Cultura

11/01/2020 | domtotal.com

'Megxit': Meghan destinará cachê da Disney para animais e residirá no Canadá com Harry

Negociações sobre futuro de Harry e Meghan estão indo bem, diz fonte da realeza

A decisão repentina do príncipe, comunicada sem o consenso do restante da família, deixou a realeza desnorteada
A decisão repentina do príncipe, comunicada sem o consenso do restante da família, deixou a realeza desnorteada (AFP)

As discussões sobre os planos futuros para o príncipe Harry e a esposa Meghan estão progredindo bem e devem terminar dentro de dias, disse uma fonte da realeza britânica neste sábado.

O casal, oficialmente conhecido como duque e duquesa de Sussex, surpreendeu o restante da família real na quarta-feira ao anunciar inesperadamente que se afastaria de suas funções reais para passar mais tempo na América do Norte e obter sua própria renda. O caso vem sendo chamado de 'Megxit', uma referência ao Brexit.

Eles não consultaram a avó de Harry, a rainha Elizabeth, ou outros membros da família real antes de fazerem o anúncio em um novo site, sussexroyal.com. Autoridades passaram a sexta-feira realizando reuniões sobre novos arranjos para Harry e Meghan, e a situação estava progredindo bem, de acordo com a fonte, que acrescentou que o objetivo é chegar a um acordo dentro de dias.

A fonte disse que as autoridades consultaram os governos britânico e canadense sobre a questão do futuro do casal. Meghan está no Canadá com o filho bebê do casal, Archie, e ela e Harry estão pensando em firmar base nesse país. Foi lá onde passaram as festas de fim de ano, em vez de ficar com a família, na casa de campo da rainha, no leste da Inglaterra.

Disney e os animais

Separadamente, o jornal London Times informou que Meghan, uma ex-atriz de TV, havia concordado em gravar uma dublagem para a Disney em troca de a empresa fazer uma doação a uma instituição de caridade que trabalha para proteger os elefantes.

O Times não deu detalhes sobre o que envolveria a dublagem de Meghan, mas disse que a Disney faria uma doação para a instituição de caridade Elephants Without Borders. O jornal não citou a fonte da informação.

Uma porta-voz oficial do Palácio de Buckingham não fez comentários imediatos sobre a reportagem. A Disney não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Dinheiro e conflito

Em uma decisão que causou polêmica no país, os duques também decidiram pôr fim à sua relação oficial com a imprensa e assumir sua "independência financeira", após meses manifestando seu mal-estar com a pressão midiática e com as limitações impostas como membro da família real.

Uma pesquisa publicada nesta sexta-feira pelo jornal National Post revela que 61% dos canadenses gostaria que Harry fosse o próximo governador geral, o representante da Rainha Elizabeth II nesta antiga colônia britânica.

Citando uma fonte do Palácio de Buckingham, a imprensa britânica informou que Elizabeth II pediu a sua equipe, assim como ao príncipe Charles e a seus netos Harry e William, que trabalhem "a um ritmo constante" para encontrar "soluções viáveis" ao problema.

Segundo o Telegraph, fontes da casa real manifestaram suas dúvidas sobre a viabilidade do casal abandonar suas obrigações reais conservando os títulos de nobreza, a subvenção financeira e a recentemente reformada residência do casal na área do castelo de Windsor.

O que Harry e Meghan sugerem "é uma situação sem precedentes em relação aos membros da família real, com a manutenção de alguns deveres oficiais mas também operando de forma privada. De fato não há um precedente para isto", disse à AFP Victoria Murphy, especialista em monarquia britânica.

Harry e Meghan registraram a marca "Sussex Royal", segundo um anúncio publicado em dezembro pelo órgão britânico encarregado. A marca envolveria uma ampla gama de produtos, de calendários e postais até roupas, passando por serviços de assessoria e campanhas beneficentes.

"Todo o projeto de Harry e Meghan é muito problemático", uma mistura de público com privado, declarou à AFP o comentarista real Peter Hunt. "Seu desejo de ganhar dinheiro pode prejudicar o nome Windsor".

Jaula de ouro

Ex-atriz e afrodescendente, Meghan foi à princípio considerada como alguém que traria um sopro de ar fresco à realeza, uma instituição querida pelos britânicos, ainda que arcaica diante do Reino Unido multicultural do século XXI.

Diferentemente da princesa Diana, que tinha apenas 19 anos ao se casar com Charles, Meghan parecia suficientemente madura para saber o que lhe aguardava ao entrar para a família real em 2018.

No entanto, a duquesa de Sussex não se adaptou à jaula de ouro da realeza, que tem séculos de tradição.


Reuters

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários