Religião

19/11/2019 | domtotal.com

A esperança na Criação nunca seca e une cristãos em defesa do planeta

A consciência cresceu, a coragem da resistência ficou mais forte e agora as crianças têm a palavra

Incêndio se propaga ao longo da rodovia 405 ao norte de Los Angeles em 28 de outubro.
Incêndio se propaga ao longo da rodovia 405 ao norte de Los Angeles em 28 de outubro. (Reuters/ Gene Blevins)

Patricia Bergen*
NCR

A Amazônia está queimando, as tempestades estão acabando com tudo, as ilhas estão se afogando, Jacarta está afundando, os aquíferos estão secando, as espécies estão extintas, as terras estão virando desertos e lugares em todo o mundo passaram por um dos verões mais quentes da história; enquanto isso, as leis destinadas a proteger nosso planeta estão sendo tiradas – e temos motivos para ter esperança? Sim, temos motivos para a esperança!

Em agosto de 2015, o papa Francisco se uniu ao eco do pedido de oração pelo cuidado da criação, expresso pelo patriarca Bartolomeu, da Igreja Ortodoxa Oriental, que há muito tempo celebrava o dia 1º de setembro como o dia de oração pela criação. Francisco expandiu seu chamado à oração pedindo um "tempo para a Criação". Hoje, líderes de muitas igrejas cristãs estão pedindo a participação dos fiéis através de oração, a ação e a defesa. A crise do planeta uniu muitos cristãos em torno de uma causa maior do que todas as coisas que os separava. Esta é uma razão para ter esperança!

Não apenas os cristãos, mas também as pessoas de diversas tradições religiosas emergiram com uma só voz em oração, em ação e em defesa do planeta que abriga todas as criaturas. Pessoas de todos os credos e aqueles que afirmam não ter fé estão percebendo sua interdependência entre si e com todas as criaturas. Ao compartilhar sua crença e pesar sobre a situação do planeta e suas criaturas, as pessoas estão escolhendo ver com os olhos de sua alma e estão descobrindo uma unidade em seu núcleo que é muito mais poderosa do que qualquer ideia que pareça dividi-las. Esta é mais uma razão para ter esperança!

Enquanto mais e mais pessoas sofrem a dor da desertificação do planeta, a falta de comida e água potável, o naufrágio de suas cidades, o sofrimento e o desespero dos migrantes, a dor da tristeza e da lamentação aumenta. Quem acreditaria que essa dor dignificaria uma bênção? Quando a dor queima o coração, quando a lamentação enche a Terra e a indignação clama no profundo da alma da humanidade, esse pode ser o terreno fértil do qual emergem visões poderosas. Dor, lamentação e lágrimas podem ser uma bênção, pois revelam o fim da era em que éramos cegos e surdos, representa o fim da negação – e essa é a razão da esperança!

Quando estou com alguém na direção espiritual, fico empolgado porque percebo a preocupação pela criação, pois sinto que um avanço da graça está a caminho. Através de anos de experiência, entendo que quanto maior a luta, maior a graça que está tentando nascer na vida de alguém. Acredito que a mesma luta vale para o mundo. Uma nova consciência começou a surgir após o holocausto e a explosão da bomba atômica da Segunda Guerra Mundial. A consciência da separação e da dualidade que aparentemente servira tão bem ao mundo ocidental se revelou terrivelmente destrutiva. Uma nova consciência começou a emergir. Essa consciência de unidade, interconectividade, lentamente, marcou seu caminho em todo mundo.

À medida que essa consciência crescia, a força da resistência se fortalecia. Os indivíduos fazem escolhas corajosas em favor da ecologia, e as empresas mudam de políticas que prejudicam para políticas que curam o meio ambiente. Os locais de culto instalam painéis solares, preferem-se políticas de demolição e não de desconstrução e os pobres tornam-se os construtores das suas próprias moradias. Muitos jardins em coberturas aparecem em arranha-céus, arquitetos e empreiteiros projetam e constroem de acordo o padrão da certificação Leed, fabricantes de automóveis desenvolvem carros elétricos, diferentes localidades começam a reciclar desperdícios, o plástico descartável começa a desaparecer, as pessoas começam a plantar serralha para atrair borboletas e abelhas para proteger nossos preciosos polinizadores da extinção, e o Acordo de Paris recebe apoio da base. Esta é mais uma razão para ter esperança!

Em 2015, 21 jovens processaram o governo federal estadunidense por políticas energéticas que contribuem para as mudanças climáticas, o que lhes nega o direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade. Eles reivindicam o direito a um sistema climático capaz de sustentar a vida. Milhares de apoiadores aderiram a suas vozes. Após anos de contratempos do ramo executivo do governo dos EUA, o Supremo Tribunal concedeu-lhes uma audiência. Em junho, o tribunal de apelações votou para outorgar uma audiência a este caso (Juliana x EUA).

Uma garota sueca de 15 anos chamada Greta Thunberg levantou a voz para falar na ONU e ao papa Francisco sobre sua indignação com a falta de urgência da geração mais velha em salvar o planeta. A voz de uma menininha deu início a uma revolução global de várias gerações em nome do planeta, que todos chamam de lar. Esta é uma razão para ter esperança!

Em 20 de setembro, as crianças do planeta empreenderam uma greve climática, pedindo para os participantes, oração, ação e a defesa de todos os seres humanos em nome de nossa casa comum antes que seja tarde demais. Essa é uma razão para ter esperança? Com certeza!

Entre no tempo da esperança. Peça ao espírito para abrir seu coração à unidade. Apoie as crianças do planeta que estão dando seu tempo, talento e voz na esperança de um futuro para seus filhos. Junte-se ao movimento de oração, ação e defesa de direitos em nosso lar comum e descubra sua própria esperança em chamas para garantir um futuro cheio de mais esperança para aqueles que vierem depois de nós.


Publicado originalmente por National Catholic Report.


Tradução: Ramón Lara



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!