Religião

20/09/2019 | domtotal.com

Consciência ecológica e mudança de perspectivas: o papel das religiões

Também é papel das religiões contribuir para a conscientização humana, diante da crise ecológica que o planeta vive.

Frente às mudanças negativas que temos realizado em nosso mundo, não podemos mais adiar o assumir de nossa responsabilidade.
Frente às mudanças negativas que temos realizado em nosso mundo, não podemos mais adiar o assumir de nossa responsabilidade. (Stock Photography/ Unsplash)

Por Felipe Magalhães Francisco*

O ser humano alçou um lugar destacado entre todas as formas de vida, em nosso planeta. Esse lugar não deve ser lido como um privilégio, mas como uma responsabilidade. A tradição cristã repete uma afirmação, que neste nosso contexto casa bem: a quem muito é dado, muito será cobrado. Diversas religiões se atentam para esse lugar que ocupa o ser humano, em todo o nosso mundo, e, por vezes, desdobra suas teologias para buscar compreender o sentido da vida humana, na relação com este todo, afinal, a pergunta pelo Sagrado, pelo Transcendente, por Deus, sempre resvala na pergunta sobre nós mesmos.

Se as religiões contribuíram sobremaneira para uma concepção antropológica, na qual o ser humano ocupa o lugar central em todo o mundo da vida planetária, é também papel das religiões contribuírem para a conscientização humana, diante da crise ecológica que o planeta vive. Uma outra concepção antropológica é possível e as tradições orais e escritas, de diversas religiões, estão prenhes de significações diferentes possíveis para que nos compreendamos, humanos, em relação à toda vida do planeta.

Vivemos em tempos nos quais não podemos mais adiar o assumir de nossa responsabilidade, frente às mudanças negativas que temos realizado em nosso mundo. Da mesma maneira que podemos ser mediadores de graça no mundo, mediamos também desgraças e, no ritmo no qual estamos, esse nosso mundo está fadado ao colapso. A tomada de consciência a respeito de nossa responsabilidade em mudarmos o nosso ritmo e o nosso rumo deve estar fundamentada numa concepção holística, de que fazemos parte do todo, sem que o mundo da natureza seja compreendido como a nosso serviço. É preciso, pois, uma relação de comunhão com todo o mundo da vida!

As religiões, nesse horizonte, têm uma contribuição fundamental, na mudança de perspectiva que a humanidade precisa ter. A força da religião ainda exerce notável influência na vida das pessoas, no que diz respeito ao sentido que essas pessoas atribuem às próprias vidas. E como viver realmente com sentido, se este não transpassa a relação harmônica com o todo do mundo? Neste nosso Dom Especial, dedicamo-nos à escuta daquilo que três tradições religiosas têm a contribuir com essa nossa necessária mudança de perspectiva e relação com a Casa que nos abriga: o Candomblé de Angola, o Judaísmo e o Islã.

No primeiro artigo, Candomblé de Angola e ecologia: um chamado à reflexão, Guaraci Santos e Arthur Mendonça, refletem sobre a cosmovisão dessa tradição religiosa, que necessariamente passa pela perspectiva de comunhão e harmonia com a natureza, condição de possibilidade para os saberes, os rituais e as crenças dos fiéis dessa tradição. Refletindo sobre a perspectiva judaica, temos Reuberson Ferreira, no artigo: Judaísmo e ecologia. No texto, Reuberson recorre à Lei judaica, para explicitar com ela é conscienciosa a respeito do cuidado para com a natureza e mostrar como a questão ecológica é latente no judaísmo. Trazendo a leitura na perspectiva da religião que tem crescido consideravelmente em todo o mundo, o Islã, Francirosy Campos Barbosa nos propõe o artigo Islã e ecologia, no qual aponta o princípio ético da relação com a natureza criada por Deus, a quem tudo pertence, destacando como essa questão é fundamental, a partir daquilo que diz o alcorão.

Boa leitura!

*Felipe Magalhães Francisco é teólogo. Articula a Editoria de Religião deste portal. É autor do livro de poemas Imprevisto (Penalux, 2015). E-mail: felipe.mfrancisco.teologia@gmail.com.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Instituições Conveniadas