Direito Direito Internacional

30/04/2019 | domtotal.com

Começa na Argentina 'megaprocesso' contra crimes da ditadura

Ao todo, 11 processos foram reunidos em apenas um, que contempla casos de 323 vítimas da ditadura local, que perdurou de 1976 a 1983.

Fachada da Escola de Mecânica da Armada (ESMA), centro de detenção clandestino mais emblemático da ditadura argentina, em Buenos Aires.
Fachada da Escola de Mecânica da Armada (ESMA), centro de detenção clandestino mais emblemático da ditadura argentina, em Buenos Aires. (AFP/Arquivos)

Onze processos por crimes da ditadura argentina, que incluem desaparecimentos de mulheres grávidas e ex-funcionários da multinacional Mercedes Benz, foram reunidas em um único processo, que teve início nesta segunda-feira (29) em Buenos Aires e deve terminar em um ano.

Conhecido como "o megaprocesso", ele aglutina casos de 323 vítimas que passaram pelo quartel militar do Campo de Maio, o mais importante do Exército, onde funcionaram quatro centros clandestinos de detenção durante a ditadura (1976 a 1983).

"Este é um megaprocesso, um grande julgamento, no qual estão sendo integrados muitos casos que tinham uma grande demora nos julgamentos, sobretudo porque houve muitas dificuldades para chegar ao tribunal", explicou à AFP Pablo Lachener, advogado que representa a organização de Avós da Praça de Maio.

Várias das vítimas eram ativistas sindicais de fábricas localizadas no cordão industrial ao norte de Buenos Aires, entre elas a da Mercedes Benz.

Ao todo, há 22 acusados, entre militares e policiais, a maior parte deles já condenados em julgamentos anteriores.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas