Direito

09/03/2020 | domtotal.com

Defesa de Ronaldinho Gaúcho pede mudança para prisão domiciliar no Paraguai

Ídolo brasileiro e o irmão continuam presos em um caso repleto de perguntas sem respostas

Ronaldinho Gaúcho anda algemado para depoimento na Justiça do Paraguai
Ronaldinho Gaúcho anda algemado para depoimento na Justiça do Paraguai (Jorge Adorno/Reuters)

Os advogados de defesa do ex-meia Ronaldinho Gaúcho entraram com um recurso na manhã desta segunda-feira (9) no Paraguai com o pedido para que o pentacampeão mundial e o seu irmão, Assis, deixem a cadeia e passem a cumprir prisão domiciliar em Assunção. O objetivo é que ambos saiam o quanto antes da prisão e depois disso seja negociado uma forma deles retornarem ao Brasil.

A definição sobre este tema será na manhã desta terça-feira (10). O juiz Gustavo Amarilla e os advogados de Ronaldinho Gaúcho e Assis terão uma audiência. Se o pedido da defesa for aceito, a dupla terá de continuar no Paraguai, mas poderá deixar a cadeia e permanecer em alguma casa na capital do país, Assunção. Depois disso, o próximo passo será tentar um novo recurso para conseguir a liberação para ambos voltarem ao Brasil.

Os dois irmãos estão presos desde a sexta-feira (6) passada por utilizar documentos falsos ao entrar no país dois dias antes para participar de um evento. Após virarem alvo de investigação, os dois chegaram a ser inocentados, mas um reviravolta na sexta terminou com a prisão preventiva.

No fim de semana, os advogados de defesa dos dois tentaram alguns recursos, mas a juíza Clara Ruíz Díaz decidiu manter a prisão para evitar que a dupla fugisse para o Brasil. A polícia paraguaia aguarda a apresentação da empresária Dalia López, considerada a responsável por levar Ronaldinho Gaúcho ao país. Dalia tem ordem de prisão emitida pelo Ministério Público do país.

Quem também está preso é o empresário brasileiro Wilmondes de Souza Lira, que também estava envolvido no convite enviado a Ronaldinho Gaúcho para viajar ao Paraguai. "Os irmãos têm documentos vigentes do Brasil para poder ir a qualquer parte do mundo, não necessitavam documentos paraguaios. Souza Lira entregou os documentos no Brasil, não lembro da data, mas faz 20 ou 20 dias", disse o advogado de defesa dos irmãos, Adolfo Marín, ao jornal paraguaio ABC Color.

Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, falou por telefone nesta segunda-feira (9) com integrantes do governo do Paraguai para se informar sobre a situação de Ronaldinho Gaúcho.


Agência Estado



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!