Religião

12/04/2019 | domtotal.com

Freiras fomentam agricultura orgânica e melhoram a vida dos pobres no campo.

Congregações religiosas femininas estão mudando a vida de famílias pobres em zonas rurais no Vietnã. Elas estão fomentando a agricultara orgânica.

As pessoas compram hortaliças orgânicas em frente a um convento da Congregação da Rainha Maria da Paz, na cidade de Buon Ma Thuot.
As pessoas compram hortaliças orgânicas em frente a um convento da Congregação da Rainha Maria da Paz, na cidade de Buon Ma Thuot. (Reprodução/ Joachim Pham/ Global Sisters Report)

Por Joachim Pham*

Hue, Vietnã - Mary Tran Thi Thu está ocupada todos os dias regando, capinando, cultivando e fertilizando os canteiros de hortaliças em sua fazenda de cerca de 3.000 metros quadrados.

Thu, de 52 anos, usa armadilhas para matar insetos e borboletas à noite e pega lagartas manualmente para evitar que se alimentem das plantações.

Ela faz fertilizantes orgânicos, misturando fezes de porco com folhas secas, restolho de arroz, cascas e cal antes da compostagem.

Thu disse que vende cerca de 100 quilos de espinafre, ervilhas, quiabo, amaranto, centella asiática, houttuynia, cabaças, batata-doce e cogumelos para as populações locais e creches todos os dias. Seus vegetais custam de 6.000 a 12.000 dong (R$1 a R$1,99) por quilo.

"As pessoas preferem nossos produtos orgânicos porque não usamos pesticidas e fertilizantes artificiais para vegetais", diz ela.

"Estamos felizes que nós pagamos 25 milhões de dongs (R$ 4.146) que emprestamos do banco para construir nossa casa", disse Thu.

"Como católicos, cultivamos produtos orgânicos frescos para o bem comum em vez de interesses privados", diz ela, acrescentando que eles têm que trabalhar mais do que outros agricultores da região que usam produtos químicos para plantar verduras para clientes de varejo.

Ela também cria aves e suínos e os alimenta com arroz, mandioca (semelhante àquela da qual se extrai a tapioca), pedaços de tronco da bananeira e vegetais. Vende uma dúzia de porcos por ano.

Qui está entre as 40 agricultoras que fornecem hortaliças limpas para as creches locais. Elas são da paróquia de Thanh Trung no distrito de Quang Dien da Província de Thua Thien Hue, no Vietnã.

As Filhas de Nossa Senhora da Visitação na pessoa da irmã Mary Elizabeth Duong Thu Huong, que criou um grupo de agricultores em 2015, disse que eles "pretendem cultivar vegetais, raízes, feijões e frutas sem o uso de inseticidas e produtos químicos para proteger o ambiente da poluição por meio dessas substâncias tóxicas e cuidar da saúde das pessoas".

Huong disse que ensina como fazer fertilizantes naturais de lama, folhas, restos e excremento de animais, a controlar pragas de insetos e a escolher vegetais adequados para o clima e os solos da região.

O Vietnã usa 100.000 toneladas de herbicidas e pesticidas para agricultura por ano, informou o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nguyen Xuan Cuong, em maio passado. Os agricultores abusam agressivamente desses agrotóxicos, causando um desequilíbrio na ecologia e envenenando fontes de água e solos.

Em 2018, o país registrou 164.670 novos casos de câncer e 114.870 mortes por câncer, de acordo com o banco de dados Globocan sobre mortalidade por câncer no mundo. Uma das principais causas é o alimento contaminado pelo uso excessivo de produtos químicos.

A irmã Marie Nguyen Thi Hiep, das Filles de Marie Immaculée, no convento de Phuong Tay, diz que sua congregação também oferece às mulheres locais formas de cultivar vegetais em barris de plástico ou espuma em locais afetados pela mudança climática.

"Também pedimos aos benfeitores que ofereçam o capital que precisam 20 famílias locais, 5 milhões de dong [215 dólares] cada um, a fim de que elas possam criar aves e gado e cultivar vegetais para ganhar a vida", diz.

A irmã Mary Tran Thi Hien, também Filles de Marie Immaculée, que reuniu 26 agricultores para cultivar verduras limpas na paróquia de Xuan Thien em 2014, diz que os encorajou a seguir os métodos tradicionais de agricultura orgânica, dando a cada agregado familiar sementes de legumes e dois leitões.

Hien diz que os fazendeiros locais levam uma vida de escassez. Então, quando têm colheitas ruins, endividam-se, deixando casas e fazendas para coletar itens usados e trabalhar em canteiros de obras para ganhar a vida.

"Muitas pessoas melhoram suas vidas graças aos produtos orgânicos que os consumidores adoram comprar", diz ela. Eles fornecem cultivo orgânico, aves e suínos para creches católicas e moradores locais.

"Uma vez que as pessoas estejam cientes de fazer produtos agrícolas limpos, estarão cientes de assumir a responsabilidade pela proteção da saúde da comunidade", diz Hien.

Hien também apontou que muitas pessoas abusam de produtos químicos e pesticidas porque não são educadas sobre os efeitos nocivos que os produtos químicos têm sobre a saúde humana e o meio ambiente, e se concentram em buscar lucros imediatos.

Ela diz que as Irmãs da Congregação das Filhas de Maria Imaculada, também conhecidas como as irmãs marianistas, treinaram 17 paróquias no cultivo de hortaliças orgânicas, preservando bem os alimentos, fornecendo água potável para outras pessoas e prevenindo-as de doenças causadas pela mudança climática.

Hien diz que as irmãs nas áreas rurais cultivam hortaliças limpas no complexo dos conventos para suas próprias necessidades, enquanto as comunidades religiosas nas cidades não têm espaço suficiente para fazê-lo.

A irmã Mary Nguyen Thi Thuan, da Congregação da Maria Rainha da Paz, com sede na cidade de Buon Ma Thuot, diz que as irmãs cultivam hortaliças em fazendas ao redor de seus conventos para fornecer comida e vender 100 quilos ou mais de legumes por dia para lojas e pessoas locais.

Thuan diz que também fornecem vegetais limpos para um negócio na cidade de Ho Chi Minh.

"Alguns fazendeiros locais visitam nossas fazendas, aprendem como fazer agricultura orgânica e aplicam esses métodos em suas próprias fazendas", disse. "As pessoas estão interessadas em métodos de agricultura orgânica".

James Dang Thanh Hoa, da Xuan Thien Parish, diz que cultiva vegetais orgânicos para salvaguardar a saúde de sua família e de outros.

Hoa diz que colhe 150 quilos de vegetais por dia e não tem produtos suficientes para fornecer às lojas locais, mercados ou shoppings, que exigem quantidades mais massivas.

"Estamos felizes porque mais e mais pessoas de outros lugares vêm para comprar nossos produtos agrícolas frescos", disse ele.

*Joachim Pham é correspondente do Global Sisters Report no Vietnã.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas