Religião

03/01/2020 | domtotal.com

Cristo, o divino que nos ensina a viver o tempo

A eternidade de Deus ensina o cristão a viver plenamente o tempo presente

As promessas para o futuro eterno não devem tirar nossos pés do chão
As promessas para o futuro eterno não devem tirar nossos pés do chão (JR Korpa/ Unsplash)

Felipe Magalhães Francisco*

Direta ou indiretamente – sem, aqui, fazer qualquer juízo moral e crítico – a vida de Jesus de Nazaré e, sobretudo, o que foi experimentado e ressignificado dessa vida pelos discípulos dele, mudou o rumo da história da humanidade. A cultura ocidental marca, de modo geral, seu calendário, a partir do que se acreditava ter sido o ano do nascimento de Jesus, como marco de um novo tempo. A comunidade secular é datada e se organiza no calendário a partir disso. Os cristãos e cristãs têm Jesus Cristo como o Senhor da história e do tempo. O grande livro bíblico de exortação à esperança, o Apocalipse, ensina-nos a esperar nele, que é o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim.

Alfa e Ômega, Princípio e Fim são imagens simbólicas para dizer que Cristo, o Eterno, é soberano sobre a realidade. Essa soberania está a serviço do Reino que é de Deus, e que desponta já em nossa história, mas que permanece como promessa de um futuro possível, no qual tudo será recriado para uma vida indestrutível, no coração mesmo desse Deus. Para a fé cristã, é só em Cristo que temos a revelação do sentido de nossa história, e para o lugar ao qual ela aponta e se dirige. É por isso que o Apocalipse, nesse sentido, é o maior dos livros bíblicos a exortar e a incentivar à esperança.

Uma das questões que os cristãos tiveram que lidar, desde tão logo assumiram esse jeito de viver, pautado na fé e no seguimento de Jesus Cristo, foi o de que as promessas para o futuro eterno não devem tirar nossos pés do chão. Ao contrário, a esperança deve ser capaz de nos colocar a serviço de fazer e construir uma vida e um mundo carregados de sentido. Estar sempre prontos a dar razão de nossa esperança (1Pd 3,15) é tarefa cotidiana que tem valor de testemunho: não confiamos apenas que essa promessa se destine a nós, mas a todos e todas e, por isso, buscarmos viver uma vida conforme à vida de Jesus para que mais e mais pessoas descubram o quanto ela tem sentido.

Aproveitando esse novo ciclo anual que acabou de se iniciar, bem como o início do fim de um ciclo de uma década, dedicamos nosso Dom Especial desta semana a refletir sobre como viver o tempo, inspirados pela vida de Jesus Cristo e pela fé nele. O primeiro tema a ser explorado é proposto por Daniel Couto, no artigo Cristo, Senhor do tempo. No texto, Daniel nos leva a uma leitura filosófica a respeito da compreensão do tempo, pautada naquilo que a fé em Jesus Cristo nos inspira e ensina. Mostrando como o cotidiano está e deve estar todo marcado pela experiência do mistério da vida de Cristo, César Thiago do Carmo propõe o artigo Mistério Pascal e cotidianidade, como convite a uma vida mística, no tempo cotidiano. Por fim, Teófilo da Silva reflete a importância das proposições, expectativas e planos que feitos em cada mudança de ciclo, e em como a experiência cristã pode nos ajudar a viver de modo cheio de significados nossa história, no artigo Com Cristo, fazer novas todas as coisas.

Boa leitura e um abençoado 2020, rico de paz e prosperidade em nossa humanidade!

*Felipe Magalhães Francisco é teólogo. Articula a Editoria de Religião deste portal. É autor do livro de poemas Imprevisto (Penalux, 2015). E-mail: felipe.mfrancisco.teologia@gmail.com



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!