Mundo

11/12/2019 | domtotal.com

Impeachment contra Trump: democratas apresentam acusações contra presidente

É quase certo que a Câmara controlada pelos democratas votará pelo impedimento do presidente, o que pode acontecer na próxima semana.

O presidente do Comitê Judicial da Câmara de Representantes, Jerry Nadler, anuncia as acusações contra o presidente dos  Estados Unidos, Donald Trump, em Washington, no dia 10 de dezembro de 2019.
O presidente do Comitê Judicial da Câmara de Representantes, Jerry Nadler, anuncia as acusações contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Washington, no dia 10 de dezembro de 2019. (AFP)

Democratas da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos anunciaram acusações formais de impeachment contra Donald Trump nessa terça-feira (10), abrindo caminho para uma batalha no Senado que a Casa Branca disse que inocentará totalmente o presidente republicano.

As duas acusações formais, ou artigos de impeachment, imputam a Trump ter abusado de seu poder na tentativa de pressionar a Ucrânia a investigar um rival político e depois obstruido a investigação do Congresso sobre o escândalo.

É quase certo que a Câmara controlada pelos democratas votará pelo impedimento do presidente, o que pode acontecer na próxima semana. Um julgamento aconteceria no Senado de maioria republicana em seguida, provavelmente em janeiro. Nenhum republicano da Câmara ou do Senado se manifestou a favor do impeachment de Trump.

O presidente democrata do Comitê Judiciário, Jerrold Nadler, disse aos repórteres que os democratas têm que agir porque Trump ameaçou a Constituição dos EUA, minou a integridade da eleição de 2020 e colocou a segurança nacional em perigo.

"Ninguém, nem mesmo o presidente, está acima da lei", disse Nadler em uma coletiva de imprensa para anunciar as acusações formais de impeachment. Ele estava acompanhado pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e por outros líderes democratas envolvidos no inquérito de impeachment.

"Nossas eleições são um pilar da democracia... a integridade de nossa próxima eleição está ameaçada por um presidente que já tentou buscar interferência estrangeira nas eleições de 2016 e 2020", disse Nadler.

Trump nega qualquer irregularidade e qualificou o inquérito de impeachment como uma farsa.

A Casa Branca, que se recusa a participar das audiências da Câmara alegando que o processo é injusto, acusou os democratas de realizarem uma tentativa "infundada e partidária" de reverter os resultados da votação de 2016.

"O presidente tratará destas acusações falsas no Senado e acredita que será totalmente inocentado, porque não fez nada de errado", disse a porta-voz da Casa Branca, Stephanie Grisham.

Depois que os artigos de impeachment foram anunciados, Trump tuitou "CAÇA ÀS BRUXAS!". Mais cedo ele atacou o inquérito de impeachment, tuitando que retirar um presidente quando o país tem uma economia tão forte, "e ainda mais importante, que não fez NADA errado, é pura loucura política!"

Os democratas avançaram rapidamente desde que iniciaram o inquérito em 24 de setembro, reagindo à denúncia de um delator que mostrou preocupação com uma conversa telefônica de 25 de julho na qual Trump pediu ajuda do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, para investigar o ex-vice-presidente Joe Biden, um dos favoritos à indicação democrata para enfrentar Trump na eleição do ano que vem.


Reuters



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!