Esporte Futebol Mineiro

07/01/2019 | domtotal.com

'Capitão América' é apresentado no Galo e revela motivação por novas conquistas

O zagueiro Réver de 34 anos não quer ficar preso às glórias do passado e busca escrever uma "nova história" com a camisa atleticana.

Réver, o Capitão América, quer marcar mais ainda seu nome na história com novas conquistas pelo Galo.
Réver, o Capitão América, quer marcar mais ainda seu nome na história com novas conquistas pelo Galo. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Rever chega para um contrato de três anos
Rever chega para um contrato de três anos Foto (Bruno Cantini / Atlético)

Um dos ídolos da história recente do Atlético, Réver está de volta ao clube. Nesta segunda-feira, o capitão da histórica conquista da Libertadores em 2013 foi oficialmente apresentado como novo reforço do time alvinegro. O zagueiro de 34 anos, no entanto, não quer ficar preso às glórias do passado e busca escrever uma "nova história" com a camisa atleticana.

"O que construímos no Atlético naquele período foi fantástico mas não podemos nos apegar tanto ao que fizemos. O futebol é muito dinâmico. Estou aqui novamente para editar uma nova história, e este é meu maior objetivo e desejo no momento. O que fizemos lá (em 2013) já passou, é legal o reconhecimento, mas o torcedor não quer só isso. Você tem que estar no dia a dia, demonstrando interesse para marcar uma história maior no clube", declarou o Capitão América, como é carinhosamente chamado pela torcida.

Em sua primeira passagem, Réver vestiu a camisa do Atlético entre 2010 e 2014. Além da Libertadores, conquistou a Recopa Sul-Americana e a Copa do Brasil em 2014 e dois títulos mineiros em 2012 e 2013. Mas nem tudo foi alegria naquele período. O zagueiro não escondeu a chateação pela forma como deixou o clube no início de 2015, após uma série de problemas físicos.

"A minha saída foi um momento complicado da minha carreira. Passavam-se muitas coisas na minha cabeça. Fiquei muito chateado pela maneira como as coisas aconteceram. Muitos torcedores perguntavam porque eu tinha saído daquele jeito, até funcionários aqui eu acabei saindo e não os encontrei. Fiquei muito chateado comigo mesmo, não com ninguém. Deveria ter agido de forma diferente. Foi uma lesão que me castigou muito. Vinha de 50 jogos e em 2014 fiz apenas 11. Aí já vem o diabinho na sua cabeça colocar um monte de coisa, e ele acabou conseguindo. Aquele momento foi complicado", disse.

Réver lembrou ainda do emocionante reencontro com a torcida atleticana em 2016, com a camisa do Flamengo, em confronto no Mineirão pelo Campeonato Brasileiro. "A torcida acabou me surpreendendo. No aquecimento, ficou gritando meu nome. Isso me marcou muito, até mesmo para meus companheiros. Fiquei sem reação e não sabia o que fazer para retribuir aquele carinho. No vestiário, diretores e até o treinador ficaram brincando sobre o que tinha ocorrido, nunca tinham visto aquilo. Na minha cabeça, passou um sentimento de amor que é algo inexplicável, e eu lembro desse momento."

Réver foi o primeiro reforço atleticano de 2019 a ser apresentado. Na terça-feira, será a vez do lateral Guga, enquanto o zagueiro Igor Rabello concederá entrevista na quarta. O clube mineiro ainda luta para fechar a contratação do volante Jair, que está no Sport.


Agência Estado/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Mais Lidas
Instituições Conveniadas