Brasil Cidades

09/04/2019 | domtotal.com

Três mortes e caos com fortes chuvas no Rio de Janeiro

Capital carioca teve 'estado de crise' decretado pelas autoridades; em apenas quatro horas choveu 70% do que o esperado para todo o mês de abril em alguns pontos da cidade.

Os bombeiros utilizaram botes para resgatar pessoas ilhadas em diversos pontos.
Os bombeiros utilizaram botes para resgatar pessoas ilhadas em diversos pontos. Foto (Lucas Landau/Reuters)
Homem tenta chegar a um ônibus no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, em meio à forte chuva.
Homem tenta chegar a um ônibus no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, em meio à forte chuva. Foto (AFP)

As fortes chuvas que caem desde a tarde dessa segunda-feira provocaram o caos nas ruas do Rio de Janeiro, matando ao menos três pessoas e deixando centenas de carros sob as águas. Duas das vítimas fatais morreram em um deslizamento no Morro da Babilônia, no Leme, zona sul da cidade.

Segundo a Polícia Militar, um homem morreu na Gávea, na zona sul do Rio, a principal região atingida pelo temporal desta segunda-feira. Testemunhas citadas pelo site de notícias G1 revelaram que o homem foi arrastado pela correnteza e morreu afogado.

Imagens divulgadas pelas TVs locais mostraram carros sendo arrastados, árvores arrancadas, ruas da zona sul completamente inundadas, e o caos total no trânsito.

Os bombeiros utilizaram botes para resgatar pessoas ilhadas em diversos pontos.

Parte da ciclovia Tim Maia, inaugurada para os Jogos Olímpicos de 2016, cedeu, como já havia ocorrido em outras duas ocasiões.

As autoridades da capital carioca declararam "estado de crise", o mais elevado de três níveis de alerta de risco.

Há previsão de que a chuva prossiga até na manhã desta terça-feira e as autoridades recomendam que a população só saia de casa "em caso de extrema necessidade". Os serviços de trem e metrô não foram interrompidos.

Em entrevista, o prefeito Marcelo Crivella declarou que a chuva desta segunda-feira foi "completamente atípica". "Sempre temos a previsão de chuvas fortes, mas não com esta intensidade".



A prefeitura do Rio anunciou a suspensão das aulas na rede pública nesta terça.

Há dois meses, outro forte temporal acompanhado de fortes ventos matou seis pessoas e colocou a cidade em "estado de crise".

Alerta Rio

De acordo com dados do Alerta Rio, o sistema de monitoramento meteorológico da prefeitura do Rio, o volume de chuva acumulado em apenas quatro hora na noite dessa segunda foi até 70% maior do que o esperado para todo o mês de abril em alguns pontos dessas regiões.

Na zona oeste, a estação medidora da Barrinha registrou 212 milímetros de chuva entre as 18h e as 22h. No mesmo período, na zona sul, choveu 168 milímetros em Copacabana, 164 na Rocinha e 149 no Jardim Botânico.

As sirenes de alerta para risco de deslizamento de terra foram acionadas em 21 das 103 comunidades monitoradas pela Defesa Civil Municipal. Mas, segundo moradores, o alarme não chegou a ser acionado no Morro da Babilônia porque estava faltando energia na comunidade no momento do temporal.

A chuva também provocou o desabamento de mais um trecho da Ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer. Desta vez, a parte que caiu fica próxima do bairro de São Conrado. O desabamento ocorreu por volta das 22h, quando a via já estava fechada. Foi  o quarto incidente desse tipo desde a inauguração da ciclovia, em janeiro de 2016. Um deles foi causado por ondas, durante uma ressaca, e três por temporais.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas