Esporte Futebol Mineiro

02/10/2019 | domtotal.com

Freguês? River Plate coloca Boca Juniors 'na roda' e está perto da final da Libertadores

Os Millonarios dominaram por completo o jogo de ida do torneio continental e venceram por 2 a 0 no estádio Monumental de Núñez.

River não teve dificuldade para vencer o Boca no primeiro jogo da semifinal da Libertadores.
River não teve dificuldade para vencer o Boca no primeiro jogo da semifinal da Libertadores. Foto (Alejandro Pagni/AFP)
River não teve dificuldade para vencer o Boca no primeiro jogo da semifinal da Libertadores.
River não teve dificuldade para vencer o Boca no primeiro jogo da semifinal da Libertadores. Foto (Alejandro Pagni/AFP)

Atual campeão da Copa Libertadores, o River Plate está próximo de disputar mais uma decisão continental. E mais! Os Millonarios estão a um jogo de confirmar a freguesia do Boca Juniors depois de faturarem o torneio continental em cima do rival em 2018. Nessa terça-feira (1), o time abriu boa vantagem nas semifinais ao derrotar os Xeneizes por 2 a 0, no Monumental de Núñez, numa partida em que teve amplo domínio do rival e poderia até ter vencido por um placar mais dilatado.

O duelo de volta está marcado para 22 de outubro, no estádio de La Bombonera, onde o River poderá perder por até um gol de diferença para avançar à decisão contra o clube brasileiro que se classificar na série entre Grêmio e Flamengo - o jogo de ida será nesta quarta-feira em Porto Alegre. A final está marcada para 23 de novembro em Santiago.

O confronto desta terça foi o reencontro entre os clubes na Libertadores após a turbulenta decisão de 2018. Naquela oportunidade, a finalíssima foi para a Espanha após torcedores do River apedrejaram o ônibus da delegação do Boca horas antes da segunda partida, na chegada ao Monumental, com alguns atletas ficando feridos e o duelo sendo adiado.

O jogo

Ainda que o árbitro brasileiro Raphael Claus tenha demorado a assinalar o pênalti, o que só fez após a consulta ao VAR, bastou ao River um ataque para abrir o placar. Logo aos dois minutos, após Andrada espalmar chute cruzado de De La Cruz, Borré foi derrubado na grande área por Mas. O próprio Borré executou a cobrança, no sexto minuto e chutou no meio do gol, abrindo o placar.

O gol só expôs um cenário de domínio do River, que, ainda assim, levou perigo em batida de longe de Mac Allister, que parou em Andrada e no travessão. Mas foi uma exceção, pois o Boca se preocupava mais em manter a segurança defensiva, o que até funcionou para barrar o ataque rival durante quase todo o primeiro tempo, ainda mais que o bom toque de bola do time da casa não era tão envolvente como costumeiramente.

No fim, porém, o River teve duas chances de marcar, com Borré e De La Cruz, esse em cobrança de falta, que pararam em Andrada. Mas a mais clara, e inacreditavelmente oportunidade perdida, foi do Boca, que enfim conseguiu encaixar um contra-ataque, em boa ação de Ábila, até então com dificuldade para dar sequência aos lances. Aos 42 minutos, lançado por Reynoso, ele conseguiu se proteger da marcação e rolou para Capaldo, que livre na grande área e cara a cara com Armani, bateu por cima.

Segundo tempo

O domínio do River se repetiu no segundo tempo, embora o Boca tenha buscado mudar a sua postura com a entrada de Tevez, porém sem êxito. Já o River foi colecionando chances desperdiçadas, como aos dez minutos, quando cruzamento de Montiel parou na trave. E aos 15, quando De La Cruz bateu cruzado da esquerda e a defesa do Boca se enrolou para evitar a finalização de Fernández, com a bola passando perto da trave. O segundo gol saiu aos 24 minutos. Ignacio Fernández avançou pelo meio, abriu para Suárez na direita e recebeu passe na pequena área, deslocando Andrada na sua finalização.

O River voltaria a chegar com perigo aos 29, em lindo toque de cobertura de Suárez, que Andrada espalmou. E só aí o Boca respondeu em outra tentativa de cobertura, de Capaldo, que parou na boa intervenção de Andrada. Mas foi um lance isolado de um time pouco criativo e que abusava dos chutões.

Assim, continuou sendo dominado pelo River, que seguiu perdendo chances, como aos 32, com Scocco. No fim, o Boca ainda teria Capaldo expulso por entrada dura em Enzo Pérez. E o River manteve o placar de 2 a 0 e a boa vantagem para o confronto de volta das semifinais da Libertadores.

FICHA TÉCNICA

RIVER PLATE 2 X 0 BOCA JUNIORS

RIVER PLATE
Armani, Montiel, Lucas Martínez, Pinola, Casco; Enzo Pérez, Palacios, De la Cruz (Julián Álvarez), Ignacio Fernández, Borré (Scocco) e Matías Suárez.
Técnico: Marcelo Gallardo

BOCA JUNIORS

Andrada, Weigandt, Lisando López, Izquierdoz, Más; Marcone, Capaldo, Mac Allister (Zárate); Soldano Tévez), Reynoso (Salvio) e Ábila.
Técnico: Gustavo Alfaro

Local: Monumental de Nuñez, Buenos Aires-ARG
Data: 1 de outubro de 2019, terça-feira-feira
Horário: 21h30h (de Brasília (DF)
Árbitro: Raphael Claus (BR)
Assistentes: Danilo Manis e Bruno Pires (BR)
VAR: Nicolás Gallo (COL)
Cartões amarelos: Ignacio Fernández, Enzo Pérez, Pinola (River Plate) Más, Izquierdoz, Lisandro López, Weigandt (Boca Juniors)
Cartão vermelho: Capaldo (Boca Juniors)
GOLS:
River Plate: Borré (6 minutos do 1º tempo), Ignacio Fernández (24 minutos do 2º tempo)


Agência Estado/Dom Total

TAGS


EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.

Instituições Conveniadas