Esporte Futebol Mineiro

12/11/2019 | domtotal.com

Injúria racial: Atlético expulsa torcedores do quadro de sócios; dupla pede perdão

Após depoimento à polícia, um dos homens que aparecem no vídeo negou que tenha proferido o termo "macaco" e diz não ser racista

Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, e Natan Siqueira da Silva
Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, e Natan Siqueira da Silva (Reprodução)

Os dois atleticanos acusados de injúria racial contra um segurança do Mineirão foram excluídos do programa de sócio-torcedor, informou o clube nesta terça-feira (12), mesmo dia que Adrierre Siqueira da Silva, de 37 anos, e Natan Siqueira da Silva, de 28, pediram desculpas à vítima, Fábio Coutinho, de 42, e afirmaram que não são racistas. Os dois foram ouvidos pela Polícia Civil sobre o ato de injúria racial cometido no clássico contra o Cruzeiro, no Mineirão.

Leia também:

“O Clube Atlético Mineiro informa que os dois torcedores identificados pela Polícia Civil, acusados de praticar injúria racial no clássico do último domingo, pertenciam ao programa Galo na Veia, embora inadimplentes. De qualquer forma, ambos foram desligados do programa de sócio-torcedor do Clube”, diz a nota.

O caso tornou-se público após a divulgação de um vídeo nas redes sociais. Durante a confusão generalizada em parte do estádio, Adrierre diz ao segurança “olha a sua cor” . Hoje, ele disse não ser racista, “(Quero) pedir perdão ao Fábio Coutinho pela minha atitude impensada. Eu não sou racista, estou completamente arrependido do que falei. Falei em um momento de ânimos exaltados. Aquilo não é da minha índole. Se tiver oportunidade, quero pessoalmente pedir perdão a ele. Tenho parentes que são negros, o meu cabeleireiro há dez anos é negro”, argumentou.

Já Natan é suspeito de chamar o segurança de “macaco”. Ele nega e garante que disse palhaço. “Eu tenho irmão negro, pessoas que cortam meu cabelo são negras. Me dou com vários amigos negros. Isso não foi da minha índole”, relatou. “A única coisa que eu tenho que fazer é pedir perdão ao Fábio Coutinho, à equipe de segurança, à nação atleticana, a todos os amantes do futebol e à família dele”, completou.

O suspeito diz que teve o número do telefone dele divulgado e tem sofrido ameaças.

Apoio

Vítima de injúria racial, o segurança Fábio Coutinho se encontrou com o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, nesta terça-feira (12), na sede administrativa do clube. Na encontro, o mandatário ofereceu apoio jurídico gratuito.


Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários