Engenharia Ensaios em Engenharia, Ciência e Sustentabilidade

18/06/2019 | domtotal.com

Será que a transformação digital sempre dá certo?

A transformação digital é o processo de integrar tecnologia digital a todos os aspectos da empresa.

A transformação digital dá errado em 70% das empresas.
A transformação digital dá errado em 70% das empresas. (Pixabay)

Por Rodrigo Miranda*

Primeiro, quero falar brevemente sobre conceitos e realidade para entendermos um pouco mais sobre esse processo avassalador, irreversível e complexo que é a transformação digital (TD) nas empresas.

A verdade é que essa transformação – aquela que enche os nossos olhos numa imensidão de possibilidades inovadoras e novas tecnologias – é a mesma que pode afogar algumas empresas, estas que ainda não entenderam como funciona essa transição. E se você acha que é melhor então ignorá-la para não correr esse risco na sua empresa, saiba que ela chegou para todos os mercados, e que escolher não é mais uma opção. Não é uma questão de "se acontecer", mas uma questão de "quando vai acontecer", e esse quando é agora. Estamos falando de sobrevivência.

Vamos falar de conceitos: a transformação digital é o processo de integrar tecnologia digital a todos os aspectos da empresa (ou pelo menos quase todos) o que exige mudanças essenciais de tecnologia, cultura, operações e entrega de valor. Sim, é complexo, intenso e denso. Estamos falando de mudança de foco, reestruturação, adaptação para o agora, além de alterar a cultura da companhia para apoiar a aceleração que acompanha essa transformação.

E esse "alto preço" compensa? Totalmente. Desde que seja adotada de forma adequada. Sobre algumas vantagens da TD? Impulso rumo à eficiência, obtenção de vantagem competitiva, criação de novos cargos e funções, aumento da satisfação dos clientes, simplificação dos processos produtivos são algumas das diversas vantagens de acompanhar essa mudança global.

Agora vamos falar um pouco da realidade: muitos gestores ainda enxergam a transformação digital apenas como uma parte do negócio, ou, pior ainda, algo passageiro ou restrito a certos segmentos de mercado. CEO's com esta mentalidade acreditam que apenas ter um departamento de TI ou de inovação já é o suficiente para preencher o quesito “empresa digital”. E nós já entendemos que não é assim. De nada adianta "injetar" a inovação em uma área isolada da empresa enquanto a sua cultura e gestão ainda vivem uma mentalidade antiga.

E ainda temos uma outra realidade: a transformação digital dá errado em 70% das empresas. Não, o número é esse mesmo. Uma porcentagem altíssima de companhias que tentam se reinventar, principalmente através da transformação digital, não conseguem.

Qual seria o porquê desse fracasso? Estamos falando sobre uma transição longa e complexa. A principal razão do fracasso é o comportamento das pessoas na organização – seja da gerência ou dos funcionários. Muitas companhias entendem que precisam mudar, mas sofrem para entender como promover essa transformação.

As razões são claras: a diretoria não está alinhada, a razão e destino da mudança não são claros o suficiente, os funcionários não têm convicção ou entusiasmo pelo objetivo que o CEO estipulou, ou não há entre os funcionários as habilidades necessárias para promover a mudança proposta.

Nas transformações bem-sucedidas, geralmente o líder define uma meta ambiciosa, mas com um objetivo realista, que realmente pode ser alcançado. Detalha-se em cada iniciativa o que precisa ser mudado e ser objetivo quanto ao resultado esperado em cada etapa. Cumpre-se o planejamento rigorosamente e periodicamente analisa-se o avanço do cronograma para possíveis ajustes. As empresas que estão realmente envolvidas com esse processo são mais bem sucedidas e criam uma vantagem competitiva no mercado.

Vou encerrar essa abordagem colocando de uma forma geral e objetiva, o que uma empresa pode fazer para não fracassar nesse cenário de crescente transformação digital. Vamos lá: 1. Dedicar mais tempo à comunicação dos motivos para a mudança; 2. Ter mais agilidade para neutralizar pessoas resistentes; 3. Definir metas mais claras; e por fim 4. Dedicar mais tempo no alinhamento com a equipe de gestores.

Se a transformação digital é inevitável, então que a empresa entenda toda a profundidade dessa mudança e tire a venda dos olhos para se adaptar e evoluir. Vamos em frente.

Convido você a entender um pouco mais sobre as novas tecnologias do mercado. Informações, notícias, dicas e muito mais sobre esse e outros assuntos da área, você encontra no meu blog: https://rodrigomiranda.blog/

Te espero lá!

*Rodrigo Miranda é mestre em engenheira química pela UFMG e sócio fundador da Optimus Engenharia. Tem mais de 10 anos experiência com pesquisa e trabalho na áera industrial, principalmente em inteligência artificial. Também é professor universitário, incentivando o empreendedorismo e a criatividade na engenharia e buscando uma maior interação universidade-empresa. Contato: rodrigo.miranda@emge.edu.br

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas