Esporte Futebol Mineiro

06/03/2019 | domtotal.com

Torcida enche o Mineirão, mas Galo erra muito e perde para o Cerro com gol irregular

Time do técnico Levir Culpi tem atuação ruim e decepciona a torcida que encheu o estádio mesmo com ingressos caros para a partida no Mineirão.

Ricardo Oliveira não conseguiu marcar pelo segundo jogo seguido na Libertadores.
Ricardo Oliveira não conseguiu marcar pelo segundo jogo seguido na Libertadores. Foto (Giazi Cavalcante / Código19/Gazeta Press)
Diego Churín, jogador do Cerro Porteño, do Paraguai, comemora seu gol com os companheiros de time.
Diego Churín, jogador do Cerro Porteño, do Paraguai, comemora seu gol com os companheiros de time. Foto (Telmo Ferreira / FramePhoto/Gazeta Press)
Galo volta ao Mineirão em noite que torcida enche o estádio apesar dos preços altíssimos dos ingressos.
Galo volta ao Mineirão em noite que torcida enche o estádio apesar dos preços altíssimos dos ingressos. Foto (MOURÃO PANDA / O Fotografico/Gazeta Press)
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores.
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores.
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos.
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos.
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos.
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos.
Mineirão recebeu um ótimo público, apesar dos preços altíssimos dos ingressos. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores.
Lento no ataque, Atlético erra muito no último passe e sai derrotado na estreia na fase de grupos da Libertadores. Foto (Bruno Cantini / Atlético)

A volta do Atlético ao Mineirão não foi como se desejava. Nesta quarta-feira, na sua estreia no Grupo E da Copa Libertadores, o time errou muito, forçando o último passe, e perdeu por 1 a 0 para o Cerro Porteño, com gol irregular, na sua primeira partida como mandante no estádio em mais de 500 dias, deixando a sua torcida, que o encheu apesar do alto preço dos ingressos, decepcionada. 

Classificado à fase de grupos da Libertadores após passar por dois times uruguaios - Defensor e Danubio - nas primeiras fases, o Atlético teve atuação irregular nesta quarta-feira, embora tenha criado muitas chances de gol no começo do primeiro tempo, apoiado pela inspirada atuação de Cazares. 

Mas, com a escalação de três volantes, faltou ações pelas pontas e velocidade para sufocar o Cerro Porteño, que conseguiu se defender bem e acabou sendo preciso para assegurar uma vitória importante. Assim, nem a saída de três jogadores de marcação durante o segundo tempo foi suficiente para evitar a derrota do time, que viu o ataque falhar pelo segundo duelo consecutivo na Libertadores - havia ficado no 0 a 0 com o Defensor no compromisso anterior. 

Em busca da reabilitação na Libertadores, o Atlético vai visitar o Nacional do Uruguai na próxima terça-feira, no Parque Central. Já o Cerro será mandante no dia seguinte contra o Zamora. Antes, no sábado, o time brasileiro vai visitar o Patrocinense, pelo Campeonato Mineiro, com time reserva.

O jogo

O início da partida no Mineirão foi eletrizante. O Atlético se lançou ao ataque, quase marcou no minuto inicial em jogada de infiltração de Elias, mas recebeu o troco na sequência com Nelson Haedo Valdez desperdiçando chance clara e indicando que o Cerro também poderia dar trabalho. 

Mas as ações ofensivas do time paraguaio praticamente ficaram nisso na etapa inicial. E o Atlético demonstrou vontade e um pouco de nervosismo no ataque, tendo prevalecido nas jogadas aéreas, acertado a trave em uma finalização de Cazares e acionado muitas vezes Ricardo Oliveira. Só que não conseguia abrir o placar, até por um gol bem anulado, em cobrança de tiro livre indireto pelo equatoriano, em que a bola entrou no gol sem tocar em nenhum jogador. 

Para essa dificuldade, pesava a falta de alternativas pelas pontas no Atlético. Cazares, o melhor jogador do time na partida, buscava distribuir o jogo com a sua criatividade e habilidade. Mas encontrava poucas alternativas pelos lados, o que tornava o time mais lento e facilitava a marcação do Cerro, que, assim, conseguiu levar o 0 a 0 para o intervalo. 

Segundo tempo

Esse cenário de lentidão se acentuou no começo do segundo tempo, pois Elias e Luan continuavam avançando pouco pelas pontas. E levou Levir a sacar, com poucos minutos, o volante de origem, promovendo a entrada de Chará. Mas exceto por jogadas criadas por Cazares, o Atlético criava pouco, sem conseguir pressionar o Cerro Porteño. 

Com isso, Levir trocou um volante - Jair - por mais uma peça para o setor ofensivo, o meia Nathan, um jogador que inicialmente nem havia sido inscrito pelo Atlético na Libertadores. Só que quem marcou foi o Cerro. Em boa trama, Oscar Ruiz cruzou para Diego Churín, no meio da área e em posição de impedimento não observado pela arbitragem, desviar a bola com a coxa, marcando aos 32 minutos. 

No abafa, o Atlético ficou sem nenhum volante de origem em campo buscou pressionar o Cerro em muitas jogadas aéreas, teve duas chances com Fábio Santos e mais um gol bem anulado, de Ricardo Oliveira. Mas nada que evitasse a derrota por 1 a 0 e as vaias da sua torcida. 

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 0 X 1 CERRO PORTEÑO

ATLÉTICO - Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson (Vinícius), Jair (Nathan), Elias (Chará) e Cazares; Luan e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

CERRO PORTEÑO
Juan Pablo Carrizo; Salustiano Candia, Fernando Amorebieta, Juan Escobar e Santiago Arzamendia; Juan Aguilar, Mathías Villasanti, Oscar Ruíz e Federico Carrizo (Alberto Espínola); Nelson Haedo Valdez (Diego Churín) e Joaquín Larrivey (Hernán Novick). Técnico: Fernando Jubero.

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: Quarta-feira, dia 06 de março de 2019
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Mario Vigliano-ARG
Assistentes: Hernan Maidana-ARG e Gabriel Chade-ARGCartões: Rever, Adilson (Atlético)
Gol: Churín, aos 32 do segundo tempo (Cerro)


Agência Estado/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas