Cultura Cinema

20/01/2020 | domtotal.com

Filme de Bong Joon Ho, 'Parasita' ganha maior prêmio da Associação dos Atores

Filme sul-coreano ganha força para disputar o Oscar com '1917', um dos favoritos

Elenco de 'Parasita' foi ovacionado com um aplauso de pé no Shrine Auditorium
Elenco de 'Parasita' foi ovacionado com um aplauso de pé no Shrine Auditorium (Divulgação)

A corrida pelo Oscar de melhor filme inesperadamente embolou com a vitória do sul-coreano Parasita, na premiação da Associação dos Atores, a Screen Actors Guild (SAG), na noite de domingo (19), em Los Angeles (EUA). O longa dirigido por Bong Joon Ho levou o troféu de melhor elenco, correspondente a melhor longa. Com isso, 1917, que havia conquistado a preferência do Sindicato dos Produtores, ganha um concorrente à altura na disputa da estatueta da Academia.

Parasita, cujo elenco foi ovacionado com um aplauso de pé da plateia presente ao Shrine Auditorium, derrotou O escândalo, O irlandês, Jojo Rabbit e Era uma vez... em Hollywood. "Embora o título seja Parasita, a história é sobre coexistência e como todos podemos viver juntos", disse Song Kang Ho, uma das estrelas do filme, auxiliado por um tradutor. Curiosamente, nenhum ator do longa está entre as seis indicações recebidas para o Oscar, cuja cerimônia será no dia 9 de fevereiro.

Outra estrela da noite do SAG foi Brad Pitt, eleito o melhor ator coadjuvante por Era uma vez... em Hollywood, portanto, grande candidato à estatueta da Academia. Depois de confessar que estava com gripe, Pitt olhou para seu prêmio e disse: "Tenho de adicionar isso no meu perfil do Tinder". Em seguida, acrescentou, falando sobre seu papel: "Vamos ser honestos, foi uma parte difícil. Um cara que fica chapado, tira a camisa e não se dá bem com a esposa. Foi um grande momento".

Laura Dern foi eleita a melhor atriz coadjuvante, por História de um casamento, enquanto na linha principal os favoritos Renée Zellweger (Judy) e Joaquin Phoenix (Coringa) confirmaram as apostas. Phoenix, aliás, dedicou seu prêmio a seu antecessor no papel: "Estou aqui nos ombros de meu ator favorito, Heath Ledger", disse ele, referindo-se ao colega que morreu em 2008, aos 28 anos, ganhador de um Oscar póstumo como melhor coadjuvante por Batman: O cavaleiro das trevas.

O ator também elogiou seus colegas concorrentes e revelou que já havia perdido papeis para o colega Leonardo DiCaprio, que concorria por sua atuação em Era uma vez... em Hollywood. "Quando eu voltei a atuar, e a ir nas audições, eu sempre recebia a chamada final. Muitos sabem como isso funciona. E sempre tinha outros dois caras com quem eu disputava, e nós sempre perdíamos para esse mesmo garoto. Nenhum ator dizia o nome dele porque era demais. Mas os diretores de elenco sussurravam: 'é o Leonardo. É o Leonardo. Quem é esse Leonardo?' Leo, você é uma inspiração há 25 anos para mim e muitas pessoas, eu te agradeço muito, muito mesmo", disse.

Na briga entre as empresas de streaming, a surpresa ficou por conta da vitória de Jennifer Aniston como melhor atriz em série dramática, por The Morning Show – o programa é da Apple+, serviço lançado há pouco mais de dois meses.


Agência Estado



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.
EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!