Mundo

26/01/2020 | domtotal.com

ONU denuncia violações do embargo sobre as armas na Líbia

Violações ameaçam mergulhar o país de volta em uma nova espiral de intensos combates

Secretário-geral da ONU Antonio Guterres e a chanceler alemã Angela Merkel, durante conferência sobre a Líbia em 19 de janeiro de 2020, em Berlim
Secretário-geral da ONU Antonio Guterres e a chanceler alemã Angela Merkel, durante conferência sobre a Líbia em 19 de janeiro de 2020, em Berlim (POOL/AFP/Arquivos)

A Missão das Nações Unidas na Líbia (Manul) denunciou neste domingo as violações do embargo sobre as armas na Líbia, apesar dos compromissos assumidos em uma recente conferência internacional em Berlim.

A Manul "lamenta profundamente as violações flagrantes e persistentes do embargo sobre as armas", objeto da resolução 1970 de 2011 do Conselho de Segurança, "apesar dos compromissos dos países envolvidos na conferência internacional sobre a Líbia em Berlim, em 19 de janeiro", afirma em comunicado.

Entre os principais compromissos assumidos pelos participantes desta conferência internacional estava o fim da entrega de armas aos poderes rivais, o Governo de União (GNA) em Trípoli e o marechal Khalifa Haftar, homem forte do leste líbio.

Em Berlim, as partes presentes, incluindo a Turquia, que apoia o GNA, também se comprometeram a abster-se de qualquer interferência nos assuntos líbios e de qualquer ato que possa exacerbar o conflito, como o financiamento ou recrutamento de mercenários.

O marechal Haftar, que é apoiado pela Rússia, Emirados Árabes Unidos e Egito, lançou em 4 de abril uma ofensiva para tomar a capital Trípoli, sede do GNA, reconhecido pela ONU.

Um cessar-fogo foi estabelecido em 12 de janeiro por iniciativa de Moscou e Ancara.

Apesar das acusações recíprocas e de alguns combates relatados, a trégua tem sido respeitada no geral, segundo a ONU, o que representa "um descanso bem-vindo aos habitantes da capital".

"Esta trégua frágil está hoje ameaçada pelo envio de combatentes estrangeiros, armas, munições e sistemas avançados para as partes pelos Estados membros, muitos dos quais participaram da Conferência de Berlim", disse a Manul, sem identificar esses países.

Segundo a ONU, essas cargas pousaram em aeroportos no oeste e leste do país nos últimos dez dias para entregar aos beligerantes "armas avançadas, veículos blindados, conselheiros e combatentes".

Essas "violações em curso" ameaçam mergulhar o país de volta em "uma nova espiral de intensos combates", alertou a Manul.

No sábado, os confrontos em Trípoli deixaram pelo menos um civil (marroquino) morto e sete feridos entre civis.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários