Brasil Cidades

08/04/2019 | domtotal.com

A plástica dos gêmeos

Conheça a história dos gêmeos médicos, univitelinos.

Os gêmeos são filhos de um médico competentíssimo, desses clínicos que se especializavam em todos os ramos da medicina.
Os gêmeos são filhos de um médico competentíssimo, desses clínicos que se especializavam em todos os ramos da medicina. (Pixabay)

Por Afonso Barroso*

Conheço dois irmãos que, além de irmãos, são gêmeos. Além de gêmeos, univitelinos. Além de univitelinos, médicos. E além de médicos, cirurgiões plásticos. Fizeram a mesma especialidade da medicina, um na UFMG, o outro na Faculdade de Ciências Médicas. São rigorosamente iguais em tudo: na aparência, nas vozes, no jeito de falar, e acho até que de pensar e agir.

A história desses dois irmãos começou numa pequena cidade do Vale do Rio Doce, na região do Contestado.

(Ganhou esse nome, Contestado, porque era palco de longa demanda, uma pendenga judicial entre Minas e Espírito Santo, quando os dois estados reivindicavam a posse da extensa área. O litígio só terminou com a demarcação das terras e definição da divisa pela Justiça. Mas isso não interessa na nossa história. Por favor, apague ou esqueça este parágrafo entre parênteses).

Os gêmeos são filhos de um médico competentíssimo, desses clínicos que se especializavam em todos os ramos da medicina, capazes de curar uma pneumonia, extirpar um panarício ou operar um fígado crivado de balas. Decidiu fazer médicos seus quatro filhos. Dois se tornaram oftalmologistas e os gêmeos optaram pela cirurgia plástica.

Esse “doutor da mula russa”, típico clínico geral do interior, tem histórias dignas de nota e de crônica. Histórias que ele mesmo conta. Gostava de tomar uma cervejinha, aliás, muitas cervejinhas, e de cantar. Cantava principalmente sambas do estilo Adoniran Barbosa ou Ataulfo Alves, acompanhado por algum violonista da cidade e batendo pandeiro. Nos fins de semana, passava noitadas na casa da sogra, onde se reuniam filhos e genros para saraus que entravam noite a dentro.

A história que conto agora aconteceu numa dessas noites. Já passava de uma hora da madrugada, ele estava já pra lá de Marrakesh depois de várias garrafas de cerveja, quando foi chamado com urgência ao hospital. Saiu pedindo que o esperassem. Uma hora e meia depois, chegou ele contando que extraíra duas balas do abdômen de um pistoleiro, com dois policiais guardando a porta da sala de cirurgia. Parece que ele não vai morrer, informou. E retomou seu pandeiro, seus sambas e suas cervejas, como se nada tivesse acontecido.

Mas voltemos aos seus filhos gêmeos. Disse que são iguais em tudo? Pois saibam que o são também quando operam. Trabalham juntos. Sempre juntos no reparo e moldura de narizes, na reposição de cabelos perdidos pelos carecas, na reforma, redução ou aumento de seios, no aperfeiçoamento de faces e pernas e barrigas.

Chamam-se Vítor e Sérgio. Moram em uma cidade próxima de Belo Horizonte. Não tenho conhecimento de algum outro lugar no mundo onde a cirurgia plástica é oferecida com essa garantia dupla e univitelina de qualidade.

*Afonso Barroso é jornalista, redator publicitário e editor

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Mais Lidas
Instituições Conveniadas