Esporte

09/07/2019 | domtotal.com

Polícia Civil faz buscas na sede do Cruzeiro em BH

A equipe celeste está também com problemas financeiros e salários atrasados.

Cruzeiro é acusado por práticas irregulares.
Cruzeiro é acusado por práticas irregulares. (Cruzeiro)

A Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou, na manhã desta terça-feira (8), mais uma parte da operação envolvendo o Cruzeiro. Por volta das 8h, com oito carros, os policiais fizeram buscas na sede da agremiação, no Barro Preto, Região Central de Belo Horizonte.

O objetivo é encontrar documentos falsos, práticas como falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, conforme denuncias recebidas. A diretoria do Cruzeiro é alvo das investigações, assim como empresários e membros de torcidas organizadas.

Além da Polícia Civil, o Cruzeiro também é investigado pelo Ministério Público. A Raposa vive a maior crise institucional de sua história como uma gestão que aumentou a dívida do clube para R$ 520 milhões. Junto com isso, várias irregularidades foram apontadas como repassar partes de direitos de atletas após pegar um empréstimo com um empresário.

A Raposa ainda usou "direitos" de um garoto de 12 anos para garantir o pagamento deste empréstimo, outra prática ilegal tendo em vista que só é possível ter contrato aos 16. Essas práticas são proibidas pela Fifa e CBF. O clube ainda é acusado de mentir no balanço financeiro, algo proibido pela lei brasileira.

As buscas da Polícia Civil acontece justamente a dois dias das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético, na próxima quinta-feira, no Mineirão. A partida de volta será na próxima semana, no Independência.

Salários atrasados

Na próxima quinta-feira (11), Cruzeiro e Atlético iniciam a decisão da Copa do Brasil, com primeiro duelo no Mineirão e o segundo no Independência. E a equipe celeste vai para o confronto com grandes problemas financeiros e salários atrasados.

Quem confirmou a informação foi o novo diretor de comunicação do clube, Valdir Barbosa, em entrevista a Rádio 98FM. Ele garantiu que tudo caminha para ficar quitado, mas neste momento há um atraso para os atletas.

"Com relação ao futebol, jogadores e comissão técnica, a coisa tem sido bem tranquila. Os salários estão praticamente em dia", disse Barbosa e prontamente foi questionado o que seria "praticamente em dia". Ele seguiu. "Às vezes paga com um certo atraso, mas está caminhando para ficar zerado. Creio que em 10 dias, no máximo, tenha grande possibilidade de ficar tudo quitado", acrescentou.

As últimas vendas realizadas pelo Cruzeiro, Raniel e Murilo, jovens promessas, foram para pagar salários. A situação tinha sido adiantada pela Gazeta Esportiva e confirmada por Valdir na entrevista.

"E os jogadores tem entendido a situação. O que não pode é deixar dois meses, três meses. Isso não existe. Eu vejo a correria do presidente (Wagner Pires de Sá), do Itair (Machado, vice-presidente de futebol), para fazer as negociações. Agora vendeu o Raniel (ao São Paulo), o Murilo ao Lokomotiv (da Rússia). As coisas vão se encaixando", completou.

Diante de altas premiações que a Copa do Brasil passou a distribuir desde a última edição - conquistada pelo Cruzeiro, inclusive - a Raposa agora conta com a premiação para "normalizar" a situação.

"A coisa mais importante para o Cruzeiro agora seriam os resultados contra o Atlético e também contra o River Plate. Isso nos daria uma condição bem mais tranquila de chegar ao fim do ano sem muitos problemas. Os jogadores compreendem a situação, eles confiam na diretoria. A coisa está indo bem, se o Cruzeiro passa, então, em uma dessas decisões, principalmente contra o Atlético, a normalidade volta com certeza", finalizou.

Alguma normalidade era tudo que o torcedor cruzeirense queria, parar de ver sua agremiação nas páginas policiais e discutir apenas sobre o futebol. Mas há quase dois meses só se fala nas denuncias de corrupção da atual diretoria, negociações e contratos ilegais, dívidas acumulando e crescendo. Junto com isso, dentro de campo o trabalho do técnico Mano Menezes perdeu qualidade e a equipe parou de vencer, com um jejum de nove partidas.


Gazeta Esportiva/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas