitters e às notícias falsas que o governo chinês divulga para gerar dúvidas e conflitos entre a população, como por exemplo, que o vírus teria sido levado para a China por soldados norte-americanos; ou que a epidemia talvez tenha se iniciado na Itália, com a projeção de filmes falsos de muitos italianos contentes, com máscaras vindas da China e cantando juntos Grazie Cina (Obrigado China). 

Ele toca ainda num assunto controverso: afirma que corretores imobiliários chineses estão, no momento na Califórnia, Estados Unidos, comprando propriedades. No Brasil, segundo recentes notícias, os chineses também estariam ativos na compra de empresas brasileiras, com a aprovação de certos governos estaduais. Vários países europeus proibiram as autoridades e empresários chineses de comprarem empresas no país.

Com tudo isso em mente, troquei ideias com um amigo holandês e ele me disse algo preocupante. Antes, a China exportava produtos básicos para o mundo porque não tinha alta tecnologia. Hoje, disse ele, estudantes chineses estão espalhados por todas as universidades do mundo e são obrigados, depois do curso, a voltarem para a China e se dedicar ao desenvolvimento da própria tecnologia chinesa. Por fim, eu fico com muita pena do povo chinês que vive numa ditadura, sem a mínima possibilidade de desenvolver a sua própria opinião ou direitos democráticos. Portanto, meus caros, vamos abrir os olhos e evitar que a “ditadura capitalista” chinesa, conhecida ainda como comunista, ganhe mais espaço no mundo. E você, caro leitor, o que pensa de tudo isso?


Este texto é de opinião do seu autor e não reflete a opinião do Dom Total

*Lev Chaim é jornalista, colunista, publicista da FalaBrasil e trabalhou mais de 20 anos para a Radio Internacional da Holanda, país onde mora até hoje. Ele escreve todas as terças-feiras, para o Domtotal.

O texto reflete a opinião pessoal do autor, não necessariamente do Dom Total. O autor assume integral e exclusivamente responsabilidade pela sua opinião.



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!