Religião

07/04/2020 | domtotal.com

Cardeal que sempre alegou inocência é absolvido de acusações de pedofilia

Supremo Tribunal da Austrália, por unanimidade, revoga condenação e diz que crime pode não ter ocorrido

O cardeal George Pell foi secretário de Economia do Vaticano
O cardeal George Pell foi secretário de Economia do Vaticano (William West/AFP)

O Supremo Tribunal da Austrália absolveu o cardeal George Pell, que cumpria uma sentença de 6 anos por abuso contra menores, revogando assim a decisão do Tribunal de Apelação proferida em agosto do ano passado, que havia confirmado a decisão do Tribunal de Melbourne de dezembro de 2018.

O cardeal de 78 anos, que sempre se declarou inocente, agora está livre: deixou a prisão de Barwon para ir a uma instituição religiosa em Melbourne.

Os sete juízes da Suprema Corte australiana decidiram o veredicto por unanimidade, com base no fato de que existe uma possibilidade razoável de que o crime não tenha ocorrido e que, portanto, existe uma possibilidade significativa de que uma pessoa inocente seja condenada.

O cardeal George Pell, após a decisão do Supremo Tribunal, reiterou que "sustentava constantemente" sua inocência e que a injustiça que recebeu foi agora remediada.

Dirigindo-se à pessoa que o acusou por um fato ocorrido nos anos 90 – na época era coroinha da Catedral de Melbourne – o cardeal afirmou não nutrir ressentimento, esperando que sua absolvição não provoque outra dor. A base da cura a longo prazo – ele disse – é a verdade e a única base da justiça é a verdade, porque justiça significa verdade para todos.

O purpurado então agradeceu a seus advogados e a todos os que rezaram por ele e o ajudaram e o confortaram neste momento difícil.

Em nome da Conferência Episcopal Australiana, seu presidente, o arcebispo Mark Coleridge, reconhece que a decisão da Suprema Corte será bem recebida por aqueles que acreditam na inocência do cardeal, enquanto será devastadora para os outros, reiterando ao mesmo tempo o compromisso inabalável da Igreja com a segurança dos menores e com uma resposta eficaz aos sobreviventes e vítimas de abusos sexuais contra menores.

Recordando em várias declarações que o cardeal sempre sustentou sua inocência e seu direito de se defender até o último grau de justiça, constantemente reafirmou sua proximidade com as vítimas de abuso sexual e o compromisso, por meio das autoridades eclesiásticas competentes, de ir ao encalço dos membros do clero responsáveis por tais atos.

Santa Sé

Durante todo esse caso, a Santa Sé sempre tomou nota das decisões dos juízes australianos, reafirmando o maior respeito pelas autoridades judiciais em seus vários graus, mas aguardando ansiosamente por quaisquer desenvolvimentos adicionais no processo.

A sentença dos juízes que na Austrália absolveram o cardeal George Pell de todas as acusações foi recebida com satisfação pelo Vaticano, que emitiu nota pela Sala de Imprensa.

“A Santa Sé, que sempre confiou na autoridade judiciária australiana, acolhe com fervor a sentença unânime proferida pelo Supremo Tribunal em relação ao cardeal George Pell, que o absolve de acusações de abuso de menores, revogando a condenação”, lê-se no comunicado oficial.

“O purpurado australiano”, lembra a nota, “ao se submeter ao julgamento da magistratura, sempre reiterou sua inocência, esperando que a verdade fosse apurada”. “Com a ocasião”, conclui a Sala de Imprensa, “a Santa Sé reitera seu compromisso de prevenir e combater todo abuso de menores”.





Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.
EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC.
Saiba mais!