Mundo

12/03/2019 | domtotal.com

Médicos do Mundo denuncia situação humanitária 'insustentável' na Síria

'Como podemos aceitar que a Síria seja o país mais perigoso para os trabalhadores da saúde, com 102 mortos em 2018?', questionou o presidente da MDM, doutor Philippe de Botton.

Combatentes das Forças Democráticas Sírias revistam acampamento provisório de membros do EI nos arredores de Baghuz, em 9 de março de 2019
Combatentes das Forças Democráticas Sírias revistam acampamento provisório de membros do EI nos arredores de Baghuz, em 9 de março de 2019 (AFP)

Oito anos depois do início do conflito, a situação sanitária e humanitária na Síria alcançou "níveis insustentáveis" - denunciou a ONG Médicos do Mundo nesta terça-feira (12).

Em uma declaração emitida no dia da abertura, em Bruxelas, da terceira "Conferência para o Futuro da Síria", a MDM afirma que "as necessidades humanitárias, particularmente em termos de saúde, são imensas para a população civil síria traumatizada, esgotada por um conflito que não para".

A ONG lembrou que "mais de 400.000 pessoas morreram, e 13,2 milhões precisam de ajuda" no país. Dois terços dos trabalhadores de saúde foram embora.

"Como podemos aceitar que a Síria seja o país mais perigoso para os trabalhadores da saúde, com 102 mortos em 2018?", questionou o presidente da MDM, doutor Philippe de Botton.

"Atualmente, 70% dos ataques contra os trabalhadores da saúde em todo mundo acontecem na Síria", completou.

"Depois de oito anos de um conflito terrível, achávamos que já tínhamos visto o pior, mas, com o passar dos anos, a situação se tornou cada vez mais alarmante. A relegação deste tema para um segundo plano na imprensa não deveria nos fazer esquecer da tragédia em curso", acrescentou.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas