Economia

27/03/2020 | domtotal.com

Fintechs podem ser beneficiadas pelo BNDES, segundo Conselho Monetário

Fuga de investidores em meio à pandemia de coronavírus tem bloqueado esses canais

Funcionários na Sede do Mercado Livre, que tem na unidade de pagamentos Mercado Pago uma das principais fintechs do país
Funcionários na Sede do Mercado Livre, que tem na unidade de pagamentos Mercado Pago uma das principais fintechs do país (Reuters / Nacho Doce)

O Conselho Monetário Nacional disse na quinta-feira (26) que as fintechs do país poderão obter financiamento do banco de desenvolvimento BNDES, uma vez que seus canais de financiamento habituais secaram devido às tensões do mercado relacionadas ao coronavírus. A autoridade também disse que as fintechs poderão emitir cartões de crédito como uma fonte alternativa de receita.

Fintech é uma abreviação para financial technology (tecnologia financeira, em português). A palavra é usada para se referir a startups ou empresas que desenvolvem produtos financeiros por meio de plataformas digitais. Seu principal diferencial, em relação às empresas tradicionais do setor, é o uso massivo da tecnologia.

No início desta quinta-feira, foi noticiado que as fintechs estavam em negociações para obter financiamento e possivelmente fontes de negócios alternativos do BNDES ou de instituições similares.

O conselho monetário também disse que agora os fundos de private equity (investimento privado) poderão controlar as fintechs que trabalham como sociedades de crédito direto, mas apenas indiretamente. Tradicionalmente, o Banco Central coloca restrições à possibilidade dos fundos de private equity comprarem instituições financeiras.

Fintechs brasileiras, como a Creditas, que tem como investidor o SoftBank Group, a empresa de pagamentos StoneCo e a unidade financeira Mercado Pago, do Mercado Livre, normalmente financiam seus negócios principalmente por meio de acordos de securitização no mercado de capitais. Mas a fuga dos investidores em meio à pandemia de coronavírus bloqueou principalmente esses canais.

"O crédito secou abruptamente para as fintechs. Então, esperamos que as novas regras levem a uma volta a normalidade", disse Rafael Pereira, presidente da ABCD, associação que reúne empresas de crédito digital.

Em um comunicado, o conselho monetário disse que as fintechs são capazes de alcançar pequenos empresários, mesmo indivíduos sem banco, e podem ajudar o governo a implementar políticas públicas. Não especificou quais serviços as fintechs podem fornecer em parceria com o governo.


Reuters/Dom Total



Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.
EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!