Engenharia Ensaios em Engenharia, Ciência e Sustentabilidade

04/12/2018 | domtotal.com

Novos materiais sustentáveis: redução do consumo de energia nos edifícios

A utilização dos materiais sustentáveis nas construções é fundamental para o progresso sustentável.

A sustentabilidade não se refere apenas aos números financeiros, mas também aos resultados ambientais.
A sustentabilidade não se refere apenas aos números financeiros, mas também aos resultados ambientais. (Pixabay)

Por Flávio Luiz Andrade*

A Engenharia Sustentável busca alinhar as questões do meio ambiente, sociais e econômico-financeiras possibilitando, desta forma, o desenvolvimento sustentável, que é aquele que atende às demandas humanas no presente, sem sacrificar as possibilidades das futuras gerações de atenderem às suas próprias necessidades.  Essa definição surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas, para discutir e propor meios de reduzir os impactos negativos causados a humanidade. Foram propostos 17 objetivos que trazem consigo US$ 12 trilhões em oportunidades para o mundo dos negócios e é a engenharia que vai permitir acessar essas oportunidade.

Seguindo essa linha, os materiais sustentáveis também convergem e se inserem no contexto tríplice de impacto sobre a economia, o meio ambiente e o do consumo energético porque, como fonte renovável, têm numerosos efeitos positivos diretos e indiretos sobre o emprego e alimentam as atividades econômicas ao redor do mundo. A utilização dos materiais sustentáveis nas construções é fundamental para o progresso sustentável.

Um dos maiores desafios que se encontra na introdução desses novos materiais diz respeito à própria sustentabilidade, que se refere não apenas aos números financeiros, mas também aos resultados ambientais.

Ao redor do mundo, pesquisas têm sido realizadas com diversos materiais sustentáveis voltados para a indústria da construção civil, nas mais diferentes áreas. Uma dessas pesquisas, por exemplo, é da Universidade Firat, na Turquia, através do Departamento de Engenharia Industrial, que realizou estudos com materiais de isolamento térmico obtidos com cinzas volantes (Flay Ash – FA), óleo de milho modificado (MCO – Modified Corn Oil), argila (Clay – C) e perlita (P – perlite), apurando dessa forma suas características térmicas e mecânicas.

O objetivo dessa pesquisa foi o de analisar os desempenhos térmico e físico de novos materiais de isolamento de construção com menor coeficiente de condutividade térmica para diminuir a condução térmica em edifícios e, consequentemente, reduzir o consumo de energia.

O resultado desta pesquisa concluiu que o uso do Óleo de Milho Modificado (MCO), utilizado como aglutinante, e das Cinzas Volantes (FA), como material pozolânico[1], pode diminuir a condutividade térmica e produzir um material de construção mais leve. O menor coeficiente de condutividade térmica ajuda a evitar a transferência de calor para os edifícios e a perda de energia.

 A Escola de Engenharia de Minas Gerais – EMGE, alinhada com a questão da sustentabilidade, possui um grupo de iniciação científica focado sobre o tema de Cidades Sustentáveis e que tem pesquisado sobre esses novos materiais na construção civil.

A demanda por energia nos edifícios vem aumentando em um ritmo mais acelerado. Ao adotar práticas como a utilização de novos materiais sustentáveis na construção civil, que permitem a redução do consumo de energia, o resultado é a construção de edifícios energeticamente mais eficientes, que otimizam todos os usos de energia nos mesmos. 

Grandes e atraentes oportunidades existem para reduzir o uso de energia em edifícios, a custos mais baixos e retornos mais altos do que em outros setores.  Isso demonstra que vale a pena investir na pesquisa em novos materiais sustentáveis com essa finalidade.

Diante de recursos limitados que precisam fazer frente à necessidades quase ilimitadas, as inovações trazidas por novos materiais permitem aprimoramentos e ganhos de eficiência, inclusive sob o ponto de vista econômico-financeiro, com imenso potencial para atender à importante missão de levar à sociedade uma infraestrutura cada vez melhor, e como um dos elementos de apoio fundamentais ao desenvolvimento humano.

[1] A cinza volante – FA, uma pozolana popular, pode melhorar as propriedades do concreto, como trabalhabilidade, durabilidade e resistência máxima em concreto endurecido

* Flávio Luiz Andrade, aluno do curso de Engenharia Civil da EMGE.

TAGS


EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Outros Artigos

Não há outras notícias com as tags relacionadas.

Não há artigos para exibir do dia 04/12/2018

Comentários