Brasil Política

10/09/2019 | domtotal.com

Mourão contrapõe Carlos Bolsonaro: 'Democracia é fundamental'

Vice presidente considera ser fundamental a negociação com o Congresso: 'São pilares da civilização ocidental'.

'Vou repetir para você: pacto de gerações, democracia, capitalismo e sociedade civil forte'
'Vou repetir para você: pacto de gerações, democracia, capitalismo e sociedade civil forte' (Romério Cunha/VPR)

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, afirmou nesta terça-feira (10) que as declarações do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) são "problema dele". Em contraponto ao filho do presidente Jair Bolsonaro, Mourão defendeu que a democracia é "fundamental" e que é "lógico" que é possível fazer mudanças no país por meio do diálogo com o Congresso.

"Lógico, senão a gente não tinha sido eleito", disse Mourão ao ser questionado se é possível fazer as mudanças que o governo quer por vias democráticas. "Temos que negociar com a rapaziada do outro lado da Praça (dos Três Poderes). É assim que funciona. Com clareza, determinação e muita paciência", afirmou.

Nessa segunda-feira (9), nas redes sociais, Carlos disse que por meios democráticos não haverá as mudanças rápidas desejadas no país. Perguntando diretamente sobre a fala do vereador, Mourão respondeu: "Carlos Bolsonaro, vocês perguntam para ele". "Isso é problema dele, pergunte a ele", reagiu sobre o fato de Carlos ter dado entendimento contrário.

Mourão foi questionado sobre o assunto na entrada do Palácio do Planalto, onde continua despachando do gabinete da vice-presidência na ausência de Bolsonaro. Ele deve permanecer interinamente no cargo até quinta-feira (12).

"(A democracia é) Fundamental, são pilares da civilização ocidental. Vou repetir para você: pacto de gerações, democracia, capitalismo e sociedade civil forte. Sem isso, a civilização ocidental não existe", declarou o vice aos jornalistas.

Oposição

O deputado Paulo Pimenta (PT) comparou a fala de Carlos a um trecho de entrevista concedida por Jair Bolsonaro ao programa Câmera Aberta em 1999 em que ele diz que fecharia o Congresso se fosse presidente e critica duramente o então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), reeleito um ano antes.

Na entrevista de 1999, citada pelo deputado opositor, Bolsonaro havia dito que não acreditava em solução por meio da democracia. "Através do voto você não vai mudar nada nesse país", disse.

"Daria golpe no mesmo dia (se eleito presidente)! Não funciona! O Congresso hoje em dia não serve pra nada, só vota o que o presidente quer. Se ele é a pessoa que decide, que manda, que tripudia em cima do Congresso, dê logo o golpe, parte logo para a ditadura", disse o então deputado.

'Tem meu desprezo'

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu ao comentário do vereador Carlos Bolsonaro sobre a democracia no país. Alcolumbre rebateu Carlos afirmando que a democracia está fortalecida no Brasil e manifestou "desprezo" por comentários no sentido contrário. "No Senado, o Parlamento brasileiro, a democracia está fortalecida, as instituições estão todas pujantes, trabalhando a favor do Brasil. Então, uma manifestação ou outra em relação a esse enfraquecimento tem da minha parte o meu desprezo", disse Alcolumbre quando perguntado sobre o comentário de Carlos.

O presidente do Senado ressaltou que confia na democracia e nas instituições. Ele destacou que está cumprindo um papel para dar "estabilidade" ao país.



Agência Estado/Redação

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.

Instituições Conveniadas