Brasil Cidades

06/06/2019 | domtotal.com

Para elogios, tecle onze

É frequente, doloroso e irritante o sofrimento do consumidor durante um atendimento telefônico de prestadoras de serviços.

Já experimentei os três tipos de atendimento, o bom, o ótimo e o péssimo. Por questão de justiça, devo contar um exemplo de atendimento ótimo
Já experimentei os três tipos de atendimento, o bom, o ótimo e o péssimo. Por questão de justiça, devo contar um exemplo de atendimento ótimo (Pixabay)

Por Afonso Barroso*

O Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), implantado com a finalidade de aprimorar as relações entre empresas e clientes, é algo de grande utilidade para os dois lados da moeda de consumo. Em raríssimos casos até que funciona bem, mas em outros, faça-me o favor, como dizia um velho tio. O das prestadoras de serviços telefônicos, televisivos e de internet, por exemplo, merece mais palavrões do que elogios, embora tenha melhorado um tantinho nos últimos tempos.

Tudo bem que se adote o sistema de digitar um para isso, dois para aquilo, três para aquiloutro e nove para falar com uma das nossas representantes etc. O problema é que em muitos casos é preciso ficar torcendo para que a ligação de repente não caia. É o que costuma ocorrer depois do último número teclado.

É frequente, doloroso e irritante o sofrimento do consumidor durante um atendimento telefônico de prestadoras de serviços. Certa vez, fiquei uma meia hora ouvindo música e apertando teclas. Desisti quando a ligação caiu pela terceira vez.

Já experimentei os três tipos de atendimento, o bom, o ótimo e o péssimo. Por questão de justiça, devo contar um exemplo de atendimento ótimo. Seguinte: como há quase 40 anos exerço orgulhosamente a profissão paralela de diabético tipo 1, tenho o costume, meio que obrigatório, de medir o índice de glicose no sangue pelo menos três vezes ao dia. Certo dia, meu glicosímetro modelo AccuChek parou de funcionar e eu pensei que teria de comprar outro. Não é um aparelhinho muito caro, mas também não é barato.

De repente me deu na telha ligar para o SAC da Roche Diabetes Care e, para minha surpresa e satisfação, uma atendente, extremamente solícita e simpática, consertou meu aparelho por telefone. Ela dava instruções, eu seguia, e em menos de meia hora o aparelho voltou a funcionar normalmente. Fiquei sabendo que se chama Fernanda e que é do signo de Leão, como eu. Como estava próximo o mês de agosto, nosso mês, antecipei-lhe um feliz aniversário, acrescentando que os leoninos se atraem. Ela retribuiu o inocente assédio, e acho que com um belo sorriso. Na avaliação, teclei seis, a nota máxima.

Aposentado que sou, também costumo recorrer ao 135, o telefone de atendimento ao consumidor do INSS, e reconheço que sempre sou bem atendido. Na verdade, as atendentes da Previdência são solícitas, educadas. Além disso, quando o serviço está congestionado, há um aviso intermitente informando em quantos minutos você será atendido. E funciona.

Mas é preciso lembrar que esse é um caso diferente, em que a eficiência do SAC não corresponde à realidade dos fatos. Na verdade, se há alguém que não tem vez nesse Instituto é exatamente quem mais precisa dele, o pobre do aposentado. No telefone, tudo bem. Na vida real, tudo mal.

*Afonso Barroso é jornalista, redator publicitário e editor

TAGS


EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Outros Artigos

Não há outras notícias com as tags relacionadas.

Comentários