Brasil Política

22/08/2019 | domtotal.com

Indicação para embaixada não tem nada a ver com Previdência, diz Eduardo Bolsonaro

Eduardo aposta no perfil do Senado para que a agenda econômica do governo não seja obstruída pela discussão sobre a embaixada.

'Os senadores vão fazer juízo se eu sou merecedor ou não e ponto final', declarou Eduardo.
'Os senadores vão fazer juízo se eu sou merecedor ou não e ponto final', declarou Eduardo. (Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) tentou afastar o impacto de sua indicação para a embaixada brasileira em Washington na reforma da Previdência. O nome de Eduardo ainda não foi encaminhado pelo pai, o presidente Jair Bolsonaro, ao Senado. Para ser efetivada, a nomeação precisa de aval da Casa, que também discute a proposta sobre o sistema de aposentadorias.

"Não. Não tem nada a ver", disse Eduardo quando questionado se a indicação contaminaria a reforma da Previdência no Senado. Nesta quinta-feira (22), ele visitou o gabinete do senador Jorginho Mello (PP-SC). "Os senadores vão fazer juízo se eu sou merecedor ou não e ponto final. Outra questão é tributária, reforma da Previdência, armas, enfim, acho que não tem comunicação de uma coisa com a outra, não", declarou o deputado.

Eduardo aposta no perfil do Senado para que a agenda econômica do governo não seja obstruída pela discussão sobre a embaixada. A oposição, afirmou, vai usar "qualquer artifício" para tentar emperrar as propostas do Planalto, mas não teria sucesso ao esbarrar no compromisso dos parlamentares da Casa. "Normalmente o perfil dos senadores é um perfil mais experiente, são ex-governadores, eu acredito que isso aí não venha a comunicar uma coisa com a outra não."

No Senado, aliados de Eduardo Bolsonaro avaliam que a indicação deverá ser oficializada no mês que vem - ainda durante a discussão da reforma da Previdência. Para o grupo favorável ao nome do deputado na embaixada, o ambiente para aprovação melhorou nos últimos dias. Eles calculam que o placar na Comissão de Relações Exteriores seja atualmente de nove votos a favor de Eduardo contra sete. Três parlamentares estariam indecisos, calculam aliados, o que poderia inverter o placar. Depois do colegiado, a indicação ainda dependerá de uma votação no plenário.

Cotado para a relatoria da indicação na comissão, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) também negou que o tema contamine a reforma da Previdência. "Zero. Uma coisa não tem relação com a outra. A questão do Eduardo é política, não é simplesmente de indicação para o posto de embaixador. Deveria haver uma interpretação política mesmo por parte dos senadores e ver a importância do posto", declarou Rodrigues.


Agência Estado

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas