Esporte

23/03/2020 | domtotal.com

Canadá e Austrália desistem das Olímpiadas caso não haja adiamento

Diversos comitês olímpicos nacionais fazem pressão para postergação dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

As Olimpíadas nunca foram adiadas antes, embora já tenham sido canceladas
As Olimpíadas nunca foram adiadas antes, embora já tenham sido canceladas (Mladen Antonov/ AFP)

 Austrália e Canadá desistiram de disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 nesta segunda-feira (23), num momento em que os organizadores enfrentam pressão global para adiar o evento pela primeira vez em seus 124 anos de história moderna devido à crise de coronavírus.

Adiar a competição prevista para 24 de julho a 9 agosto, como parece inevitável, seria um duro golpe para o país-sede Japão, que investiu mais de 12 bilhões de dólares no evento. Grandes quantias também estão em jogo para patrocinadores e emissoras.

Leia também:

Pressão para adiar Jogos de Tóquio-2020 aumenta sobre o COI

Mas uma onda de preocupação dos atletas, que enfrentam dificuldades para treinar por causa do fechamento de academias, estádios e piscinas ao redor do mundo, parece estar pendendo a balança, depois do cancelamento ou adiamento de outros grandes eventos esportivos.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e o governo japonês recuaram de semanas de insistência de que os Jogos aconteceriam conforme o planejado, anunciando uma consulta de um mês sobre outros cenários, incluindo adiamento. 

As Olimpíadas nunca foram adiadas antes, embora tenham sido canceladas em 1916, 1940 e 1944, durante as Guerras Mundiais, e abaladas por boicotes devido à Guerra Fria nos Jogos de Moscou e Los Angeles em 1980 e 1984, respectivamente. "No momento em que o COI indica que está pensando em outras soluções, já decidiu adiar os Jogos", disse o presidente do Comitê Olímpico Francês, Denis Masseglia.

Canadá e Austrália disseram sem rodeios que não participarão se os Jogos não forem adiados para 2021. "Estamos no meio de uma crise global de saúde que é muito mais significativa que o esporte", afirmaram os comitês olímpico e paralímpico do Canadá em comunicado.

O Comitê Olímpico Australiano (COA) também disse a seus atletas para se prepararem para os Jogos de Tóquio em 2021. "Nossos atletas têm sido magníficos em sua atitude positiva em relação ao treinamento e à preparação, mas o estresse e a incerteza têm sido extremamente desafiadores para eles", disse o chefe de missão olímpica da Austrália, Ian Chesterman.

Atletas paralímpicos são considerados de risco devido à epidemia, já que alguns apresentam problemas de saúde subjacentes. Vários países pediram uma decisão rápida do COI, liderado pelo advogado alemão e ex-campeão olímpico de esgrima Thomas Bach.

Os atletas, em geral, têm apoiado o adiamento dos Jogos, apesar da tristeza ao verem seus sonhos em dúvida. "Competir nas Olimpíadas é meu objetivo nº 1, mas apoio totalmente essa decisão e louvo nossa liderança por tomar uma posição", disse a tenista canadense Gabriela Dabrowski no Twitter.

Os anúncios de segunda-feira ocorrem após crescente pressão de grandes partes interessadas, incluindo o Atletismo dos EUA, o Atletismo do Reino Unido e outros comitês olímpicos nacionais. "Os Jogos Olímpicos em julho deste ano não são viáveis, nem desejáveis", disse o chefe do atletismo mundial, Sebastian Coe.

Mais de 14.600 pessoas morreram em todo o mundo desde o início do surto de coronavírus.


Reuters

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!



Comentários