Esporte Futebol Mineiro

01/08/2019 | domtotal.com

Atlético vence Botafogo novamente e avança na Copa Sul-Americana

Galo fez 2 a 0 no Horto com apoio da torcida e pega o La Equidad da Colômbia nas quartas de final. Fábio Santos, de pênalti, e Vinícius fizeram os gols do Alvinegro mineiro.

O lateral esquerdo Fábio Santos comemora com Patric o seu gol que abriu o caminho para a vitória do Atlético.
O lateral esquerdo Fábio Santos comemora com Patric o seu gol que abriu o caminho para a vitória do Atlético. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Jair foi o destaque do Atlético contra o Botafogo.
Jair foi o destaque do Atlético contra o Botafogo. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Vinícius comemora com Igor Rabello o gol que marcou nos minutos finais.
Vinícius comemora com Igor Rabello o gol que marcou nos minutos finais. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Torcida apoiou o Galo em especial nos momentos em que o botafogo foi melhor.
Torcida apoiou o Galo em especial nos momentos em que o botafogo foi melhor. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Torcedoras vibram com a vitória do Galo no Horto pela Copa Sul-Americana.
Torcedoras vibram com a vitória do Galo no Horto pela Copa Sul-Americana. Foto (Bruno Cantini / Atlético)

Após vencer o primeiro confronto, por 1 a 0, no Engenhão, na última semana, o Atlético voltou a triunfar, por 2 a 0, no Independência, na noite desta quarta-feira, em confronto que valeu a classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana.

O Botafogo conseguiu fazer um primeiro tempo bom, agrediu o Atlético, mas viu o time da casa igualar a situação após os 20 minutos. A etapa complementar foi inteira do Galo que fez o resultado inteiro nos últimos 15 minutos de partida.

Pela Copa Sul-Americana, o Galo enfrenta agora nas quartas o La Equidad, em duelo com dia e data ainda a ser definidos. Pelo Brasileirão, o Atlético terá o Cruzeiro pela frente, no Independência, às 19h (de Brasília).

Leia também:

Primeiro tempo

O Botafogo chegou para a partida com um grande problema: sem Joel Carli, expulso, restou apenas um zagueiro para mandar a campo. Os outros foram emprestados ou estão contundidos.

No entanto, a postura do Fogão surpreendeu. Desde o primeiro minuto, o time carioca se mandou para o ataque. Mas não foi no futebol que a partida esquentou primeiro. Atletas das equipes se desentenderam nos cinco primeiros minutos de jogo e precisaram ser contidos.

O Botafogo conseguiu dominar o meio de campo. O motivo era simples de entender: Cícero contribuía com o técnico Eduardo Barroca e jogava na zaga. Mas era basicamente um coringa e com ótima capacidade técnica para ocupar espaços no meio campo.

Diante disso, o Atlético deveria aproveitar esses espaços que eram dados, mas não conseguia. Com isso, o Glorioso seguia mais forte do meio para frente e espremia o Galo em seu campo defensivo. Embora fosse uma pressão, o time do Rio de Janeiro não tinha chances na cara do gol, mas arriscou dois chutes de longa distância e pelo menos um deles, com Cícero assustou.

Galo pressiona saída de bola

Após os 25 minutos o Galo mudou o panorama da partida. A equipe conseguiu pressionar a saída de bola e isso contribuiu favoravelmente. Jair cresceu na partida e conseguia desarmar próximo a área do Glorioso. Com isso, o Atlético criou duas boas oportunidades, uma delas com Chará, mas a finalização não saiu.

O Atlético, porém, seguiu melhor até o fim da etapa inicial. No finalzinho do jogo, em cobrança de falta, o Fogão acertou a trave do Galo, mas não conseguiu nada além.

Segundo tempo

Na etapa final, o Atlético voltou superior. O time da casa contava com mais qualidade no meio campo e o Botafogo, por sua vez, já não tinha forças para agredir o time mineiro.

Aos 14, em chute no cantinho, Otero tentou o gol, mas não conseguiu. O Atlético era muito melhor, não dava espaços para o Botafogo e sempre estava no ataque, criando oportunidades.

Aos 28 o Galo conseguiu um pênalti. Em ótima jogada de Jair, o volante entrou na área, driblou dois adversários, mas foi tocado e caiu. Na cobrança, Fábio Santos mandou forte no alto e não deu chances para Gatito.

Minutos depois, o Botafogo se mandou com tudo e deu espaços para o Galo. E neles o Atlético aproveitou para ampliar. Aos 40, Ricardo Oliveira recebeu a bola na frente e chutou. A defesa tirou, mas o meia Vinícius Góes pegou o rebote e mandou para o fundo das redes para dar números finais. 

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 2 X 0 BOTAFOGO

ATLÉTICO: Cleiton, Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair (José Welison), Elias, Rómulo Otero (Geuvânio), Vinicius e Yimmi Chará (Luan); Ricardo Oliveira

Técnico: Rodrigo Santana

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Marcinho, Marcelo Benevenuto, Cícero e Gilson, Gustavo Bocheca (Igor Cássio), João Paulo (Alan Santos), Alex Santana, Rodrigo Pimpão (Leonardo Valência), Luiz Fernando, Diego Souza.

Técnico: Eduardo Barroca

Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 31 de julho de 2019 (Quarta-feira)

Horário: 21h30(de Brasília)

Árbitro: Wilton Sampaio (Brasil)

Assistentes: Marcelo Van Gasse (Brasil) e Bruno Pires (Brasil)

Cartões: Vinícius, Jair (Atlético); Luiz Fernando (Botafogo)

Gols: Fábio Santos, aos 31 do segundo tempo, Vinícius, aos 40, do segundo tempo (Atlético)


Gazeta Esportiva/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas