Engenharia Ensaios em Engenharia

26/03/2019 | domtotal.com

Para onde caminha a Blockchain

O que muitos executivos ainda estão lutando para enxergar é que o blockchain representa ou pode vir a representar uma mudança fundamental em seus negócios.

Ainda existe um número significativo de céticos que vêem o blockchain como um motor exagerado por trás de um mercado financeiro volátil e desregulado.
Ainda existe um número significativo de céticos que vêem o blockchain como um motor exagerado por trás de um mercado financeiro volátil e desregulado. (Pixabay)

Por Jose Antonio de Sousa Neto*

Este texto é uma breve transcrição de alguns pontos de uma relevante pesquisa global sobre blockchain que foi realizada pela Deloitte Consulting LLP no ano passado (Deloitte em 2018 | Descobertas e insights). Trago mais uma vez a discussão para este espaço não apenas por sua relevância, mas como um ponto de atenção sob uma perspectiva estratégica para o mercado, empresas, startups e formuladores de políticas públicas. Há pouco tempo já havíamos tratado do tema blockchain e sustentabilidade e sobre várias  oportunidades para pesquisa e desenvolvimento tecnológico relacionados a este assunto.

A pesquisa sobre as práticas globais de blockchain foi encomendada pela Deloitte em março e abril de 2018, principalmente como um veículo de investigação e análise para obter mais insights sobre as atitudes e investimentos gerais no blockchain como uma tecnologia. A publicação dos destaques da pesquisa reflete as opiniões e percepções sobre blockchain e o possível impacto da tecnologia no futuro. A pesquisa foi realizada com executivos com experiência global e é um dos principais indicadores de para onde e como a aplicação da technologia blockchain (DLT- Distributed Ledger Technology) está se dirigindo. A amostra foi composta de 1.053 executivos seniores em sete países (Canadá, China, França, Alemanha, México, Reino Unido e Estados Unidos). ) em empresas com US$ 500 milhões ou mais em receita anual. Embora o blockchain não esteja pronto para o horário nobre, ele parece estar cada vez mais próximo de seu "momento de virada". Os executivos que pesquisados pela Deloitte têm visões pragmáticas e parecem preparados para fazer alguns movimentos importantes ao longo de um futuro bem próximo.

Como ainda estamos no início do desenvolvimento do blockchain, esses ajustes no começo e em sua maturação não são surpreendentes. Enquanto os executivos do setor de serviços financeiros, por exemplo, estão liderando o uso do blockchain para reexaminar processos e funções que permaneceram estáticos por décadas, seus equivalentes em outros setores permanecem mais reservados à medida que trabalham para desenvolver casos de uso apropriados para blockchain. Ao mesmo tempo, há um número crescente de disruptores emergentes em cada setor, desafiando modelos tradicionais de negócios com o uso de blockchain.  Quando investigado de uma maneira mais profunda em seu núcleo, blockchain é realmente apenas um sofisticado sistema de contabilidade. É uma tecnologia versátil que pode registrar transações financeiras, armazenar registros médicos ou até rastrear o fluxo de mercadorias, informações e pagamentos por meio de uma cadeia de suprimentos. Embora possa oferecer mais segurança e, em alguns casos, anonimato, a verdade é que, por si só, o blockchain não faz nada a não ser que esteja emparelhado com um caso de uso sólido, no qual pode servir como uma espécie de Trust-as- a-Service (TaaS) para os participantes do ecossistema. Em última análise, é mais um facilitador de modelo de negócios do que uma tecnologia.

O que muitos executivos (e empreendedores - grifo meu) ainda estão lutando para enxergar, no entanto, é que o blockchain representa ou pode vir a representar uma mudança fundamental em seus negócios. O que continua importante para esses executivos (e empreendedores - grifo meu) reconhecer é a primeira regra da adoção do blockchain: essa é uma mudança no modelo de negócios em que as empresas precisam se concentrar em mais do que apenas uma sólida prova de conceito para implementação. Como o blockchain, quando corretamente implementado, deve mudar fundamentalmente como uma empresa ou organização (grifo meu) opera, ele afeta toda a organização, criando novas implicações fiscais e cibernéticas, juntamente com uma variedade de questões de governança e regulamentação que precisam ser abordadas.

