Cultura Artes Visuais

19/12/2019 | domtotal.com

Artista pernambucano Francisco Brennand morre aos 92 anos

Criador de uma vasta obra transformou sua oficina no Recife em instituto há três meses

Brennand deixa um enorme legado e o espaço foi transformado em setembro deste ano em fundação, com o objetivo de preservar o patrimônio e o acervo
Brennand deixa um enorme legado e o espaço foi transformado em setembro deste ano em fundação, com o objetivo de preservar o patrimônio e o acervo (Evaristo Sá/AFP)

Atualizada às 17h50

O artista plástico pernambucano Francisco Brennand morreu na manhã desta quinta-feira (19) aos 92 anos. Conhecido como Gênio da Várzea, Brennad explorou as mais diversas linguagens artísticas: escultura, desenho, pintura, tapeçaria, ilustração e gravura, mas se tornou célebre com seu trabalho em cerâmica.  

Internado há 10 dias no Real Hospital Português após ser diagnosticado com um quadro grave de pneumonia, causa de seu falecimento. O corpo de Brennand será velado a partir das 16h na Capela Imaculada Conceição, na Oficina de Cerâmica Francisco Brennand, no bairro da Várzea, em Recife (PE, em cerimônia aberta ao público.

Francisco de Paula Coimbra de Almeida Brennand iniciou a sua formação artística em 1942, aprendendo a modelar com Abelardo da Hora (1924). Em seguida, recebeu influências de pintura de Álvaro Amorim e Murilo Lagreca. Em seus quadros, estão presentes flores e frutos que parecem flutuar no espaço, explorando o uso de linhas simplificadas e cores puras. O gosto pela cerâmica foi incentivado por obras de Pablo Picasso, Joán Miró e Fernand Léger, artistas com quem teve contato durante o período que estudou em Paris.

Em 1971, Brennand deu início à restauração da antiga olaria, Cerâmica São João da Várzea, fundada em 1917 pelo próprio pai, as ruínas no ateliê que agora leva seu nome. O monumental museu a céu aberto, formado por corredores, galpões e jardins, foi sendo povoado por figuras antropomórficas, animais de aspecto mítico, painéis, esculturas, imagens eróticas e formas fálicas, alegorias religiosas, formas totêmicas quase aborígenes e bestas que ganham vida em ovos portentosos. 

Brennand deixa um enorme legado e o espaço foi transformado em setembro deste ano em fundação, com o objetivo de preservar o patrimônio e o acervo composto por mais de 2 mil peças. "Minha preocupação é a reprodução: a vida é eterna, porque se reproduz e não pode haver reprodução sem sexualidade", disse Brennand, imponente e com sua inconfundível barba branca, em 2008.

Sua sobrinha-neta Mariana Brennand realizou o documentário Francisco Brennand, em 2012, sobre a trajetória do artista. Por ocasião de seus 90 anos, a Fundação Nacional de Arte registrou em vídeo um depoimento e belas imagens do ateliê.

As esculturas de Brennand decoram grandes espaços no Brasil e já percorreram importantes cidades da Europa e dos Estados Unidos. Uma de suas obras mais conhecidas é o Parque das esculturas, que reúne 90 peças no Porto de Recife.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, lamentou a morte de Brennand e decretou três dias de luto. "Uma perda irreparável", disse Geraldo Julio, prefeito da cidade, que também decretou luto.


Redação Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!