Religião

18/04/2019 | domtotal.com

Papa Francisco lava os pés de 12 presidiários, um deles brasileiro

Pontífice realiza gesto pela quinta vez seguida numa unidade prisional nos arredores de Roma. 'Cada um de nós deve ser servidor do outro: é a regra de Jesus e do Evangelho', declarou.

Papa Francisco beija os pés de um detento na prisão de Velletri, arredores de Roma, durante a celebração da Quinta-feira Santa, em imagem difundida pelo serviço de imprensa do Vaticano, em 18 de abril de 2019
Papa Francisco beija os pés de um detento na prisão de Velletri, arredores de Roma, durante a celebração da Quinta-feira Santa, em imagem difundida pelo serviço de imprensa do Vaticano, em 18 de abril de 2019 (VATICAN MEDIA/AFP)

O papa Francisco celebrou pela quinta vez a missa da Quinta-feira Santa em uma penitenciária, onde lavou os pés de doze presidiários, um deles brasileiro, um gesto de "fraternidade" e "serviço".

Em sua chegada, o pontífice foi muito aplaudido pelos cerca de 200 detentos da prisão de Velletri, no subúrbio do sudeste de Roma, que conta no total com 600 presidiários e 200 carcereiros.

Depois de uma rápida homilia improvisada, o papa de 82 anos se ajoelhou, ajudado por dois assistentes, para lavar e beijar os pés de doze detentos (além do brasileiro, nove italianos, um marfinense e um marroquino).

O papa lembrou que beijar os pés é um gesto antigo reservado aos "escravos" para receber o visitante que chegava à casa de seu senhor. Ele aconselhou todos os detentos a repetirem entre si este gesto de "fraternidade", que hoje também é praticado pelos bispos.

"Cada um deve ser o servidor dos outros", "o maior tem que servir o menor", afirmou, insistindo em que se abandone "o gesto de dominar, fazer mal, humilhar os outros".

A Igreja, prosseguiu o Papa, pede que este mesmo gesto seja repetido pelo menos uma vez ao ano para imitar Jesus.

“ O bispo não é o mais importante, é o mais servidor e cada um de nós deve ser servidor do outro: é a regra de Jesus e do Evangelho: a regra do serviço, não do dominar, machucar, humilhar os outros. ”

Quando os apóstolos discutiam entre si sobre quem era o mais importante, Jesus respondeu apresentando uma criança e dizendo que é preciso ter o coração humilde, mas servidor. Jesus adverte que os chefes das nações dominam, mas entre os apóstolos não pode ser assim.

“O maior deve servir o menor, quem se sente maior deve ser servidor. Todos devemos ser. Na vida há problemas, brigamos entre nós, mas isso é passageiro, porque no nosso coração deve ter este amor de servir o outro, estar a serviço dos outros. Este gesto de hoje seja para todos nós, que nos ajude a sermos mais servidores uns dos outros, mais irmãos no serviço.”

Quinta-feira Santa

Foi a quinta vez o Papa celebrou a Missa da Ceia do Senhor em um Instituto Penal. Em 2013, Francisco foi ao Cárcere de Menores de Casal del Marmo, em 2015 no Cárcere de Rebibbia, 2017 no presídio de Segurança Máxima de Paliano e no ano passado no Cárcere de Regina Coeli.

Esta manhã, o papa Francisco presidiu, na basílica de São Pedro, a tradicional missa crismal, na qual se abençoa o óleo santo que servirá para a celebração de outros sacramentos durante o ano.

Durante esta missa, diante de prelados e religiosos de Roma, Francisco afirmou: "Não somos distribuidores de óleo engarrafado". "Fazemos a unção, sujando as mãos ao tocar as feridas, os pecados, a angústia do povo", disse o papa.


AFP e Vatican News

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas