Direito Direitos Humanos

11/05/2019 | domtotal.com

Não sou contra, se estiver com pai e mãe, diz Damares sobre menor praticar tiro

Decreto polêmico de Bolsonaro permite que menores de 18 anos atirem em clubes de tiros.

Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não vê problema em criança praticar tiros
Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não vê problema em criança praticar tiros (Carolina Antunes/PR)

Após o presidente Jair Bolsonaro assinar um decreto permitindo que crianças e adolescentes pratiquem tiro esportivo sem autorização judicial, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse não ser contra a medida e falou que a ideia não nasceu "na cabeça" do presidente, mas na demanda de famílias.

Ela declarou acreditar que não haverá uma grande procura de famílias no Brasil para que menores de 18 anos aprender a atirar. De acordo com o decreto presidencial, menores de 18 anos de idade poderão atirar em clubes voltados para a prática apenas com a autorização de um de seus responsáveis legais. Antes disso o tiro desportivo para esse público só era permitido com aval de um juiz.

"Não é uma criação nossa, não nasceu na cabeça do presidente. É uma demanda reprimida, famílias estavam querendo isso há muito tempo", disse Damares, após uma cerimônia de lançamento da versão atualizada do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Em seguida, ela relativizou a demanda no Brasil: "Não vejo demanda de famílias querendo. Mas vai atender àquelas que já querem. Não sou contra, se tiver acompanhada do pai e da mãe e quiser aprender a atirar, eu não sou contra."


Agência Estado

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas