Brasil Política

29/03/2019 | domtotal.com

VÍDEO: deputada de 25 anos enquadra ministro da Educação

'Saio decepcionada com sua incapacidade de apresentar uma proposta. É um desrespeito, não só à Educação, mas ao Brasil como um todo', disse a deputada.

A deputada  cobrou dados do ministro por duas vezes e, diante de respostas que considerou evasivas, pediu que deixasse a pasta.
A deputada cobrou dados do ministro por duas vezes e, diante de respostas que considerou evasivas, pediu que deixasse a pasta. (Agência Câmara e Agência Brasil)

O ministro da Educação Ricardo Vélez Rodríguez, que balança no cargo, esteve em reunião na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e foi bastante criticado, mesmo levando assessores, que a toda hora o auxiliavam. Deputados classificaram suas respostas como vagas.

Num dos embates, o responsável pela Educação no Brasil foi literalmente enquadrado pela deputada estreante Tabata Amaral (PDT-SP). As interpelações da parlamentar de 25 anos, cientista política formada em Havard, causou repercussão nas redes sociais e virou um dos assuntos mais comentados do Twitter. A pedetista chegou a sugerir a saída de Vélez do cargo.



“Já se passaram três meses e em um trimestre não é possível que o senhor apresente um Power Point com dois, três desejos para cada área da Educação. Onde estão os projetos, as metas, quem são os responsáveis? Isso não é um projeto estratégico. Isso é uma lista de desejos. Eu quero saber onde eu encontro esses projetos? Quando cada um começa a ser implementado? Quando serão entregues? Quais são os resultados esperados? São três meses e a gente consegue fazer mais do que isso", disparou.

A deputada  cobrou dados do ministro por duas vezes e, diante de respostas que considerou evasivas, pediu que deixasse a pasta. "O senhor não tem respostas. O senhor vem aqui sem dados. É um desrespeito ao Brasil. O senhor não sabe o que está acontecendo." Vélez rebateu. "Se a senhora não espera resposta, por que faz perguntas?".

“Saio da reunião extremamente decepcionada com sua incapacidade de apresentar uma proposta. É um desrespeito, não só à Educação, não só ao ministério, não só ao Parlamento, mas ao Brasil como um todo”, disse a deputada.

Filha de um cobrador de ônibus e de uma bordadeira e diarista, Tabata deixou a periferia de São Paulo para cursar astrofísica e ciência política na Universidade de Harvard, uma das mais prestigiadas do mundo. De volta ao Brasil, ajudou a fundar os movimentos Acredito, que prega renovação nas práticas políticas, e Mapa Educação, voltado para a melhoria da educação. No ano passado decidiu disputar, com sucesso, sua primeira eleição.


DomTotal e Congresso em Foco

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas