Religião

26/08/2019 | domtotal.com

Dom Helder Câmara poderá ser proclamado santo

Patrono da Escola Superior Dom Helder Câmara, o bispo da Igreja Católica que defendeu o Estado Democrático de Direito e os direitos fundamentais, tem mais um passo para a canonização.

Dom Helder: defensor da dignidade humana frente às violações de Direitos provocadas pelos
Dom Helder: defensor da dignidade humana frente às violações de Direitos provocadas pelos "queridos irmãos equivocados". (Arquivo)

Neste dia 27 de agosto, quando se celebra o 20º aniversário de falecimento de Dom Helder Câmara, há uma boa notícia. O seu processo de canonização, procedimento pelo qual a Igreja Católica declara alguém santo, teve um significativo passo.

Confira também

O processo de canonização de Dom Helder Câmara foi solicitado em maio de 2014, pela arquidiocese de Olinda e Recife. O Vaticano autorizou a abertura em fevereiro de 2015. A etapa diocesana foi concluída em dezembro do ano passado – o dossiê, de 197 páginas, reuniu depoimentos de 54 pessoas que conviveram com ele.

No próximo dia 5 de setembro será aberta a fase romana do processo. Então a Igreja nomeia um relator e determina que duas comissões preparem dois trabalhos: um minucioso perfil biográfico e uma defesa argumentativa de suas virtudes. A partir de então, é dado um parecer.

Se aprovado, o papa declara que ele é um venerável. Então é preciso a comprovação de um milagre para que seja beatificado. E um outro, para que seja canonizado – proclamado santo.

“O próximo passo será o papa reconhecer, em nome da Igreja, que Dom Helder praticou em grau heroico as virtudes cristãs. Aí ele será declarado venerável”, afirmou Jociel Gomes, frade franciscano responsável por realizar o pedido junto ao Vaticano.

Atuação de Dom Helder

Décimo primeiro filho de um jornalista e de uma professora de ensino fundamental, Dom Helder entrou no seminário diocesano de Fortaleza, o Seminário da Prainha, no ano de 1923, aos 14 anos.

Foi ordenado padre aos 22 anos. Ainda jovem, envolveu-se com causas sociais. Coordenou os chamados círculos operários cristãos e liderou a Juventude Operária Católica. Dedicou-se a atividades de lazer e alfabetização de jovens sem acesso ao ensino formal.

Também iniciou, em 1933, a campanha pela Sindicalização Operária Feminina, para a promoção dos direitos de empregadas domésticas e lavadeiras.

Convidado pelo escritor e político Plínio Salgado (1895-1975), ingressou no grupo conservador e nacionalista Ação Integralista Brasileira. Foi considerado o maior propagandista do tema no Ceará.

Contudo se desiludiu rapidamente com o movimento, considerado de direita. Ao fim da década de 1930 se autodefinia como humanista integral e democrata cristão.

Dom Helder teve papel importante durante a Segunda Guerra Mundial. Fundou a Comissão Católica Nacional de Imigração para acolher refugiados que chegavam ao país.

Tornou-se bispo aos 43 anos, em 1952. No mesmo ano, conseguiu a aprovação do Vaticano para criar a Conferência Nacional do Bispos do Brasil, a CNBB.

A partir de então passou a se dedicar a causas como a Cruzada São Sebastião, como bispo auxiliar do Rio de Janeiro, que resultou na construção de conjuntos habitacionais para moradores de favelas, e o Banco da Providência, para atender aos sem renda.

Participou ativamente das quatro sessões do Concílio Ecumênico Vaticano 2º, nos anos 1960, e foi um dos proponentes do Pacto das Catacumbas, em que 42 bispos de todo o mundo se comprometeram a assumir atitudes com o objetivo de reduzir a pobreza global e tornar a Igreja mais humilde e servidora.

O documento é considerado o embrião da Teologia da Libertação pela qual a Igreja Católica proclamou “a opção preferencial pelos pobres”.

Durante o regime militar brasileiro, Dom Helder percorreu a Europa denunciando as torturas provocadas pelos militares. Contudo, Dom Helder se referia aos militares que estavam no Governo: "meus queridos irmãos equivocados".

Concurso de Redação

Para celebrar a memória de Dom Helder, a Escola de Direito Dom Helder Câmara, lançou o concurso de redação com o tema: “Inovação e empreendedorismo: o olhar de Dom Helder para a juventude.” Como premiação, os autores das redações classificadas nos dois primeiros lugares receberão uma viagem à Olinda e Recife para conhecer os passos de Dom Helder. O terceiro e quarto lugar receberão um Tablet. Os quatro primeiros classificados apresentarão suas redações no encerramento do II Congresso do Conhecimento.

Redação DomTotal com informações da FSP.

TAGS




Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.