Desde os primeiros dias, quando os automóveis movidos a vapor e a gás começaram a substituir o cavalo e a carruagem, os novos avanços tecnológicos sempre capturaram a atenção do público, mesmo em momentos em que ainda não estavam prontos para uma implementação plena. Entre o público em geral, os primeiros adeptos, como os comerciantes de criptomoedas, ajudaram a trazer a notoriedade dominante ao blockchain.  Apesar disso, no entanto, ainda existe um número significativo de céticos que vêem o blockchain como um motor exagerado por trás de um mercado financeiro volátil e desregulado.

Jason Bloomberg, fundador e presidente da Intellyx e colabotador da Forbes disse que a verdadeira inovação está no desenvolvimento de “modelos de negócios essenciais que podem realmente agregar valor real aos negócios” graças às tecnologias blockchain. Em suma, o único erro real que as organizações podem incorrer em relação ao blockchain neste momento é não fazer nada. Mesmo sem um business case completamente sólido para implementar, acredita-se que as organizações devem, no mínimo, ficar de olho no blockchain para que possam aproveitar as oportunidades quando se apresentarem. Como aconteceu no desenvolvimento da Internet em momento anterior, o blockchain ainda está, de muitas maneiras, procurando bases sólidas fora dos primeiros adeptos / usuários. Em meados da década de 1990, a Internet ainda era uma curiosidade, prejudicada por velocidades de conexão lentas e protocolos díspares que muitas vezes tornavam a navegação na Web mais frustrante do que benéfica para qualquer pessoa, exceto para os usuários mais dedicados.

Apenas 10 anos depois, no entanto, a Internet não só se tornou uma ferramenta global  e onipresente de negócios, mas realmente mudou a forma como os negócios passaram a ser conduzidos, levando ao surgimento de empresas baseadas na web como a Amazon que permitem que os usuários peçam o que quiserem. em qualquer lugar que eles quiserem - com apenas alguns cliques. Em muitos casos, essas empresas estão mostrando como o blockchain está mudando a natureza do que representam as transações e eliminando muitas restrições do passado, permitindo novas formas de comércio para todos os setores e mudando a forma como os consumidores e empresas percebem uma transação ou proposta de valor da empresa.

No final das contas

Uma das chaves que vemos retendo o blockchain é exatamente como a maioria das pessoas e organizações o vêem e ao seu potencial para redefinir seus negócios. Especificamente, as organizações devem parar de considerar o blockchain como uma "nova" tecnologia, porque na verdade não é. Assim como a Uber alcançou o sucesso construindo um caso de negócios único ao combinar três tecnologias e protocolos existentes (automóveis, reservas online e pagamentos on-line) em um novo modelo disruptivo que mudou o transporte público, blockchain mantém a mesma promessa de negócios em vários setores . Como Nolan Bauerle, por outro lado, argumentou em seu artigo CoinDesk, “O que é a tecnologia blockchain?”, Blockchain é “a orquestração particular de três tecnologias (Internet, criptografia de chave privada e protocol governing incentivation)” que resultou em um sistema seguro para interações digitais sem a necessidade de um terceiro confiável para facilitar as relações digitais. Em outras palavras o blockchain em si não é uma tecnologia nova, mas cria oportunidades para inúmeras aplicações e desenvolvimentos tecnológicos com potencial de profundo impacto econômico e por extensão também social (grifo meu).

Sob essa ótica, as organizações podem parar de desperdiçar tempo e esforço focando na tecnologia em si e, em vez disso, se concentrarem em identificar áreas de fricção e processos ultrapassados que podem se beneficiar da democratização da confiança e da capacidade de verificar com mais segurança a autenticidade de ambos os e transações digitais B2B e B2C.  À medida que mais organizações colocam seus recursos humanos e financeiros no blockchain e percebem melhor como podem melhorar seus processos de negócios e seus resultados, espera-se que o blockchain ganhe tração significativa à medida que sua redução de custos, vantagens competitivas e benefícios de ROI (return on investment - retorno sobre investimento) se tornem mais pronunciados.

A visão ao longo da estrada adiante é inspiradora. O blockchain é visto permitindo um nível completamente novo de troca de informações dentro e entre setores. À medida que as conexões são feitas entre o blockchain e outras tecnologias emergentes, particularmente a nuvem e a automação, vemos o potencial do blockchain para ajudar as organizações a criar e realizar novos valores para empresas além de qualquer coisa que possamos imaginar com as tecnologias existentes.

