Esporte Futebol Mineiro

13/11/2019 | domtotal.com

Fábio Santos nega 'ajuda' do Atlético ao rival se bater Flu: 'Nem penso nisso'

Lateral lembra que Galo ainda corre risco de ser rebaixado. Por isso, não como ajudar nem atrapalhar nenhum clube

'A nossa situação não está boa para pensar nos outros'
'A nossa situação não está boa para pensar nos outros' (Bruno Cantini / Atletico)

Com seis rodadas para o final do Campeonato Brasileiro, a briga para fugir da zona de rebaixamento está intensa e nela estão alguns grandes clubes do país como Cruzeiro e Fluminense. Justamente o time carioca é o próximo adversário do Atlético, neste sábado (16), no Maracanã. Uma vitória da equipe alvinegra poderá beneficiar o rival, mas não é isso o que o elenco pensa, até porque o próprio Atlético corre pequeno risco de quedo.

"Nem penso nisso (em ajudar o Cruzeiro). A nossa situação não está boa para pensar nos outros. Temos que fazer os 45 pontos o quanto antes para sair deste sufoco e deixar o problema para o outro lado. Esquecer quem podemos ajudar ou atrapalhar nesse momento. Temos que pensar no Atlético", disse o lateral-esquerdo Fábio Santos, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (13) na Cidade do Galo, o CT atleticano.

Na tabela de classificação, o Fluminense ocupa a 17ª posição, dentro da zona de rebaixamento, com 34 pontos. O Cruzeiro, outro muito ameaçado, está no 16º posto, o primeiro fora da degola, com 35. O Atlético, um pouco mais tranquilo - mas ainda correndo riscos -, é o 12º colocado, com 40.

Contra o Fluminense, Fábio Santos chegará à marca de 200 jogos com a camisa alvinegra. Contratado no meio de 2016, o jogador acumula 199 partidas, tendo marcado 17 gols.

"Passou rápido. Eu brinco que jogar em time que ganha por três anos e meio é fácil, mas jogar em time que não foi campeão em três anos e meio é difícil de permanecer titular. Por isso que eu falo que quando as cobranças veem é natural. O cara permanecer tanto tempo no clube jogando como titular, onde todas as outras posições rodaram, e eu continuei ali. Em três anos e maio, você completar uma marca de 200 jogos é muito significativo", afirmou o lateral-esquerdo.

"Fico feliz, é um clube que abriu as portas para mim, me sinto bem na cidade, no clube. Falta um título grande ainda, isso me incomoda demais, tenho tentado trabalhar e buscar isso. O torcedor merece essa conquista, mas, sem dúvidas, muito feliz pelas marcas", completou o jogador, que é bicampeão da Copa Libertadores (São Paulo, em 2005, e Corinthians, em 2012) e do Mundial de Clubes da Fifa (Corinthians, em 2012).


Agência Estado

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários