Cultura Cinema

19/09/2019 | domtotal.com

Tributo ao ícone de uma época

'Rambo: até o fim', que estreia nesta quinta (19), resgata personagem que consagrou Sylvester Stallone.

O personagem enfrenta um poderoso cartel de narcotraficantes mexicanos para salvar uma jovem.
O personagem enfrenta um poderoso cartel de narcotraficantes mexicanos para salvar uma jovem. (Divulgação)

Por Flávia Leão*

Em 1982, Rambo: Programado para matar dava início a uma das franquias de maior sucesso do cinema. Estrelado por Sylvester Stallone, que à época do lançamento tinha 37 anos, o sucesso do longa foi tamanho que gerou continuações: Rambo 2: A missão (1985), Rambo 3 (1988), e Rambo 4 (2008). Em 2019, aos 73 anos, Stallone está de volta na pele de seu icônico personagem, um veterano da Guerra do Vietnã, em Rambo: Até o fim, do diretor Adrian Grunberg.

Dessa vez, Rambo está vivendo pacificamente em uma fazenda na fronteira dos EUA com o México, onde cuida de cavalos e, eventualmente, colabora com a polícia como rastreador. A confusão começa quando Gabrielle (Yvette Monreal), a quem o ex-soldado considera uma filha, descobre uma pista sobre o paradeiro de seu pai, que a havia abandonado, e resolve cruzar a fronteira para conversar com ele. Traída por uma amiga, Gabrielle acaba sendo vendida para uma facção criminosa que prostituía mulheres.

Quando Rambo vai atrás dela e, sozinho, enfrenta o poderoso grupo de bandidos na tentativa de salvá-la, o enredo se torna muito parecido com o de Busca implacável (2008), famoso thriller de ação com Liam Neeson e Maggie Grace. Começa então toda a ação e o ritmo frenético que marcam a franquia.

Com muita violência e bastante sangue, Rambo: Até o fim apresenta uma trama muito dinâmica e sem enrolação – com sequências ágeis , mas sem atropelo, característica de um roteiro bem escrito e executado. O filme não possui nenhuma atuação memorável, mas Stallone é Stallone – não é preciso dizer mais nada. É uma pena, no entanto, que Paz Vega, no papel da jornalista Carmen Delgado, não tenha sido melhor explorada. Foram poucas aparições para um grande talento.

A produção de mais um longa para a franquia pode ter tido vários objetivos, mas um deles, mesmo que não seja o principal, é o que mais se sobressai.

Mais do que tudo, Rambo: Até o fim é um filme de homenagem carregado no tempero da nostalgia. Homenagem a um ator que, mesmo não sendo muito versátil, marcou época, uma figura e toda uma geração que envelheceu com ele. Homenagem ao próprio personagem, que se tornou um ícone do cinema. E uma homenagem ao próprio público, que adora os filmes.

Veja o trailer do filme Rambo: Até o fim:

*Flávia Leão é advogada e jornalista. É autora de um blog sobre cinema no Dom Total (https://ocinemae.com.br).

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Instituições Conveniadas