Apenas com o intuito de dar uma macro visão da amplitude que este tema já alcançou reproduzo abaixo cinco perguntas respondidas pelos executivos (A visão completa dos resultados e sua análise estão no documento Breaking blockchain open - Deloitte’s 2018 global blockchain survey). Como dito anteriormente os entrevistados são executivos de nível sênior e experiência global em empresas de grande porte em uma grande variedade de setores:

P: Em qual das seguintes indústrias a organização para a qual você trabalha primariamente opera?

. Serviços Financeiros: 23%

. Tecnologia / Mídia / Telecomunicações: 18%

. Produtos de Consumo e manufatura: 14%

. Cuidados de Saúde: 11%

. Outro: 10%

. Petróleo e Gás: 7%

. Automotivo: 6%

. Ciências da Vida (incluindo Biotecnologia, Dispositivos Médicos e Farma): 5%

. Setor Público: 4%

. Comida: 3%

P. Qual é o seu nível de concordância ou desacordo com cada uma das seguintes afirmações sobre a tecnologia blockchain?

. A tecnologia Blockchain é amplamente escalável e, eventualmente, alcançará a adoção predominante: 84%

. Fornecedores, clientes e / ou concorrentes estão discutindo ou trabalhando em soluções blockchain para enfrentar desafios na cadeia de valor: 77%

. A equipe executiva acredita que há um caso atraente de negócios para o uso da tecnologia blockchain:

  74%

. Planejando substituir os atuais sistemas de registro (por exemplo, registros financeiros, módulos CRM e

  ERP, sistemas de rastreamento de inventário, etc.) com blockchain: 69%

. Perderá uma vantagem competitiva se não adotarmos a tecnologia blockchain: 68%

. A tecnologia Blockchain vai atrapalhar nossa indústria: 59%

. Blockchain é overhyped: 39%

Porcentagem de respondentes que concordam de alguma forma / fortemente com as declarações. Porcentagens iguais a mais de 100%, porque os entrevistados puderam enviar mais de uma resposta. N = 1.053 (global)

P: A tecnologia Blockchain criará uma "ruptura" no setor da minha organização - Qual é o seu nível de concordância ou discordância com essa afirmação relacionada à tecnologia blockchain?

. Automotivo: 73%

. Petróleo e Gás: 72%

. Ciências da Vida (incluindo Biotecnologia, Dispositivos Médicos e Farma): 72%

. Serviços Financeiros: 64%

. Produtos de Consumo e Fabricação: 56%

. Cuidados de Saúde: 55%

. Tecnologia / Mídia / Telecomunicações: 53%

. Comida: 50%

. Outro: 46%

. Setor Público: 46%

Percentual de respondentes que concordam de alguma forma / fortemente com as declarações

P. Qual das alternativas a seguir descreve melhor como sua organização atualmente vê a relevância do blockchain para sua organização?

. Crítico - nas nossas 5 principais prioridades estratégicas: 43%

. Importante, mas não entre as 5 principais prioridades estratégicas: 29%

. Prioridade relevante, mas não estratégica: 21%

. Não será relevante: 4%

. Incerteza / sem conclusão: 4%

Nota: alguns totais podem não totalizar 100% devido a arredondamentos. N = 1.053 (global)

P. Qual dos seguintes casos de uso de blockchain sua empresa está trabalhando?

. Cadeia de suprimentos: 53%

. Internet das coisas: 51%

. Identidade digital: 50%

. Registros digitais: 44%

. Moeda digital: 40%

. Pagamentos: 30%

. Votação: 12%

. Nenhum: 4%

. Outro / inseguro: 2%

Porcentagem de respondentes que estão trabalhando nos casos de uso selecionados. Porcentagens iguais a mais de 100%, porque os entrevistados puderam enviar mais de uma resposta N = 1.053 (global)

Ao leitor que se perguntar  qual é a minha intenção ao transcrever para este espaço alguns trechos e partes da pesquisa da Deloitte minha resposta é simples. Se nós aqui no Brasil (empresas, organizações, governos, formuladores de políticas públicas e academia) não ficarmos atentos e dar a importância devida a este tema vamos perder mais uma vez o bonde da história e as oportunidades que ele traz.

*Jose Antonio de Sousa Neto é professor da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE)

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas