Esporte Futebol Mineiro

16/10/2019 | domtotal.com

Atlético tenta parar queda livre com estreia de Mancini diante do embalado CSA

Galo ocupou o G4 em boa parte do primeiro turno, mas neste momento vive sua pior fase no Campeonato Brasileiro

Mancini estará no banco de reservas já contra o CSA.
Mancini estará no banco de reservas já contra o CSA. (Bruno Cantini / Atlético)

Vagner Mancini vai dar início nesta quarta-feira, em Maceió, a um dos principais desafios de sua carreira: nos 13 jogos que restam para o Atlético no Campeonato Brasileiro, o novo treinador da equipe deve interromper a queda livre na tabela e, pelo menos tentar, classificá-la para a próxima edição da Copa Libertadores. O duelo com o CSA, no Rei Pelé, terá início às 19h15.

O Atlético, que ocupou as primeiras colocações em boa parte do primeiro turno, despencou nos últimos dois meses - o time venceu apenas um de seus últimos 11 jogos no Brasileirão. E é essa queda livre, motivo da demissão do técnico Rodrigo Santana, que Mancini precisa interromper, começando com uma vitória sobre o CSA.

"Nós não temos muito tempo, por isso é importante para o Atlético voltar a vencer rapidamente. Eu respeito muito o CSA, mas temos de focar na vitória. O Atlético, como time grande, vive disso", afirmou Mancini em entrevista à TV Galo.

Na tarde desta terça-feira (15), o treinador comandou em Maceió a sua primeira atividade no comando da equipe atleticana. Mancini pôde contar com o goleiro Cleiton e o lateral-direito Guga, que estavam com a seleção brasileira pré-olímpica e, por isso, desfalcaram o Atlético nas duas últimas rodadas. Outro que vai reforçar o time contra o CSA é o lateral-esquerdo Fábio Santos, que não enfrentou o Grêmio, no último domingo, por estar suspenso.

Em compensação, o técnico terá de lidar com alguns desfalques em sua primeira partida no clube. Três jogadores vão cumprir suspensão: o atacante Geuvânio e os meias Nathan e Cazares. Além deles, Otero, Victor, Jair e Chará também estão fora do jogo em Maceió.

Série positiva do CSA

De volta à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, após passar apenas uma rodada fora dela, o CSA volta a campo para tentar mudar esse quadro. Depois da derrota por 1 a 0 para o Goiás, no último sábado, o time alagoano se apoia no bom retrospecto construído nos últimos jogos como mandante para terminar o dia fora do grupo da degola.

O CSA não perde em casa desde 12 de agosto, quando foi derrotado por 2 a 0 pelo Fortaleza. Desde então, jogou mais cinco jogos diante de sua torcida, começando com um empate diante do Cruzeiro, antes de emplacar uma série de quatro vitórias, contra Chapecoense, Ceará, Avaí e Internacional. Com 25 pontos, é a primeira equipe dentro da zona de rebaixamento, em 17.º lugar, a um ponto de distância do Ceará, o primeiro fora da degola. Uma vitória sobre os atleticanos garante uma fuga ao menos provisória, já que o Ceará jogará apenas na quinta-feira, contra o Santos.

"Agora, nós estamos na briga e toda partida é uma final. Essa sequência de jogos é muito pesada porque sofremos com a questão de logística. Por exemplo, precisamos sair de Maceió e ir a Brasília para chegar em Goiânia. Na segunda, temos que sair de Goiânia para São Paulo e depois voltar até Maceió", disse o técnico Argel Fucks, reclamando das dificuldades de logística e da sequência de jogos.

O treinador deve fazer uma série de modificações no time. As mudanças devem começar com os retornos do zagueiro Alan Costa, do agora atacante Apodi e do lateral-direito Dawhan. Os dois primeiros foram poupados contra o Goiás e o último cumpriu suspensão automática. O volante João Vitor, recuperado de virose, também pode reaparecer entre os titulares.

O treinador terá de lidar com possíveis baixas. O goleiro Jordi está com dores no adutor da coxa direita e deve dar lugar a João Carlos. Já o atacante Ricardo Bueno, que ficou de fora contra o Goiás, pode ficar de lado mais uma vez se não estiver 100% recuperado de um estiramento leve na coxa.

FICHA TÉCNICA

CSA
João Carlos (Jordi); Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Carlinhos; Naldo, João Vitor (Jean Cléber), Jonatan Goméz e Apodi; Bustamante e Alecsandro (Ricardo Bueno ou Safira).

Técnico: Argel Fucks

Atlético
Cleiton; Guga, Igor Rabello, Réver, Leonardo Silva e Fábio Santos; Elias, Luan, Vinícius e Marquinhos; Di Santo.

Técnico: Vagner Mancini

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)

Data: 16 de outubro de 2019 (quarta-feira)

Horário: 19h15 (de Brasília)

Arbitragem: Savio Pereira Sampaio (DF)

Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Jose Reinaldo Nascimento Junior (DF)

VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (DF)


Agência Estado / Gazeta Esportiva / Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!

Comentários


Instituições Conveniadas