Direito

17/04/2019 | domtotal.com

De férias, Raquel Dodge se manifestou pelo arquivamento do 'inquérito censura'

Mesmo estando em recesso, ela tem a prerrogativa de se posicionar em qualquer situação.

Houve quem observasse que faltou uma defesa enfática à liberdade de imprensa na manifestação de Raquel Dodge.
Houve quem observasse que faltou uma defesa enfática à liberdade de imprensa na manifestação de Raquel Dodge. (Paulo Matos/TV Brasil/ABr)

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enfrentou seu momento mais tenso no cargo bem longe do gabinete em Brasília. A manifestação que deixou o Supremo Tribunal Federal em suspense por cerca de quatro horas veio dos Estados Unidos, onde Raquel curte alguns dias de férias.

Mesmo em recesso, a procuradora-geral da República tem a prerrogativa de responder em qualquer situação. Assim o fez. Numa canetada, ela se posicionou pelo arquivamento do inquérito aberto pelo presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, para investigar fake news e a divulgação de mensagens nas redes sociais que atentem contra a honra dos ministros.

Não foi um ato impensado. As discussões sobre que medida tomar começaram na segunda-feira, 15. Depois de fazer contatos com a cúpula da Procuradoria, como o vice-procurador geral Luciano Mariz Maia, Raquel decidiu por assinar a manifestação que pede o fim do inquérito e a anulação das provas colhidas e das medidas determinadas pelo relator, Alexandre de Moraes. Algo que, horas depois, foi ignorado pelo ministro e pelo presidente do Supremo.

Raquel vinha fiel ao seu estilo de não se posicionar publicamente. Sua única atuação neste caso, até agora, tinha se limitado a um pedido de informações à Corte, o que foi sumariamente ignorado e considerado "pouco" pelos seus pares diante de tantas polêmicas envolvendo o inquérito contra fake news.

Disputa

Indicada para a Procuradoria pelo ex-presidente Michel Temer, Raquel tem mandato até setembro. A disputa é acirrada e as apostas são de que ela não deverá ser reconduzida pelo presidente Jair Bolsonaro, embora esteja na corrida para ocupar a chefia do Ministério Público por mais dois anos. Bolsonaro não descarta indicar um membro do Ministério Público Militar, o que quebraria uma tradição no órgão.

Ao atuar de forma mais incisiva nessa terça-feira, 16, Raquel ganhou pontos entre seus colegas procuradores. Mas houve quem observasse que faltou uma defesa enfática à liberdade de imprensa na sua manifestação. Por determinação do inquérito que ela tentou anular, dois órgãos de imprensa tiveram uma reportagem retirada do ar. Raquel voltará ao Brasil no domingo e, até lá, deve decidir se vai recorrer do "contra-ataque" do STF. 


Agência Estado/Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas