ESDHC

03/10/2019 | domtotal.com

Competição reúne 350 estudantes na Dom Helder

Solenidade marcou o início da etapa final, que prossegue até sexta-feira (4).

A advogada criminalista Paula Brener, presidente do ICP Jovem, discursa na abertura do evento.
A advogada criminalista Paula Brener, presidente do ICP Jovem, discursa na abertura do evento. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Gustavo Henrique de Souza e Silva, presidente do ICP.
Gustavo Henrique de Souza e Silva, presidente do ICP. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Amanda Batista e Paula Brener, do ICP Jovem, e Fernando Martelleto, diretor da Adep.
Amanda Batista e Paula Brener, do ICP Jovem, e Fernando Martelleto, diretor da Adep. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade.
Participantes da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal acompanham a solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Professora Camila Martins, coordenadora do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI) da Dom Helder.
Professora Camila Martins, coordenadora do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI) da Dom Helder. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
O advogado Fernando Martelleto, diretor da Adep, também discursou na solenidade.
O advogado Fernando Martelleto, diretor da Adep, também discursou na solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
O advogado Fernando Martelleto, diretor da Adep, também discursou na solenidade.
O advogado Fernando Martelleto, diretor da Adep, também discursou na solenidade. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Professora Camila Martins, coordenadora do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI) da Dom Helder.
Professora Camila Martins, coordenadora do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI) da Dom Helder. Foto (Larissa Troian/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes.
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes. Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes.
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes. Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes.
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes. Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha
Alunos durante as defesas sobre as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes.
Integrantes do ICP avaliam os jovens concorrentes. Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta Foto (Patrícia Almada/DomTotal)
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta
Anúncio dos classificados para a etapa de sexta Foto (Patrícia Almada/DomTotal)

A Dom Helder Escola de Direito recebeu, na manhã desta quinta-feira (3), a solenidade de abertura da etapa final da I Competição Mineira de Direito e Processo Penal, promovida pelo Instituto de Ciências Penais Jovem (ICP Jovem). O evento reúne equipes de diferentes estados do Brasil, duas delas formadas por alunos da Dom Helder. Elas foram classificadas após a análise dos memoriais escritos e participam, na tarde desta quinta-feira (23), dos debates orais.

“Vamos colocar em números: são 44 equipes, com uma média de oito participantes em cada, totalizando 350 estudantes, oriundos de 20 instituições de ensino”, apontou o advogado Gustavo Henrique de Souza e Silva, presidente do ICP. Em seu discurso, Gustavo destacou a proposta de construir um ambiente democrático e participativo, que acompanha o ICP desde a sua fundação, em 1999. “Este é o exemplo que esse jovem, que completa 20 anos, nos dá: exercitem o que vocês acreditam, porque isso tem o viés de mudar a nossa realidade”, afirmou o advogado.

O diretor da Associação das Defensoras e Defensores Públicos de Minas Gerais (Adep), advogado Fernando Martelleto, também participou da solenidade e parabenizou o ICP Jovem pela iniciativa. “Eventos desta natureza em muito contribuem para a formação dos estudantes e a visão crítica do Direito Penal. Vocês darão continuidade ao processo evolutivo, de construção da própria civilização humana. Não retroceder um passo sequer – esse é o maior desafio”, disse Martelleto.

A professora Camila Martins, coordenadora do Centro de Simulação e Intercâmbio (CSI) da Dom Helder, deixou palavras de acolhimento e incentivo aos participantes. “É uma honra sediar essa competição! O espaço é de vocês, sintam-se em casa. Quero deixar meus parabéns à equipe do ICP Jovem, foram meses de preparação e organização – um trabalho intenso. E parabéns a todos os participantes, que lutaram para conseguir uma equipe, encontrar orientadores, se inscreveram, treinaram, enviaram os memorais escritos, foram classificados. Estar aqui já é uma vitória!”, destacou.

Para fechar a solenidade de abertura, a advogada criminalista Paula Brener, presidente do ICP Jovem, destacou o caráter inédito do evento – trata-se da primeira competição de Direito Penal do Brasil. “A ideia surgiu em uma reunião do ICP Jovem, buscando trazer os estudantes para participar, ter espaço e voz também no Direito Penal. As outras áreas já contavam com competições. Finalmente, após um ano inteiro de planejamento, nós chegamos a esse momento – a parte emocionante”, brincou Paula.

De acordo com a presidente, a competição busca valorizar, especialmente, três competências: o trabalho em equipe, a produção do texto escrito e a oralidade. Serão premiadas as equipes campeã e vice-campeã, a equipe com melhor memorial e a equipe com melhor oratória. O tema em debate é "Medidas protetivas de urgência da Lei Maria da Penha".

Para o estudante Rodrigo Prado, que cursa o 6º período na Dom Helder, o tema escolhido é pertinente e relevante, uma vez que as medidas protetivas de urgência são pouco discutidas. “Colocar este tema na competição foi uma escolha bem interessante. Estou feliz de participar, tenho boas expectativas para a final. Nossa preparação foi intensa, nos reunimos muitas vezes, a professora Lícia, orientadora do grupo, passou ótimas dicas”, contou Rodrigo. O estudante já participou do Tribunal Internacional Estudantil (TRI-e), promovido pela Dom Helder, e realiza agora sua estreia em competições externas. A colega Vivian Frade Prado, que integra o grupo, também aprovou o tema escolhido e ressaltou a boa organização do evento.

Leia também:


Patrícia Azevedo/Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Instituições Conveniadas