Religião

24/06/2019 | domtotal.com

Time de futebol feminino do Vaticano se recusa a jogar depois que adversárias mostram mensagens pró-aborto

Amistoso em Viena se torna protesto contra a Igreja e as jogadores do Vaticano decidem deixar o campo para evitar instrumentalização de partida que seria estreia internacional da equipe.

'Meu corpo, minhas regras': mensagem no corpo de jogadora do FC Mariahilf em protesto pró-aborto em amistoso contra seleção feminina do Vaticano
'Meu corpo, minhas regras': mensagem no corpo de jogadora do FC Mariahilf em protesto pró-aborto em amistoso contra seleção feminina do Vaticano (Reprodução/ Twitter)

Surpreendidas pelas provocações das adversárias, as jogadoras do time feminino de futebol do Vaticano deixaram o campo em Viena antes do início do jogo com as austríacas do Mariahilf, no sábado 22 de junho.

O amistoso seria a estreia internacional da recém-formada seleção feminina de futebol do Vaticano, mas se transformou num protesto contra a Igreja. Durante o hino do Vaticano, algumas meninas austríacas levantaram suas camisetas expondo frases a favor do aborto e proclamando mensagens pró-LGBT, em controvérsia com as posições da Igreja. Das arquibancadas surgiram também faixas polêmicas.

O protesto surpreendeu as jogadoras do Vaticano e toda a equipe técnica, que estavam prontas para uma simples festa. Em conjunto com o diretor esportivo, tomaram a dolorosa decisão de não jogar a partida para não continuar a instrumentalização de um evento para o qual haviam se preparado com alegria.

Esta segunda-feira, 24, a direção do Mariahilf escreveu um comunicado, publicado na sua página oficial do Facebook, lamentando o incidente.

“Pedimos desculpas sinceras às jogadoras da equipa do Vaticano e aos nossos convidados que vieram de perto e de longe, pelo facto de o jogo não se ter realizado”, refere o clube.

Jogo contra Roma

A equipe feminina de futebol do Vaticano jogou no dia 26 de maio sua primeira partida contra o time de futebol feminino da Roma: elas perderam de 10 a 0, mas foi uma bela demonstração de amizade e esporte.

O papa Francisco, em reunião com o Centro Esportivo Italiano em 11 de maio, lembrou que "o esporte é uma ótima escola, sempre e quando se viva o controle de si mesmo e respeite aos demais". "Uma grande lição de esporte", disse, "é que só se pode se divertir em um quadro de regras muito específicas. De fato, se numa competição alguém se recusasse a respeitar a regra do fora de jogo, ou começasse antes do apito inicial, ou num slalom saltasse alguma bandeirinha, já não seria competição, mas só atuações individuais e desordenadas. Ao contrário – acrescentou – o esporte ensina que as regras são essenciais para a convivência", "que a felicidade não é encontrada na desobediência" e que "você já não se sente mais livre quando não tem limites, mas quando, com seus limites, dá o melhor de si mesmo ".

O esporte – observou Francisco – pode transformar nossa sociedade se promover "uma cultura de diálogo e encontro respeitoso". A luta com os adversários, nas competições esportivas, é sempre definida como "encontro", e nunca "choque", porque ao final, embora seja melhor vencer, de certa forma ambos ganham. Este é o mundo com o qual sonhamos, e que queremos construir com determinação, baseado na competição saudável, que sempre vê o adversário como um amigo e um irmão.


Vatican News/ Periodista Digital

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas