Esporte Futebol Nacional

04/11/2019 | domtotal.com

Carille deixa Corinthians após goleada para o Fla e Andrés dá ultimato

Presidente do Timão garante que 'vai ficar pouca gente' após demissão do técnico que não resistiu à goleada para o Flamengo no Maracanã

Carille foi demitido devido à queda do Timão na tabela do Campeonato Brasileiro
Carille foi demitido devido à queda do Timão na tabela do Campeonato Brasileiro (Thiago Ribeiro / Agif/Gazeta Press)

Fábio Carille deixou o comando do Corinthians neste domingo.  O treinador não resistiu à goleada de 4 a 1 para o Flamengo em jogo disputado no Maracanã, no Rio de Janeiro, e foi demitido logo após a partida válida pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O presidente do clube paulista, Andrés Sánchez, adotou um tom duro após a demissão de Carille e prometeu uma reformulação drástica no elenco para a temporada do próximo ano, deixando claro o descontentamento da diretoria com os jogadores. "Teremos mudanças drásticas. Vai ficar pouca gente."

LEIA TAMBÉM:

O presidente Andres Sánchez deixou claro que Carille foi demitido e não entregou o cargo. "Nós tiramos. Foi uma conversa, toda conversa de demissão é triste, ainda mais de um treinador que tem história grande no Corinthians, mas tivemos de tomar essa decisão", disse o dirigente.

O treinador deixa o clube em sua segunda passagem, que teve início no começo desta temporada. Neste ano, foram 70 jogos, sendo 27 vitórias, 25 empates e 18 derrotas. No total, Carille tem pelo Corinthians 183 jogos, sendo 86 vitórias, 56 empates e 41 derrotas.

Carille tinha contrato com o Corinthians até dezembro do ano que vem e a multa para mandá-lo embora é de cerca de R$ 6 milhões. Andres admite a dívida, mas diz que depois vai resolver como pagá-la. "Como ele disse, se precisar vamos de Casas Bahia (pagar em prestação). O Corinthians tem suas dificuldades financeiras, mas não era uma multa que segurava", completou.

A tendência é que o Corinthians seja comandado na quarta-feira, contra o Fortaleza, pelo auxiliar Fabinho ou por Dyego Coelho. Os dois trabalhavam como auxiliares de Carille. Andres não quis adiantar quem irá dirigir o time na sequência da temporada. "Vamos atrás de um treinador, mas não dá para chegar essa semana Vamos atrás, mas vai sair bastante gente", avisou.

Na primeira passagem, Carille conquistou o Campeonato Brasileiro de 2017 e o Paulistão de 2017 e 2018. No meio do ano passado, ele deixou o clube e foi trabalhar na Arábia Saudita. No fim do ano passado, retornou ao Corinthians e conquistou mais uma vez o Paulistão. Mas tudo mudou durante o Brasileirão, principalmente nas últimas rodadas. O treinador passou a criticar e cobrar publicamente o elenco corintiano, algo que desagradou os jogadores e membros da diretoria.

Conflitos

Desde dezembro no clube do Parque São Jorge nesta sua segunda passagem, não foram os resultados ruins que mais pesaram na decisão da diretoria. Mais até que os placares nada animadores, os conflitos do técnico com o elenco, as entrevistas polêmicas e o desempenho ao longo dos 90 minutos foram as principais razões para a demissão do jovem treinador.

Andrés Sanchez e boa parte da diretoria do Corinthians vinham incomodados há tempos com as declarações de Fábio Carille à imprensa nos momentos adversos do Corinthians na atual temporada. Desde a derrota para o Independiente del Valle, em plena Arena, a relação do treinador com o elenco degringolou. Na tentativa de evitar maiores estragos, o departamento de comunicação do clube, apoiado por Carille, vinha evitando com que o agora ex-técnico falasse aos microfones.

A entrevista coletiva de Carille da última sexta-feira parece ter sido a gota d'água para Andrés Sanchez e companhia. Durante a sabatina dos jornalistas que estavam no CT Joaquim Grava, o então treinador corintiano admitiu que sentia vergonha ao ver sua equipe jogar, e também foi ácido ao comentar sobre a multa rescisória do seu contrato, principal empecilho para a sua demissão naquele momento.

Carille citou a alta dívida do Corinthians, em tom debochado na visão de alguns dirigentes, para minimizar o valor da multa rescisória. "Graças a Deus, hoje não me preocupo tanto com a parte financeira, minha vida mudou muito de 2017 para cá. Esses dias o Andrés falou do valor da dívida do Corinthians, quem deve R$ 450 milhões deve R$ 470 milhões. Não é o dinheiro que vai me prender aqui. Se está o clima ruim, não é o dinheiro que vai fazer segurar. Nem se eu quiser ou se o clube quiser, parcela em 350 vezes, igual nas Casas Bahia. Minha multa é muito pouco para o problema do Corinthians", disse Carille.

Antes de a situação se tornar insustentável para dirigentes e jogadores, a diretoria do Timão estava disposta a ter mais paciência com o treinador, por entender que era necessário observar como o então técnico reagiria a uma situação inédita na curta carreira de menos de três anos. A resposta, tanto dentro quanto fora de campo, não agradou. E até a atitude junto a Mateus Vital, logo após as declarações desastrosas depois da derrota para o Del Valle, pesou contra o técnico nesta última semana como comandante do Corinthians.


Agência Estado / Gazeta Esportiva / Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários