Esporte Vôlei

15/07/2019 | domtotal.com

Seleção masculina da Rússia fatura a Liga das Nações, enquanto o Brasil termina em quarto lugar

A Rússia garantiu o bicampeonato ao bater os Estados Unidos por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 20/25, 25/21 e 25/20, em Chicago.

A Rússia contou com boa atuação coletiva para faturar o título, tendo quatro jogadores com ao menos dez pontos.
A Rússia contou com boa atuação coletiva para faturar o título, tendo quatro jogadores com ao menos dez pontos. (FIVB)

A seleção masculina de vôlei da Rússia se sagrou bicampeã da Liga das Nações nesse domingo. Na decisão, a equipe assegurou o segundo título consecutivo do torneio ao derrotar os Estados Unidos por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 20/25, 25/21 e 25/20, em Chicago. 

Enquanto o norte-americano Taylor Sander foi o maior pontuador da partida, com 20, a Rússia contou com boa atuação coletiva para faturar o título, tendo quatro jogadores com ao menos dez pontos. Foram eles: Dmitry Volkov (17), Egor Kliuka (14), Ivan Iakovlev (12) e Victor Poletaev (11).

Rússia e Estados Unidos haviam se enfrentado na última sexta-feira, pela rodada final do Grupo A, em duelo que valia a liderança da chave - as equipes já estavam classificadas às semifinais. E os norte-americanos tinham se dado melhor, vencendo por 3 a 0. Agora, na decisão, levaram o troco. 

Na campanha do título, a Rússia avançou em terceiro lugar às finais, após somar 12 vitórias e três derrotas. Em Chicago, passou pela França (3 a 0) e perdeu para os EUA, avançando às semifinais, fase em que bateu a Polônia por 3 a 1, antes de superar os norte-americanos na decisão. 

Seleção brasileira

Já a seleção brasileira foi a quarta colocada na Liga das Nações. Nesse domingo, um dia após cair nas semifinais para os Estados Unidos no tie-break, a equipe ofereceu pouca resistência e perdeu para a Polônia por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/23 e 25/21.

"Hoje não tivemos uma boa atuação. O nosso espírito não foi correto para disputar uma final de terceiro lugar. Queríamos estar na decisão do ouro, mas tínhamos que ter tido uma outra atitude na partida de hoje (ontem). Não podemos deixar isso acontecer no futuro. Teremos que crescer muito tecnicamente. Deu para ver nessa Liga das Nações que o nível das seleções está muito alto e precisamos nos reinventar no futuro. Vamos treinar muito para ganharmos confiança para a disputa do Pré-Olímpico", afirmou Bruninho.

O foco da seleção agora se volta para o Pré-Olímpico, de 9 a 11 de agosto, quando a equipe vai enfrentar a anfitriã Bulgária, o Egito e Porto Rico. O time vencedor do quadrangular estará garantido nos Jogos de Tóquio, em 2020. O Brasil também participará do Pan, mas com um time B, comandado pelo auxiliar Marcelo Fronckowiak. Em Lima, a disputa do vôlei será de 2 a 11 de agosto.


Agência Estado/Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas