Direito Direitos Humanos

19/06/2018 | domtotal.com

PM e advogado estão entre torcedores que ofenderam russa em vídeo


O vídeo foi compartilhado nas redes sociais e gerou indignação de internautas, que pediram para que os brasileiros fossem denunciados.
O vídeo foi compartilhado nas redes sociais e gerou indignação de internautas, que pediram para que os brasileiros fossem denunciados. (Reprodução)

Um grupo de torcedores brasileiros que está na Rússia para a Copa do Mundo de 2018 gravou neste sábado (16) um vídeo insultando uma mulher russa. As imagens foram publicadas nas redes sociais, correram o mundo e provocam reações no Brasil e em outros países. Um tenente da Polícia Militar de Santa Catarina e um advogado de Pernambuco estão entre os torcedores que aparecem no vídeo.

Nas imagens, ao menos quatro brasileiros, vestidos com a camisa da seleção, cercam uma mulher loira e gritam repetidamente uma frase em alusão ao órgão sexual feminino. A russa, que não entende português, apenas sorri e repete o que os torcedores estão falando.

  • Leia também:

PM abre processo contra tenente envolvido em assédio na Rússia; OAB lamenta

O vídeo foi compartilhado nas redes sociais e gerou indignação de internautas, que pediram para que os brasileiros fossem denunciados.

Um dos torcedores que insultaram a mulher já foi identificado. É Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo da cidade de Ipojuca, em Pernambuco.  Ele é advogado e já foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), em 2015, por descumprir o artigo 89 Lei de Licitações (Lei Federal nº 8.666/93).

Outro identificado é o tenente da Polícia Militar de Santa Catarina, Eduardo Nunes. Ele atua na cidade Lages.

A Polícia Militar de Santa Catarina, em nota, diz que "um policial militar foi identificado como um dos integrantes que aparecem no vídeo". O órgão ainda diz que, assim que o homem retornar ao batalhão, será aberto um processo administrativo disciplinar para apurar a "conduta irregular do militar".

Ministério do Turismo

Em nota, o Ministério do Turismo afirma que o machismo e a misoginia não são aceitáveis sob nenhum aspecto, muito menos em um evento como a Copa do Mundo, realizado para “promover a integração entre povos e culturas do mundo todo”.

O ministério informa que nenhum dos homens envolvidos no episódio é servidor da pasta. O esclarecimento foi necessário após circular na internet boatos de que alguns dos homens identificados no vídeo trabalhariam no ministério e estariam viajando a trabalho, com dinheiro público.

A embaixada brasileira na Rússia informou que recebeu, pela internet, manifestações informais de brasileiros que repudiaram o comportamento do grupo de torcedores.

Cartilha

Diante da repercussão do caso, a embaixada ressaltou que a maioria dos torcedores brasileiros é tradicionalmente pacífica e respeitosa. E recomendou aos torcedores que mantenham comportamento cordial e respeitoso.

Para orientar os turistas brasileiros que viajarem à Rússia durante a Copa do Mundo, que termina no dia 15 de julho, os Ministérios das Relações Exteriores e do Turismo elaboraram uma cartilha com recomendações contra atos de violência verbal, visual ou física, em especial atos que possam insultar ou humilhar outras pessoas em razão de gênero, raça, etnia, origem social, religião ou orientação sexual.

Entre outros pontos, a cartilha – que está disponível na internet – alerta que, na Rússia, qualquer comportamento interpretado como assédio sexual pode ser punido com multa ou prisão de até um ano.

Caso cometam alguma conduta considerada grave, como violência ou comportamento desrespeitoso, os infratores responderão às autoridades policiais russas, ficando sujeitos a serem banidos dos estádios, multa ou prisão.

O Itamaraty disse não ter informações de denúncias formais contra os brasileiros.


Redação Dom Total/agências

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas