Religião

06/07/2017 | domtotal.com

Sonho por justiça e paz

No Verbo que veio se estabelecer entre nós é que encontramos as razões de viver.

Mulheres e homens crescem quando dão de si mesmo, e não quando estendem as mãos para receber.
Mulheres e homens crescem quando dão de si mesmo, e não quando estendem as mãos para receber. (Divulgação Pixabay)

Por Geovane Saraiva*

A obra redentora do nosso bom Deus, mistério a dominar e encantar a história da humanidade, amparado, evidentemente, pela emblemática veste da ternura, da justiça e da paz, nos convida, de alma elevada, a colocar diante dos olhos e no coração o que o nosso Deus carregava consigo: a natureza divina – o Verbo de Deus que se fez carne e veio habitar em nosso meio.

No Verbo que veio se estabelecer entre nós é que encontramos as razões de viver, no sonho por justiça e paz para o mundo, como nos ensina o servo de Deus, Dom Helder, naquilo de mais original, genuíno, espontâneo e profundo, através dos pensamentos que saíam do seu interior: “Feliz quem tem mil razões para viver”; “Quando os problemas são absurdos, os desafios são apaixonantes”; “Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como a minha sombra”.

Como alhures já dissemos, por vezes, à medida que passam os tempos, a missão da Igreja merece uma maior atenção, sempre acompanhada de um renovado ardor da parte dos cristãos. Faz-se mais necessário o valor indizível da oração como sustento da ação missionária e pastoral da Igreja; e o sucesso de todo trabalho depende, evidentemente, da íntima e estreita união com Deus dos seguidores de Jesus de Nazaré, na busca por justiça e paz.

Como é importante e indispensável se apoiar no Filho de Deus, com uma fé viva, segura, lúcida e consequente! Aqui deixo como um atraente desafio o exemplo de São Francisco de Assis, na loucura de um amor caloroso e afeiçoado, voltado para Deus e suas criaturas, compreendido em profundidade no beijo do leproso. Que seu gesto, de se perpetuar na história da humanidade, com indeléveis e incomparáveis marcas de fé e esperança, nos leve a descer do nosso edifício, que pode ser traduzido pela falta de solidariedade, orgulho, intransigência, desrespeito e intolerância.

São os apelos por justiça e paz que chegam a nós de muitos modos, em variados tempos e circunstâncias. Como é maravilhoso perceber o dom da graça e da generosidade de Deus nessa empreitada rumo ao sonho de realidade muito acima da nossa, como dizia Dom Fragoso: “Mulheres e homens crescem quando dão de si mesmo, e não quando estendem as mãos para receber”.

*Geovani Saraiva é pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas